• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Resenha da Drica: Feios, Scott Westerfeld - Galera Record





    Olá, queridos!



    Hoje o livro da vez foi uma grande surpresa para mim. Estou falando de Feios, de Scott Westerfeld. A história é uma bela metáfora de nossa sociedade atul, que valoriza muito mais a aparência do que a essência e traz uma boa discussão sobre a busca frenética pela perfeição do corpo.



    Em Feios, temos uma sociedade que promove a perfeição de todos os seus habitantes. Cada um deles, ao completar 16 anos, é obrigado a passar por um tipo de operação onde todos os seus “defeitos” são consertados e assim ele pode se iniciar no convívio social. Segundo os governantes de lá, um mundo (como o nosso) onde "belos" e "feios" convivem é um lugar injusto. A solução é tornar todos igualmente lindos.



    Nesse mundo vive Tally, uma garota que sonha desde os 12 anos com o dia em que fará a sua transformação, personagem capaz de despertar amor, compaixão e ódio do leitor. Os habitantes que ainda não passaram por esta transformação vivem isolados num local chamado Vila Feia, que é onde Tally mora atualmente, e os que já passaram por ela vivem na Nova Perfeição. Contudo, para todo sistema imposto, sempre há quem se rebele. Tally conhece Shay, uma garota que sonha, não em ser perfeita, mas em fugir deste modelo imposto e partir em busca de sua liberdade. Mas quem não gostaria de tornar-se eternamente belo? Os segredos e consequências da operação vão sendo revelados gradualmente, ao longo das decisões de Tally.



    Shay foge para Fumaça, local onde ficam os feios fugitivos, cuja real existência chega a ser uma lenda. Tally não consegue segurar a sua ansiedade para ir à Nova Perfeição, mas agora o seu sonho está comprometido, pois Os Especiais querem saber pra onde a sua amiga e os outros feios fugitivos foram, embora Tally tenha prometido não contar isso a ninguém. Mas se ela não contar corre o risco de continuar feia para sempre. E agora?



    Inicialmente eu não esperava muito deste livro. Devo confessar que só comprei porque estava em promoção no Submarino... Mas que bom que surpresas boas existem. Em alguns momentos o ritmo da narrativa é um pouco monótono fugindo a emoção que a história pede. O ambiente é descrito com minúcia, e para quem deixa a imaginação fluir é perfeito para reconstruir cenários. Mas a descrição dos personagens é fantástica traçando um perfil exato de quem é quem na história, mas não se esqueçam que surpresas boas acontecem...



    Westerfeld disse em uma entrevista que escolheu esse tema porque pesquisas mostram que pessoas bonitas são mais bem tratadas pelos seus empregados, colegas de trabalho e companheiros, as crianças lindas ganham notas melhores, pelas mesmas tarefas, e têm menos chance de terem problemas com a lei, ou seja, a beleza é o parâmetro definitivo da nossa sociedade, e então ele se perguntou que passos a sociedade poderia tomar para equalizar esse preconceito? E qual seria o resultado? As respostas foram muitos produtivas...



    O livro é o primeiro de uma série, lançada nos EUA em 2005 e que iniialmente teria apenas três volumes: Uglies (Feios), Pretties (Perfeitos) e Specials (Especiais). Os três já foram publicados no Brasil pelo selo Galera da Editora Record. No entanto, a saga foi expandida com a publicação de um quarto romance, Extras (2007). Todos os livros entraram para a lista de best sellers do The New York Times, e conforme informações do IMDB (The Internet Movie Database), a série Feios também vai virar filme. Os produtores são os mesmos de Eragon, e o estúdio é o de Querido John. O filme trará um resumo de toda a série.



    O The New York Times disse sobre a série: "Uglies joga com as mudanças na adolescência, tanto física como emocional". Já o School Library Journal falou: "Altamente legível, com um enredo convincente que incorpora tecnologias futuristas e um comentário perturbador sobre nossas atuais políticas públicas". O próprio autor falou sobre o tema da série: "A beleza é hoje o maior referencial de nossa sociedade. A busca da perfeição tomou conta até de quem ainda não percebeu".



    Feios bota a gente para pensar sobre temas como a ditadura da beleza e a importância da individualidade. Além das metáforas sobre a beleza e as transformações da adolescência, o livro também traz sub-temáticas importantes de toda história futurista como questões sobre o meio ambiente e uso dos recursos naturais. Ele ainda faz uma crítica a forma como vivemos hoje em sociedade, destruindo a natureza e brincando de Deus ao modificar geneticamente flores e animais. No livro, nós somos chamados de “Enferrujados” e morremos há 300 anos devido aos estragos que fizemos no planeta.



    Feios te passa a mensagem de que a beleza não é tudo, e que por trás de algo "perfeito" há sempre uma "falha".



    Vale a pena ler!



    E o livro termina num momento ápice, nos fazendo desejar ter logo o segundo livro em mãos.


    1 comentários :

    1. Com certeza a beleza é indispensável para uma vida de sucesso na nossa sociedade, pois muitas vezes vem antes mesmo do talento. Muito legal o autor se basear nestas pesquisas e criar um livro que nos faz refletir sobre a posição da sociedade de ante da beleza e da feiura. Este livro é muito interessante, possui um enredo que me deixa curiosa, já está na minha lista de desejados a bastante tempo e quero muito lê-lo também. Sua resenha ficou ótima, me deu uma boa visão do enredo e dos personagens, e tudo pareceu muito bem construído. Deve ser mesmo uma excelente leitura, apesar de conter alguns momentos monótonos e sem grandes acontecimentos, como você comentou.
      beijos!

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!