• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Leitura da Drica: No coração da floresta, Emily Murdoch - Agir Now

    Livro: No coração da floresta

    Autor: Emily Murdoch (@LeftyWritey)

    Páginas: 272

    Editora: Agir Now

    Tradução: Maryanne Linz

    Sinopse:
    E se tudo o que você soubesse fosse uma mentira? E se a pessoa que deveria te proteger não tivesse condições nem mesmo de cuidar de si mesma? Carey é uma jovem de 15 anos com uma história de vida difícil. Levada às escondidas pela mãe para um parque nacional quando ainda era uma criança, tudo o que ela e a irmã menor conhecem é a floresta. Elas só têm uma a outra, considerando que a mãe, viciada em drogas e mentalmente instável, muitas vezes desaparece por dias sem fim. É durante um desses sumiços que repentinamente as meninas se vêem diante de dois estranhos, que as tiram da floresta e as levam para um mundo novo e surpreendente de roupas, meninos e aulas. Agora Carey precisa enfrentar a verdade por trás do seu passado e decidir se vale a pena revelar um terrível segredo, que, caso descoberto, pode colocar em risco a segurança e a nova vida das duas irmãs.




    Oi, gente,

    Quem é frequente aqui no blog sabe que frequentemente escolho um livro pra ler por causa da capa. E não foi diferente com No coração da floresta. Me apaixonei pela bela capa e seu tom meio sombrio, e aí já fui deduzindo que a história deveria ter algum tipo de suspense, talvez até um toque de terror. Me enganei em parte, mas a surpresa foi muito ao mesmo.

    No coração da floresta conta a história de Carey, 15 anos,  e Jenessa, 6 anos, duas irmãs que moram em um trailer no meio da floresta com a mãe. Estranho, não? Na verdade, as meninas moram praticamente sozinhas nesse trailer a muitos anos, já que Joelle, a mãe delas, viciada em metanfetamina, fica a maior parte do tempo fora sob o argumento de conseguir suprimentos. Carey acredita que a mãe as levou para lá para fugir do pai, que batia nas duas, e assim mantê-las a salvo. Nessa época Nessa ainda não tinha nascido.

    A história começa com as duas irmãs sendo retidas do Bosque dos Cem Acres por dois estranhos: o Sr. Benskin, pai de Carey, e uma assistente social. Mil coisas se passam na cabeça de Carey mas ela sabe que não pode cuidar de Nessa sozinha, então se deixa levar sem resistência.

    “Se algum dia houver um amanhã em que não estejamos juntos, há algo de que você deve sempre se lembrar. É mais corajoso do que acredita, mais forte do que parece e mais inteligente do que pensa. Mas, o mais importante é que, mesmo se estivermos separados... eu sempre estarei com você. “

    A adaptação a uma nova vida, com todas as facilidades da vida moderna não encontradas na floresta já será difícil pesar de agradável. Mas imagine que, depois de morar por cerca de 6 anos em uma floresta, vendo raríssimas pessoas, você terá que morar com a sua nova família composta por seu pai, que você conhece como seu agressor e agressor de sua mãe, uma madrasta cheia de carinho e uma meia-irmã ferida por ter que dividir as atenções com você. Ainda tem a escola e todas as suas interações sócias e descobertas da adolescência. Como se não bastasse, ainda tem a mudez de Nessa, provocada por um trauma relacionado a algo que aconteceu na floresta. Será que Carey vai dar conta disso tudo?

    “Considero a floresta um luxo em certos aspectos, separada do resto do mundo. O mundo cheio de pessoas é tão rápido, tão barulhento e ocupado. Sempre tem coisas para fazer, nenhuma delas parecendo tão importante assim.”

    Quem nos conta a história é Carey, e isso faz com que o leitor perceba nitidamente todas as dores e prazeres da mudança. Para Nessa tudo é mais fácil. Amada por todos, de cara ela encontra um amigo, o cachorro da família que, mesmo muito velhinho, parece reviver com a chegada da menina e ele será peça fundamental para que ela vença seus traumas e volte a falar.

    “O que acontece na floresta fica na floresta, entendeu? ”

    Apesar de terem vivido na floresta por tanto tempo, as meninas têm um bom conhecimento acadêmico porque Carey estudava os livros que a mãe conseguia par ela e ainda ensina a Nessa. Além de Carey saber tocar violino, que aprendeu com a sua mãe.

    “... A música transcende a tristeza, a fome, o frio. Assim como a verdade. ”

    A experiência de uma refeição farta, já que comiam apenas enlatados e pequenos animais da floresta, roupas novas, uma amiga com os mesmos gostos e um amigo do passado, contrabalançam com a forte carga emocional de descobrir a o que realmente está por trás da história que lhe foi contada.

