• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • À Convite - Neyla Suzart: Quem, Eu?, Fernando Aguzzoli - BelasLetras



    COMPARTILHAR A DOR NÃO É SOFRÊ-LA NO COLETIVO, É LIVRAR QUEM DELA SOFRE. 
     Durante um ano, um neto largou tudo que tinha – o emprego, a carreira, os estudos – para se dedicar integralmente à avó, diagnosticada com Alzheimer. Convivendo com a divertida, bonachona e, claro, sempre esquecida vovó Nilva, o neto Fernando, um jovem aspirante a filósofo com um talento epistêmico para a comunicação, aprenderá uma lição de vida que doença nenhuma pode apagar. Uma história real que emocionou o Brasil e vai fazer o leitor rir e chorar, mas nunca mais se esquecer dela. Porque o amor não é uma lembrança; é uma regra da alma.

    Título: Quem, Eu?
    Autor (a)Fernando Aguzzoli
    Editora: BelasLetras
    Número de Páginas: 240


    Desde que soube do lançamento de Quem, Eu? fiquei imensamente curiosa para ler. A história de um jovem que deixou tudo de lado para poder cuidar da avó tocou meu coração. Eu sabia que encontraria ali uma história emocionante, uma lição de vida. E realmente foi uma leitura que me emocionou e me fez refletir em diversas partes.

    Em Quem, Eu? conhecemos a história de D. Nilva através das lembranças de seu neto, Fernando. Ela que sempre foi muito ativa e independente, recebe o diagnóstico do Alzheimer. A mudança é gradativa, mas mexe com toda família. E, em determinado momento, Fernando decide deixar faculdade e trabalho de lado para dedicar-se a sua querida vozinha.

    Nos capítulos iniciais vamos nos familiarizando com a história de D. Nilva antes da doença. A infância e adolescência sem muitos recursos, o trabalho na fábrica (quando ainda nem tinha idade para trabalhar), a garra e força de vontade que a acompanham desde muito nova. D. Nilva era uma mulher batalhadora, com muitas histórias para contar e um grande senso de humor. No decorrer das páginas vamos nos divertindo e solidarizando com essa mulher que, acima de tudo, foi uma guerreira.
    Com a descoberta e o avanço da doença muita coisa mudou. A memória de D. Nilva não era mais a mesma e ela esquecia-se das coisas com uma facilidade imensa. Muitas vezes mal lembrava-se da filha ou do neto. Não era uma situação das mais fáceis, mas Fernando mostrou muito jogo de cintura ao lidar com tudo isso. Cuidar de uma pessoa com Alzheimer não é fácil e ele só aprendeu isso com a convivência diária. Coisas simples e que antes faziam parte do dia-a-dia dessa senhora foi se tornando cada dia mais difícil. Além das muitas perguntas, que as vezes se tornavam repetitivas. ele ainda precisava fazer com que ela não se sentisse constrangida com certas coisas. Acreditam que até fralda ele usou para poder fazer com que ela também usasse. Como não admirar uma pessoa dessa?

    Me emocionei em algumas partes, mas confesso a vocês: ri em muitas outras. D. Nilva era dona de uma personalidade marcante e era muito divertida. Os "causos" narrados por Fernando, os pequenos diálogos e o jeito de ser dessa simpática senhora muito me alegrou. Ela era uma mulher cheia de vida e mesmo através das lembranças do neto isso ficou explícito.

    Na primeira parte do livro Fernando narra a história de vida de sua avó, antes e depois do diagnóstico. Na segunda parte temos uma espécie de linha do tempo de D. Nilva em fotos, mostrando sua trajetória da mocidade até a última foto tirada antes de falecer. E a terceira parte são os diálogos, divertidíssimos por sinal, entre avó e neto. Não tem como não rir das conversas e travessuras dos dois.

    Gostei demais do livro. Me fez refletir sobre a vida e a importância de valorizarmos todos os momentos bons e felizes de nossa vida. É uma lição para cada um de nós e nunca me esquecerei das coisas que aprendi no decorrer dessas 240 páginas. Creio que essa tenha sido a leitura mais edificante do ano e só tenho a gradecer a BelasLetras por ter me proporcionado esse momento. Leitura mais que recomendada.


    6 comentários :

    1. É muito bom saber que ainda existem pessoas boas no mundo, e o Fernando é uma delas! Quem já leu esse livro, com certeza irá refletir muito sobre o que a vida nos propõem e que não sabemos tirar proveito disso! Esse livro parece ser mesmo bem emocionante, vou procurar saber mais sobre ele ;)

      ResponderExcluir
    2. Parece ser um ótimo livro.. que mostra um amor lindo desse neto por sua avó.. o mundo precisa de mais pessoas assim..

      ResponderExcluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      ResponderExcluir
    4. Ameeei a capa do livrooo e a historia e mtoo bonita deve ser mto emocionate msm não e qualquer um que larga tudo para cuidar de seus avós mtoo legal quero mtoo ler..

      ResponderExcluir
    5. Neyla!
      Quero tanto poder ler esse livro...
      Passei um ano lá em Maceió com mainha agora e sei bem o que ele passou com D. Nilza, pois passei com D. Nalva. Não é fácil uma pessoa com Alzheimer e apesar de todo trabalho e mudanças, tem mesmo o lado hilário, porque praticamente ela volta a ser criança...
      cheirinhos
      Rudy

      ResponderExcluir
    6. Oi Neyla!
      Tenho muita vontade de ler esse livro, tenho certeza de que vou me emocionar. O Alzheimer não é uma doença facil, nem pro doente nem pra família, com certeza foi uma barra pra eles passar por isso. MAs é legal ele ter feito esse livro, fica como uma homenagem a sua avó pra semrpe.

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!