• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Leitura da Vic: Sem olhar para trás, Lycia Barros - @editoravalentina

    O novo romance da escritora Lycia Barros narra um drama super comum da sociedade ao longo dos séculos. Um mal que acomete, principalmente, as mulheres. Afinal, quando coagidas, agimos de forma equivocada e facilmente somos influenciadas por nossos medos. No entanto, muitas vezes o sofrimento é o melhor remédio para acordar o espírito. E sempre há tempo para refazermos a nossa trajetória, onde algo surpreendente pode estar nos esperando no fim da linha. Esse é o foco da história de Agatha: é preciso força para recomeçar. As cicatrizes ficam, mas a força de reação é maior.
    Titulo: Sem olhar para trás
    Ela recorreu ao amor de DEUS e venceu o ódio e a violência

    Autor (a): Lycia Barros

    Ano: 2016

    Páginas: 256

    Editora: Valentina



    Fiquei muito feliz quando vi que teria lançamento da Lycia agora em agosto. Então, não é para menos que escrevo essa resenha mega feliz!!! Para quem não conhece os livros da Lycia, leia com bastante atenção e carinho essa resenha de mais um livro fantástico dela. Esse é aquele para ir para a mesinha de cabeceira, sem mais!

    Descobrir que sua tia tinha deixado uma casa de herança para ela, era tudo que Agatha precisava para fazer as malas. Depois de pensar muito e fazer tudo para não ser descoberta, Agatha resolveu dar um basta nas agressões sofridas em casa pelo seu marido e fugiu para Rio Preto com seu filho. 

    Recomeçar! Era essa a palavra. Ela e Gabriel precisavam de paz. Ela sabia que não seria fácil; uma cidade pequena onde todos sabem de tudo, um estilo de vida diferente do que ela vivia no Rio... mas, acima de tudo, ela precisava  estar em segurança. Principalmente depois que Gabriel também acabou virando vitima das agressões do pai.

    A adaptação de inicio não foi fácil. Muitos anos tendo uma vida estável no Rio, ela nunca se imaginou vivendo em uma casa com o telhado com problemas e tendo que lidar com milhares de goteiras a noite. Ou até mesmo, que ela teria galinhas e porcos para cuidar. E que a sua tia não só deixou uma casa, e sim uma fonte renda: a fabricação de queijos. E, é claro, que ela tinha que aprender tudo passo a passo. Porém, Agatha não é o tipo de mulher que reclama, e por tudo o que ela viveu, ela só fez agradecer. Ela tem uma casa para dizer que é dela, está trabalhando, e o melhor: longe do marido, e com seu filho são e salvo.

    “- Talvez. Mas quando me dei conta das consequências que enfrentaria por conta disso, já era tarde demais para voltar atrás."

    É claro que na história de adaptação sempre tem aqueles anjos que dão uma mãozinha, e se precisar até o braço todo. É o caso da dona Gema, uma senhora engraçada, que fica a todo tempo dando uma de cupido, e seu marido, Seu Pedro, que é um homem muito honesto e trabalhador, que sempre cuidou muito bem do sitio para a tia de Agatha, e agora continua fazendo seu trabalho e, às, vezes até mais que isso.

    Agatha não foi para Rio Preto para arranjar nenhum amor, mas como essas coisas não se pode controlar e acabam acontecendo nos momentos mais confusos da nossa vida, Vicente apareceu montado em um cavalo, e lhe arrancou suspiros desde o primeiro encontro - Quase um príncipe, confesso rs.

    Gabriel, filho da Agatha, é um menino esperto, que já sofreu muitas coisas por causa do pai, e creio que por isso ele é bem mais maduro do que outros meninos da sua idade. Apesar de toda as mudanças que aconteceram na sua vida, Gabriel finalmente está em paz. O menino realmente está podendo ser criança... Aprendendo a cuidar e andar a cavalo, passa o dia todo gastando muita energia, e sua casa agora fica cheia de amiguinhos.

    "Que tipo de menino criado numa cidade grande, com todos os recursos, encararia aquele casebre decrépito como uma benção? Um menino infeliz, com certeza. Um menino que passara a vida inteira com muito medo, mas que agora via alguma esperança no fim do túnel."

    Apesar deles estarem aproveitando muito a nova vida, nem no lugar mais longe do Rio eles estão a salvo de Bruno Albuquerque. O ex marido de Agatha é filho de um dos homens mais ricos do Rio e nunca mediu esforços para fazer todas as vontades do filho e esconder todas as suas aprontações com dinheiro. E a fuga de Agatha não só atiçou a ira do pai do seu filho, como também de toda a sua família, e eles não vão se dar por vencidos até encontrá-la...

