• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Resenhas da Vic: Desejo, Elfriede Jelinek - Alaude

    Título: Desejo

    Autor(a): Elfriede Jelinek

    Editora: Alaude

    Ano: 2013

    Páginas: 240

    Nota: 3/5

    Sinopse: A obediente Gerti é casada com Hermann, diretor de uma fábrica de papel para quem tanto os funcionários como a mulher têm um valor meramente instrumental. Apesar de criança, o filho do casal já se mostra predisposto ao consumismo e a certa perversidade e completa um núcleo familiar disfuncional em que imperam a dominação sexual, a humilhação e o abuso de poder.


    Desejo é uma crítica que fala sobre uma sociedade machista, na qual o homem tem supremacia na voz, autoridade evidenciada até no controle físico que exerce sobre a mulher.

    Gerti é uma mulher extremamente infeliz. Casada com Hermann, diretor de uma grande fábrica, é escrava sexual dele. Temos o relato no decorrer do livro da sua obsessão doentia. O filho do casal, ainda criança, presencia com curiosidade os abusos sofridos pela mãe, isso reflete na formação da sua personalidade e percebe-se que até certo ponto a inocência infantil já foi perdida.

    Ela é extremamente submissa, não tem voz. Ela não é dona do seu corpo e não controla as suas necessidades e muito menos os seus desejos. Seus gritos e protestos são as únicas formas de manifestação.

    Apesar do tema forte, não existe nada de erótico nas descrições das cenas. Elfriede intercala sexo explícito com crítica social.

    ‘’Desconfortável’’ talvez seja o adjetivo a esta obra tão realista. Tanto a forma quanto o conteúdo causam um incômodo durante a leitura, que continua mesmo depois de chegar ao fim do livro. Em alguns trechos, é insuportável acompanhar a narrativa, ver o modo como Gerti é subjugada e humilhada pelo marido, sua tentativa de fuga da realidade abrigando-se na bebida alcoólica e a perversão do filho, um pequeno voyeur que se delicia observando a situação. Horrível.

    Porém, Desejo nada mais é do que um relato de uma sociedade não muito distante da nossa. Li algo sobre o livro, na qual um jornalista fala que a obra é uma leitura obrigatória para os jovens escritores de todo mundo.  Em parte, tenho que descordar: Acho uma leitura obrigatória para todos aqueles que lutam, de uma certa forma contra esse sistema que vai contra todos os valores aprendidos e ensinados.


    “As mulheres, enxertadas de esperanças, vivem da lembrança; os homens, entretanto, vivem do momento, que lhes pertence e, se cuidadosamente cultivado, se deixa compor e formar um montinho de tempo, que igualmente lhes pertence.” (p.23)










     



    10 comentários :

    1. O assunto mostrado nesse livro não é fictício, infelizmente, pois atitudes machistas é algo que acontece diariamente no mundo todo :'( Ainda não conhecia esse livro, mas ele parece ser um daqueles livros bem marcantes, que te deixa triste e que nos faz imaginar como existe homens que fazem esse tipo de coisa com uma mulher </3.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Luis! Realmente o livro não tem nada de fictício, ele é bastante real. Infelizmente :/

        Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      ResponderExcluir
    3. Eu gosto de temas fortes mas não sei se leria esse livro não viu. Nem tanto pelo abuso que ela sofre mas sim pela criança, só pela sua descrição na resenha eu já me senti super incomodada com ele.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Nathalia!
        Realmente é um livro forte, e o fato da criança é bem incomodo.

        Excluir
    4. Acho que é forte demais pro meu gosto.. lendo a resenha e pensandoo akii eu já fiquei desconfortável..

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi Amanda!
        Ele é forte, mas serve de bastante aprendizado.
        Beijos

        Excluir
    5. Vic!
      É um tema bem forte, porém acredito que deve ser discutido, porque infelizmente ao redor do mundo, tem muitos povos que ainda mantêm as mulheres sob o domínio masculino e apesar de aqui no Brasil, aparentemente as mulheres estarem se tornando independentes, ainda tem muito da dominação machista em nossa sociedade.
      Desconforto na leitura deve causar mesmo, porém acredito que é uma leitura de conhecimento pelo menos.
      cheirinhos
      Rudy

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Rudy!
        É uma tema bem real, e esse foi um dos motivos que escolhi a leitura. Apesar do desconforto, foi uma leitura bem satisfatória.

        Beijos,
        Vic Bastos.

        Excluir
    6. Oi Vic esse livro deve ser bem instigante o tema dele e bem diferente, lembro do meu avô que era bem machista nossa e como era, e acho que ate hj tem esse tipo de homem por ai..gostei bastante da resenha..
      bjos

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!