• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Leitura da Drica: O sangue do cordeiro, Sam Cabot - Arqueiro

    Título: O Sangue do Cordeiro
    Título original: Blood of the Lamb

    Autor: Sam Cabot

    Editora: Arqueiro

    Páginas: 368


    Sinopse:

     “Este documento, querida amiga, vai abalar a Igreja.”

    Ao ler essas palavras em uma carta encontrada em um arquivo empoeirado, Thomas Kelly fica cético. O documento citado na correspondência está desaparecido, mas Thomas, padre da ordem dos jesuítas, duvida que exista algo com tal poder – até ser convocado ao Vaticano para iniciar uma busca desesperada por ele.

    Enquanto isso, diante de um conselho formado por seus superiores, Livia Pietro recebe instruções claras: encontrar um padre jesuíta recém-chegado a Roma e juntar-se a ele na procura da Concordata, um tratado que contém um segredo tão chocante que poderá destruir para sempre todo o povo de Livia.

    Enquanto pistas cifradas do passado lançam os dois em um universo traiçoeiro repleto de obras de arte, maquinações religiosas e conspirações, eles são caçados por pessoas capazes de tudo para achar o documento primeiro. Thomas e Livia, então, precisam correr para montar o quebra-cabeça capaz de redefinir os rumos da história e evitar o caos e a destruição que a revelação da Concordata poderá causar. Livia, porém, tem um segredo: ela e seu povo são vampiros.

    Com uma narrativa que remete ao estilo de Dan Brown e ao terror sobrenatural de Anne Rice, O sangue do cordeiro é uma viagem inesquecível a um passado inimaginável.

     
     
    Oi, gente,

    Vamos acompanhar a aventura do padre Thomas Kelly, padre historiador e professor em Londres que, atendendo a um pedido do amigo e cardeal Lorenzo Cossa, bibliotecário do Vaticano, vai a Itália para encontrar um documento desaparecido a séculos e que pode mudar a visão do mundo em relação à Igreja Católica.

    Me apaixonei pela sinopse de cara. Com essa vibe meio Dan Brown, me imaginei encontrando um personagem a la Robert Langdon. Mas o padre Kelly nem passa perto disso...

    Por outro lado, Lívia Pietro é convocado pelo conclave Noantri para se aproximar de Thomas Kelly, ajudá-lo a encontrar o documento, se apoderar dela para mantê-lo em segredo e matar Jonah. Lívia é a escolhida pois Jonah Richter, seu iniciado que a abandonou, cansado de viver escondendo quem ele realmente é, envia uma carta para o conclave ameaçando tornar público o conteúdo da concordata, caso eles não o façam.

    O acordo, firmado entre igreja católica, considerados inalterados, e o povo noantri, os vampiros, prevê que os noantri não atacarão humanos para se alimentar enquanto o Vaticano disponibilizar sangue humano nos hospitais com essa finalidade. Assinado pelo Papa e o líder noantri da época, se ele vier à tona, a existência do povo noantri será conhecida, o que pode desencadear uma nova caçada.

    Com opiniões diferentes, cada personagem que a concordata para atender ais seus propósitos. Jonah acredita que se o segredo se tornar público, os noantri serão idolatrados pelos humanos. Lorenzo cossa acredita poder acabar com os noantri. Livia só que poder salvar Jonah. E Thomas quer manter tudo como está. 

    Seguindo pistas deixadas pelo poeta Mario Damiani em seus poemas, que os leva a várias igrejas italianas, vamos conhecendo um pouco da cidade, da história e dos monumentos e obras de arte.

    Um bom enredo, personagens bem construídos, mas com ritmo um pouco lento para prender a minha atenção. Achei que Cabot se perdeu em alguns momentos quando começa a alternar com muita frequência os núcleos em que se passam a história, tornando um pouco monótono e cansativo, principalmente nas partes em que a polícia italiana é envolvida.

    A sucessão de pistas ajuda a manter o envolvimento, mas nada que já não tenhamos visto em outros livros. Tem um pouco de Dan Brown apenas no enredo, mas apenas nisso. E de Anne Rice não vi nada. Fala-se muito pouco nos vampiros e tirando a apurada audição e velocidade, não encontrei muita familiaridade com os vampiros de Rice.

    Não foi uma decepção, mas foi aquém das minhas expectativas.
     


     

    1 comentários :

    1. Acho que não leria o livro, pode até ser preconceito literário mas ele me lembrou os livros do Dan Brown e eu meio que tenho uma pequena barreira quanto aos livros delle. RS.

      Beijos.

      www.notamentaal.blogspot.com.br

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!