• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Resenha da Vic: A Evolução de Calpúrnia Tate, Jacqueline Kelly - Única

    Título: A Evolução de Calpúrnia Tate

    Autor(a): Jacqueline Kelly

    Editora: Única/ Editora Gente

    Ano: 2014

    Número de páginas: 384

    Nota: 5/5

    Sinopse: 
    Calpúrnia Virginia Tate tem 11 anos em 1899, quando pergunta o porquê de os gafanhotos amarelos em seu quintal serem tão maiores do que os verdes... Com uma pequena ajuda de seu notoriamente mal-humorado avô, um ávido naturalista, ela descobre que os gafanhotos verdes são mais fáceis de serem vistos contra a grama amarela e, por isso, são mortos antes que possam ficar maiores. Por gostar de explorar a natureza ao seu redor, Callie acaba criando um relacionamento próximo com seu avô enquanto enfrenta os desafios de viver com seis irmãos e se depara com as dificuldades de ser uma garota na virada do século. Em seu livro de estreia, Jacqueline Kelly habilmente traz Callie e sua família para a vida, capturando o crescimento de uma jovem com sensibilidade e humor.


    Calpúrnia Virgínia Tate, ou como todos a chamam, Callie Vie, é uma garota de onze anos que nasceu no século errado. Filha de Margareth, uma mãe que criava os seus filhos seguindo as regras da sociedade e, acima de tudo, para honrar o sobrenome Tate. Seu pai Alfred, um grande cultivador de algodão, não se intrometia muito com relação a educação dos filhos, deixando isso a cargo da esposa.

    Callie, que sempre foi uma menina curiosa, teve seu lado ainda mais aflorado quando seu irmão mais velho, Harry – aliás, é o irmão que ela mais gosta, e ele a considera a sua “princesinha” – lhe entregou uma caderneta para fins científicos, alegando que ela era uma naturalista em formação. Mesmo não sabendo o que era ser uma naturalista, ela resolveu passar o verão tentando ser uma. (Questões para a caderneta: Porque os cães têm sobrancelhas? Porque os cães precisam de sobrancelhas?)

    ‘’ ...O vô alcançou a prateleira de livros. Vi o Inferno, de Dante, ao lado de A ciência do balonismo de ar quente. Havia Um Estudo da Reprodução dos Mamíferos e O tratado sobre desenhar a mulher nua. Ele tirou o livro coberto com um luxuoso marroquim verde. E com detalhes elegantes em outro. Lustrou-o com a manga da camisa, embora eu não visse poeira nele. Cerimoniosamente, curvou-se e o ofereceu para mim. Olhei para ele A Origem das Espécies. Aqui, na minha própria casa. Recebi-o com as duas mãos. Ele sorriu. Assim começou a minha relação com vovô...’’

    Porém, entre todas as infinitas perguntas existentes na cabeça de Callie, uma estava lhe tirando o sono: ‘’Porque existem gafanhotos verdes, e outros amarelos?’’. Depois de muito pensar, entendeu que os gafanhotos amarelos só poderia ser uma espécie nova. E pronto! Calpúrnia Virginia Tate os tinha descoberto. Mas, como ela tornaria esta grande descoberta em público?

    A resolução de Callie foi que ela encontraria a resposta para a sua pergunta no livro A Origem das espécies, de Charles Darwin. Com certeza, um livro que falava sobre espécies, diria o que fazer e como agir, se encontrasse uma. Mas, o livro não era acessível a todos, e muito menos a uma garotinha. Indignada, Callie vai para casa e recorre a quem menos ela queria. O seu sábio: O seu sábio avô, o capitão Tate. Porém, o avô fica surpreso com a ousadia e inteligência da garota e lhe entrega o exemplar do senhor Darwin, começando a relação dos dois.

    Me encantei com o livro da Jacqueline Kelly. Calpúrnia é encantadora, cheia de dilemas e acontece que nem todos conseguem entendê-la. Mas ela só quer aprender, quer conhecimento. Ela quer ir a universidade... Quer ser cientista! É pedir muito em pleno anos 90? É interessante a forma que a autora traz isto à tona, porque sabemos que isso são fatos com um fundo de veracidade.

