• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Estante da Tata: The Kiss of Deception, Mary E. Pearson

    Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro?
    Quando se vê refugiada em um pequeno vilarejo distante o lugar perfeito para recomeçar ela procura ser uma pessoa comum, se estabelecendo como garçonete, e escondendo sua vida de realeza. O que Lia não sabe, ao conhecer dois misteriosos rapazes recém-chegados ao vilarejo, é que um deles é o príncipe que fora abandonado e está desesperadamente à sua procura, e o outro, um assassino frio e sedutor enviado para dar um fim à sua breve vida. Lia se encontrará perante traições e segredos que vão desvendar um novo mundo ao seu redor.
    O romance de Mary E. Pearson evoca culturas do nosso mundo e as transpõe para a história de forma magnífica. Através de uma escrita apaixonante e uma convincente narrativa, o primeiro volume das Crônicas de Amor e Ódio é capaz de mudar a nossa concepção entre o bem e o mal e nos fazer repensar todos os estereótipos aos quais estamos condicionados. É um livro sobre a importância da autodescoberta, do amor, e como ele pode nos enganar. Às vezes, nossas mais belas lembranças são histórias distorcidas pelo tempo.
    The Kiss of Deception
    Crônicas de Amor e Ódio # 1
    Ano: 2016 
    Páginas: 406
    Editora: DarkSide Books
    O suspense nesse livro estava me deixando doida.

    Entendam o meu problema.

    Eu sou o tipo problemático de leitora que SEMPRE tem uma queda para personagem com um caráter dúbio ou que tem um ar sombrio e essa coisa toda. Dou mais preferência ainda se ele tiver cabelo preto.


    Tipo Rhysand, minha gente. Eu queria aproveitar a oportunidade e deixar aqui registrado para a posteridade que eu estava no Team Rhys desde a primeira aparição dele, DESDE A PRIMEIRA e Tamlin sempre foi uma droga.

    Só digo verdades!

    Se você leu Corte de Espinhos e Rosas e então leu Corte de Nevoa e Fúria que nem eu (amo amo amo essa serie e super recomendo por sinal), você vai entender a referência.

    Se você leu a trilogia Grisha, entenda que eu era a pessoa que torcia pelo Darkling.

    Mas porque eu sou assim? Eu não sei minha gente, eu só sou.

    Mas voltando ao livro da resenha, a questão aqui é que você não sabe quem é quem nessa bodega e isso fez uma bagunça bem-feita na minha cabeça.

    O livro conta a história da Lia, uma princesa e uma primeira filha de uma primeira filha. No mundo do livro, primeiras filhas de primeiras filhas possuem a capacidade de desenvolver poderes e por causa disso elas são muito valorizadas.

    A Lia é então obrigada a se casar com o príncipe de outro reino, um príncipe que ela nunca conheceu, mas que é a chave para o equilíbrio político entre os reinos. Mas, no dia do casamento, ela consegue fugir e nunca olha para trás.
    Aquele era o dia em que mil sonhos morreriam e um único sonho nasceria

    E é aí que a coisa pega.

    Logo depois da fuga, dois homens são mandados atrás da princesa perdida. Um príncipe abandonado no altar que procura a noiva que teve a audácia de fugir e um assassino enviado por um reino rival para matar a Lia.
    Eu encontrarei você.No recanto mais longínquo, eu encontrarei você

    O livro é narrado na visão da Lia e, algumas vezes, na visão do Príncipe e do Assassino, mas sem citar nomes.

    E esse é o problema, minha gente. Você não sabe quem é quem, não sabe por quem você torce, mas você sabe as consequências de escolher um favorito.

    Reparem nas opções:

               - Você vai gostar do assassino e ele no final é do mal mesmo e você quebra a cara.
                   
              - Você vai torcer pelo príncipe, mas ele no final vai ser um imbecil e você quebra a cara.

              - Os dois são imbecis no final.

              - Os dois são legais, mas você torce por um cara muito mais e ela acaba com o outro.

           - Ela fica com o cara que você gosta e ele é legal de verdade (essa opção eu coloquei como piada).

    Quando eu li a sinopse pela primeira vez, SEM LER NENHUMA PAGINA DO LIVRO (sou dessas), eu já estava torcendo pelo assassino. Ela se apaixonar pelo assassino e ele mudar de lado soa muito mais legal na minha cabeça do que ela gostar do príncipe e ele ser, bem, príncipe da Disney.

    E por causa dessa minha tendência, eu estava morrendo de medo de ler esse livro, gostar do personagem errado e quebrar a cara.

