• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Resenha da Vic: Zack e Mia, A.J. Betts - @novo_conceito

    Titulo: Zack e Mia

    Autor(a): A J. Betts

    Editora: Novo Conceito

    Páginas: 288

    Sinopse
    A última pessoa que Zac esperava encontrar em seu quarto de hospital era uma garota como Mia - bonita, irritante, mal-humorada e com um gosto musical duvidoso.
    No mundo real, ele nunca poderia ser amigo de uma pessoa como ela.
    Mas no hospital as regras são diferentes. Uma batida na parede do seu quarto se transforma em uma amizade surpreendente.
    Será que Mia precisa de Zac? Será que Zac precisa de Mia? Será que eles precisam tanto um do outro?
    Contada sob a perspectiva de ambos, Zac e Mia é a história tocante de dois adolescentes comuns em circunstâncias extraordinárias.



    Zack é um adolescente de dezessete anos, que sofre de leucemia há um bom tempo. Apesar de já ter feito o transplante, ter uma nova medula chamada Helga (sim, ele deu nome a medula), pela segunda vez ele está de volta ao hospital.

    ”Confie em mim, penso. Confie em mim. Então ela se apoia em mim como se eu fosse o único amigo que restasse no mundo.”

    Ninguém sabe que Mia teve câncer. Para todos os efeitos, a garota teve uma inflamação na panturrilha e estava descansando em casa por um tempo. Hoje, está curada, porém, sem uma perna. Esconder esse fato da sua vida antiga, badalada, cheia de amigos e super envolvente, é muito complicado. E Mia vai se perdendo aos poucos, tentando fingir que tudo está bem, tornando aos poucos as coisas um pouco difíceis de lidar.

    O que faz com que esses dois se encontrem? Mia é internada no mesmo hospital que Zac, mais precisamente no quarto ao lado... e é claro que ele tem que dar boas vindas a garota, dizendo os pós e contra de  estar internado naquele hospital.

    “É engraçado como o cérebro faz coisas assim. Seu mundo todo está sendo chacoalhado e jogado, e o melhor que você consegue fazer é focar-se em alguma coisa pequena e inesperada.”

    Porém, Mia tem alta, como Zack cansa de dizer, ela tem muita sorte. Ela foi embora porque está curada e ele não entende o porquê dela não estar soltando fogos de artificio por isso. Uma inciativa de mandar um convite de amizade no Facebook, faz com que Zack tenha um pouco de noção de como era a vida de Mia antes do câncer e como ela está tentando fingir que tudo ainda é a mesma coisa.

    Com uma jogada de mestre, Mia aparece na porta de Zack e ele é introduzido na vida dessa garota cheia de mistérios que não quer ser ajudada, criando um laço de amizade único, que vai muito além das paredes do hospital.

    Zack e Mia é um livro envolvente, que fala sobre família, esperança, força e recomeços. Zack foi destinado a entrar na vida de Mia para ensiná-la que a vida continua, apesar de tudo, e que ela tem que ser aproveitada ao máximo. Mia entrou na vida de Zack para mostrá-lo que a vida vai muito além do que estatísticas e probabilidades (quem ler vai entender rsrs), e que apesar de tudo conspirar contra, a vida ainda pode nos surpreender com coisas boas.

    "Eu queria poder dizer isso a ela. Eu queria poder dizer a ela quanta sorte tem."

    O livro é narrado na terceira pessoa, com o ponto de vista de ambos, sendo que o de Mia é sempre mais interessante pelo fato dela ser uma incógnita na  maior parte do livro.

    O Zack é o menino fofo, leal e engraçado, que todos nós queríamos como amigo. A Mia, nem tanto... rs, mas, existe algo de muito bonito naquela garota que faz com que as pessoas não desistam dela.

    A escrita da Betts é envolvente e extremamente emocionante. E a forma que ela desenvolveu os personagens, com seu crescimento gradativo, tanto intelectual, quanto emocional, é muito emocionante.

    Apesar de eu amar esses sick lit, que chegaram com tudo no mercado editorial, Zack e Mia não é muito diferente dos últimos lançamentos deste mesmo gênero.

    A diagramação está linda. A capa é fofa é fofa ao extremo, esse amarelinho, a fonte da letra... gente, que amor. Revisão e diagramação impecável.

    Leitura recomendada para todos que gostam de livros emocionantes, e amam um bom e velho clichê.


    ‘’Talvez os números o atormentem da mesma forma que minha perna me atormenta. Talvez nós dois estejamos vivendo como frações. ”





    7 comentários :

    1. Estava meio em dúvida se lia ou não este livro, mas pelo que vi, vale a pena dar uma chance.
      Bjs, rose.

      ResponderExcluir
    2. Olá!!
      Realmente ele não é diferente dos outros livros do gênero, mais como os outros é uma Estoria boa e que vale a pena ler, pois as mensagens que esses livros nos traz são sempre muito positivas.
      Bjocas!!

      ResponderExcluir
    3. Já li várias resenhas deste livro e quero muito le-lo em breve
      Este livro me parece ser leve e divertido e abordar o câncer da mesma forma, tal como ACEDE.
      Acho que se está doente estes livros não seriam legais... mas como eu passei por isso (eu não tive câncer, mas minha mâe e foi dureza) acho que vale depois que passa.

      Os personagens são interessantes em Zac e Mia (eles são interessantes) demais e acho que encarar a doença como tipo: não faça de conta que vc tá bem, a vida é uma droga às vezes é legal.
      Vc tem que abraçar a pessoa e chorar e dizer eu não quero que vc morra.
      Câncer é uma merda gente, nada legal!
      Adorei a resenha e quero ler este livro sim!

      ResponderExcluir
    4. Vitória, já vi alguns comentários muito positivos sobre esse livro e devo dizer que ele tem estado em minha lista de leituras a algum tempo, mas até hoje ainda não o li, infelizmente. Amei a resenha, você nos mostrou o quanto a história parece ser emocionante e como faz com que o leitor reflita sobre vários aspectos da vida.
      Bjs!

      ResponderExcluir
    5. parece muito tocante a historia...mas muito culpa da estrelas...autores existem outas doencas sem ser cancer kkk.parece umaromance adolecente emocionante..curiosa pra ler...bjs

      ResponderExcluir
    6. VIC!
      Um sicklit e ando fugindo de livros que me entristeçam com suas doenças.
      ”Uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida.”(Sócrates)
      cheirinhos
      Rudy
      http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
      Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

      ResponderExcluir
    7. Como você, eu também adoro o gênero sick-lit. Sempre acabo me emocionando e aprendendo um pouquinho com cada personagem que conheço. Este livro em particular me interessa principalmente pela incógnita que é a Mia, acho que seria interessante acompanhar a evolução dela por conta da amizade com o Zack. A capa é linda mesmo, todos os detalhes combinam perfeitamente entre si e a escolha de cores foi muito bem feita!

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!