    A capa do livro é linda, e retrata as descobertas de Calpúrnia. A editora Gente está de parabéns com relação a diagramação. A cada início de capítulo temos uma passagem do livro A Origem das espécies, e encontrei várias notas do rodapé esclarecendo fatos interessantes.

    O enredo do livro é envolvente, que te prende do início ao fim. Jacqueline não deixou nenhuma ponta solta e gostei bastante da sua forma de escrever. Terminei o livro querendo mais!!! Quero mais Calpúrnia!! Preciso dela adulta, fazendo faculdade e se tornando uma mulher independente. Vamos lá, Jacqueline, mecha os seus pauzinhos, ou melhor, dedinhos!!! 

    Leitura recomendadíssima, e te desafio a não se apaixonar por esta linda menina e o seu avô.

    "... – Desculpe-me – disse vovô, dando-se conta do seu erro e inclinou – É claro que eu estava querendo dizer da única neta que eu sou avô. – Ele tomou seu porto com calma e se sentou. Meus irmãos estavam irritados, mas não me importei. Meu coração bombeava alegria nas minhas veias. Eu era tudo para ele, era isso? E ele era tudo para mim..."


    Até a próxima!


    8 comentários :

    1. Olá Adriana, tudo bem?
      Bom, este livro me conquistou pela primeira vez mais pela capa, simplesmente fiquei encantada com as cores amarela e preta e já quis logo (infelizmente não tive como comprar), mas enfim... Parece ser um livro muito bonito além da capa e, adoro livros que tem protagonista uma criança, sempre temos grandes lições de conquista, luta e enfim, acho simplesmente maravilhoso.
      Parabéns pela resenha, a premissa do livro parece ser bem interessante e não vejo a hora de ler a história da Calpúrnia!
      Beijos e sucesso para você e, o blog.
      http://chuvaelivros.blogspot.com/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Iris!
        A capa é realmente linda e também foi a primeira coisa que eu olhei. O livro é realmente encantador e é impossível não se apaixonar por ele.
        Dê uma chance a ele sim, e não irá se arrepender.
        Muito obrigada!

        Beijos,
        Vic

        Excluir
    2. A história e a personagem são de uma riqueza e profundidade enorme pelo que notei. Muito bom conhecer este livro. Não esperava me apaixonar tanto assim. Com certeza vou curtir ler. Beijos.

      ResponderExcluir
    3. Olá Beth!
      Este livro é lindo, e a Callie é uma fofa e extremamente encantadora.
      Espero que curta tão quanto eu curtir.

      Beijos,
      Vic

      ResponderExcluir
    4. Eu já tinha visto esse livro na livraria mas nada me chamou a atenção, e agora depois de ler a resenha eu continuo sem saber se vou ler, mas quem sabe futuramente, mas a resenha ficou ótima.

      Abçs :)

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Tamires!
        Dê uma chance a ele :)
        Obrigada!!

        Beijos,
        Vic

        Excluir
    5. Oii Vic :}
      Confesso que não tinha dado nada pro livro depois que vi a capa,achei que seria bem infantil, mas quando li a sinopse fiquei bem curiosa ! Assim como a Calpúrnia eu sou bem curiosa, e agradeço por não ter nascido nos anos 90. Imagina uma garotinha de 11 anos falando de estudar (e pior, ciências) em um época em que nós mulheres só serviamos como esposa, mãe e dona de casa?! Imagino que o livro deve ser bem divertido, espero ter a oportunidade de ler :)
      Bj :*

      ResponderExcluir
    6. Oi
      Nãoo conhecia o livro, e esta capa nem ajuda muito.
      Se o visse por ai sem ler uma resenha jamais me interessaria, mas depois da resenha eu quero.
      Gosto deste tema, pois é sempre legal descobrir como as coisas erram no passado.
      E podemos ver que apesar de ter melhorado muitas coisas ainda nçao iguais

      Beijos
      www.amorliterario.com

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!