    Agatha é uma mulher forte. Uma sobrevivente em meio a tantas histórias que vemos ai de mulheres que sofrem violência em casa. Sair da zona de conforto e se aventurar em uma cidade na qual ela não conhecia ninguém, com poucas condições financeiras e ainda com uma criança, não é fácil. Mas posso dizer que a Agatha tirou de letra! Ela se adaptou tão fácil, não por amar aquilo, e sim porque é muito esperta...Uma questão de sobrevivência.

    Gabriel  também é um amor de menino. Teve horas que eu percebi que um menino tão novo não teria certas atitudes, e deu uma vontade de apagar todas as coisas ruins que ele passou para ele voltar a ser uma criança da idade dele.

    "Seu coração, havia muito tempo, estava preparado exclusivamente para lutas e decepções."

    Um destaque muito especial para a dona Gema e Seu Pedro, que é o casal sensação do livro. Um pai e uma mãe para a Agatha. O mais engraçado é a Dona Gema tentando juntar ela e o Vicente. Dando uns puxões de orelha, umas indiretas (bem diretas, por sinal), dando uma ajudinha ali, outra aqui... Ela é uma figura!

    O relacionamento da Agatha e do Vicente é algo que se encaixa. Não sei se o Vicente se apaixonou primeiro pela mãe ou pelo filho.... mas a única coisa que tenho certeza é que ele entendeu muito bem toda a situação sem ao menos ela dizer uma palavra. Ele ajudou, deu forças, fez ela crer que realmente podia vencer e passar por essa fase, e que ela não conseguiria vencer se não acreditasse que ela era capaz. Eu acho que não existe amor maior do que esse, ter alguém ao seu lado que te apoie e te incentive a subir, a acreditar no seu potencial, lhe dar forças para ganhar. É isso que o Vicente fez com ela, e eu não preciso nem dizer o quanto eles são lindos juntos.

    A fé em Deus está sim presente no livro, como tudo que a Lycia escreve. Ela não prega religião, igreja, nem nada disso. Ela prega o amor! A importância da oração e como sempre conseguimos sair de situações difíceis tendo fé.

    Minha ressalva é sobre um ponto crucial do livro que deixou sem explicação. Uma  ponta que não foi amarrada corretamente, que me fez reler várias vezes para entender se a autora explica o que aconteceu.

    A capa é linda, diagramação e revisão impecável. Eu particularmente amo a editora Valentina, e juntamente com a Lycia, deu um casamento perfeito. Que dure a vida toda, ok?

    Não posso deixar de comentar sobre o tema, que é o segundo livro seguido que leio por sinal, que é real. Mulheres, denunciem, não deixem esses monstros sem punição... e a culpa nunca é de vocês!

    Livro mais do que recomendado. Espero mais livros da Lycia, porque dessa mulher eu leria até a sua listinha de supermercado <3


    Assistam o book trailer do livro aqui


    “-Tenha fé. – Marcos tocou seu ombro. – A fé é a certeza das coisas que se esperam, não das que se veem. ”





    6 comentários :

    1. A violência doméstica é um assunto muito delicado, existem diversos fatores que fazem com que as mulheres que sofram ou já sofreram algum tipo de violência em seu lar se calem. Achei o tema muito pesado, porém é super importante falar sobre o assunto, seja por meio de propagandas, livros, informativos e tudo! Super quer o ler!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Adriana!

        A Lycia foi muito sábia na escolha do tema. Realmente é um ema bem pesado, mas por incrível que pareça, a autora deixou a história leve. A personalidade da personagem, e a forma que ela enxerga a vida deixou tudo com um toque de doçura.

        Leia mesmo, e conte para nós!

        Beijos, Vic.

        Excluir
    2. Eu nunca li nada da autora, e esse tema de violência contra a mulher é muito pertinente, mas confesso que essa pitada de religião me desanimou muito, não gosto de livros que tocam nisso.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Josiane!
        A religião que é presente no livro tem mais relação com a fé do que outra coisas. Ela não prega nada... realmente é algo muito leve.

        Dê uma chance!

        Beijos, Vic,

        Excluir
    3. Olá.
      Muito boa sua resenha. Esse livro trata de um tema forte, reflexivo e triste, mas acima de tudo, real! Não é um estilo de leitura que eu goste de ler, então passo a dica. Mas estou consciente da importância do mesmo e tenho certeza que é uma boa leitura. Abraços.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Marcia!

        Muito obrigada, e realmente o tema é fantástico. É uma pena, mas quem sabe um dia te agrade, né?

        Beijos, Vic.

        Excluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!