    “Coisas boas acontecem a quem se permite. Tudo o que você precisa fazer é dar uma chance. ”

    Capa linda, diagramação perfeita, ilustrações maravilhosas que te fazem entender como era estar na floresta. Revisão e tradução impecáveis. Ponto para a forma como foi ressaltado o jeito de falar de Carey, já que ela não foi alfabetizada na escola.

    Uma história forte, densa, mas escrita com uma simplicidade que te prende até o fim. Tenho certeza que se eu tivesse lido a sinopse jamais teria lido a história, por não se tratar de um estilo que gosto. Ainda bem que não li!!! O livro ale muito à pena.

    Me surpreendi em saber que esse é o livro de estreia da Emily! Ela é fantástica! Conseguiu reunir um drama familiar, colocou uma dose de suspense e violência, aproveitou para falar de relacionamentos entre familiares, amizade e, lógico, acrescentou uma pitada de romance. Um livro realmente completo!!!!


    Quem é o vilão dessa história? Recomendo para pais e filhos, é um grande aprendizado!





    20 comentários :

    1. Esse livro me lembrou um filme que tive assistir para um curso que fiz. Não lembro o nome :(
      A capa também influencia muito a minha escolha. Graças a Deus que quase nunca quebro a cara.
      Gostei muito da premissa do livro e da sua resenha também. Fiquei bem interessada.
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Lu,

        o livro é muito bom mesmo. Recomendo!!!!

        Obrigada pela visita!

        Excluir
    2. Oiee,

      Não conhecia essa obra e confesso que não sei se um dia lerei. Sua resenha está ótima, porém, não me peguei querendo ler sabe?

      Beijos

      ResponderExcluir
    3. Será que tem alguma alma caridosa que queira me dar esse livro? Adorei a história a capa, tudo achei bem interessante lembra um pouco o filme Mamma que eu adorei! Quero mto ler!

      ResponderExcluir
    4. Ganhei esse livro em um sorteio e estou esperando ele chegar. Mas ainda não tinha lido nenhuma resenha; essa é a primeira. Fiquei mais feliz, hahaha :) Pelo o que você falou, eu irei gostar bastante da história!

      ResponderExcluir
    5. Vi esse livro na lojas Americanas outro dia e me chamou a atenção pela capa, mas como nunca tinha ouvido falar dele fiquei com receio de comprar e agora me arrependo. Gostei da sua resenha e o livro parece muito bom, na próxima oportunidade ouvi correndo comprar.

      Beijos:*
      Escritas na Chuva

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Adoro comprar livros pela capa mesmo quando nunca ouvi falar, acredita????

        Compre, vc n vai se arrepender!

        Excluir
    6. Também leria esse livro só pela capa, e a diagramação está linda demais.
      Adorei sua resenha, depois de ter lido essa resenha super positiva sobre o livro não tem como não ter adicionado em minha lista de leituras, estou super curiosa para começar a ler, pois a história parece ser ótima.

      ResponderExcluir
    7. Oi Drica,quem nunca leu um livro por conta da capa que atire a primeira pedra. A capa me remete a suspense mesmo, mas não diria terror. E é muito bom quando nos surpreendemos de forma positiva com a leitura. espero poder ler também.
      Bjs, Rose

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. É que morro de medo de floresta, Rose, ai sempre me lembra terror.

        Excluir
    8. No coração da floresta parece ser um livro mto bom desde a primeira vez que eu vi.
      Eu tb escolho livros pela capa....hahaha quem nunca!
      Nossa, nao ia imaginar nunca que o livro seria a vida das duas meninas que foram tiradas da sociedade e viviam na floresta e depois regressariam para a vida urbana.
      Realmente me encantei com a historia pelo que li aqui e fiquei curiosa com a transição delas.
      A mae é uma doida e o pai um agressor. Mto bom saber que um cachorrinho vai ajudar a irma que ficou muda.
      COm certeza um livro que quero ler.
      Beijos

      http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Ele rouba a cena, Suzzy. E nós, que temos cães em casa, sabemos do poder curativo dessa convivência.

        Excluir
      2. Aiiii...que bom q ele rouba a cena, ja me sinto apaixonada pelo dog...

        Excluir
    9. Drica1
      Achei que era mesmo uma literatura fantástica e fiquei bem feliz em saber que tudo gira entre os dramas familiares, o que me cativa muito.
      Fiquei com pena das meninas...
      “Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro.”(Sigmund Freud)
      cheirinhos
      Rudy
      http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
      Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Dá uma dó sim, mas elas são mulheres fortes e determinadas a iver uma vida diferente.

        Excluir
    10. Que resenha bacana, também sou assim compro livros pela capa, as vezes me decepciono e as vezes me surpreendo positivamente e fico feliz que com você tenha sido a segunda opção que bom que gostou da leitura, gostei também da historia, e fiquei super curiosa pra saber o que fez essa mãe levar as filhas para a floresta e saber como será a vida dessas meninas inseridas novamente ao conviveu social.
      bjocas

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!