    Mary E. Pearson jogou bonito com as minhas emoções e a minha cabeça. Tinha momentos que eu pensava que XXXXXXXX era o príncipe e aí eu lia mais 5 páginas e começava achar que ele era o assassino e ai depois achava de novo que era o príncipe.

    Eu nunca tinha lido um livro assim. Principalmente YA. Geralmente o interesse romântico é apresentado no começo do livro e independente do que aconteça na história, você sabe que a mocinha vai ficar com ele no final em quase todas as vezes (menos nos livros da rainha Sarah J Maas).

    Então foi muito interessante isso, você estar quase tão perdida na situação quanto a protagonista. Foi interessante também ter esse mistério sobre a identidade dos personagens por cima da história central, história essa que, por sinal, tem bastante politica e várias intrigas.

    O livro tem um ritmo mais lento que pode deixar alguns leitores frustrados, mas o final compensa tudo de forma espetacular.

    A Lia como protagonista é incrível, ela é uma mulher forte e de atitude em um mundo extremamente machista. Ela é tudo que uma protagonista feminina deve ser. Ela comete erros e possui dúvidas, mas não importa o que aconteça, ela luta pela sua liberdade e, acima de tudo, pelo direito de ser quem ela é, de ter uma identidade e individualidade.

    Pra variar, eu gostei muito e quase que igualmente do príncipe e do assassino. Eles são personagens muito bem construídos e eu amei a evolução deles durante o livro.

    O livro faz parte de uma trilogia, o segundo foi lançado este mês aqui no brasil e se chama The Heart of Betrayal. O terceiro e último livro tem previsão de lançamento para o primeiro semestre do ano que vem.

    12 comentários :

    1. Olá, cada resenha de leio deste livro fico ainda mais interessado em lê-lo.
      P.S. Também tenho uma queda por os personagens darks/góticos/trevosos. Beijos.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Bate aqui colega!

        Personagens darks/góticos/trevosos são os melhores haha

        Excluir
    2. Tata!
      Fui e voltei em sua resenha e acredito que o livro deva ser assim também, sem podermos identificar quem realmente é quem e aumentando a curiosidade até chegar ao final.
      É um livro meio quebra cabeças e deve ser muito bom de ler.
      “Para saber uma verdade qualquer a meu respeito, é preciso que eu passe pelo outro.” (Jean-Paul Sartre)
      cheirinhos
      Rudy
      http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
      TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Isso Rudy!! É como se o livro fosse um quebra cabeça..Ele vai te dando pequenas dicas aqui e ali e te deixa meio doida para descobrir como acaba haha

        Excluir
    3. Olha eu falando desse livro outra vez, hahaha. Como falei no dia do clube, eu achei que este livro foi uma preparação para o segundo livro da série. Porém, não tira o mérito da escrita deste livro. Não dei cinco estrelas pois o livro foi bem parado até a metade, mas foi algo bem diferente do que costumo ler.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi Pri! Então, eu concordo que ele é uma preparação para a historia verdadeira que vai ser provavelmente apresentada no segundo livro.. Mas mesmo sendo um livro ''introdutório'' ele tem muito valor, como vc mesma disse.. Eu amei a temática dele e a forma como a autora desenvolveu os personagens é incrível!

        Excluir
    4. Olá!
      Amei a resenha! O enredo da obra é excelente, cada vez me animo mais á conhecer a escrita...
      Parabéns!
      Bjs

      ResponderExcluir
    5. Oi, Tata!
      Que ótima a sua resenha! Cada vez mais, tenho certeza, de que vou amar essa trilogia!
      Tenho esse livro na estante e pretendo ler nesse mês de dezembro. Quero comprar o segundo livro ainda por esses dias, para fazer uma leitura em sequencia.
      A capa é linda e a premissa me conquistou desde sempre!
      Beijos.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi Marcia! Que bom que você gostou! Essa trilogia é bem interessante e bem diferente do que eu tenho visto nos últimos tempos então super acho que vale a pena fazer uma maratona e ler os dois em sequencia.. O meu exemplar do segundo livro chegou esses dias e estou planejando ler ele logo..

        Excluir
    6. Sou como você, tenho uma super queda por personagens que tem um um ar sombrio, é como se as trevas me chamassem hahahaha. Tenho muita curiosidade com essa série, mas uma coisa que não sou muito chegada é essa coisa de triangulo amoroso, me deixa com preguicinha.
      Um abraço!

      http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Bate aqui colega!! hahah As trevas sempre me chamam tb e não tenho vergonha de admitir isso hahahaahah

        Excluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!