• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Leitura da Drica: Bunker, Kevin Brooks - V&R Editoras

    Seis pessoas capturadas e trancafiadas em um bunker, sem contato algum com o exterior. Seis vidas, seis personalidades que poderiam jamais se cruzar, passam a coabitar o mesmo espaço. Linus, um adolescente de 16 anos; Jenny, uma menina de 9 anos; Fred, um dependente químico; Anja, uma mulher elegante e atraente de aproximadamente 30 anos; William Bird, um executivo de 38 anos e Russell Lansing, um físico de 70 anos com a saúde debilitada. Câmeras e microfones registram qualquer movimento das seis vítimas. Não há portas nem janelas. Masquem os observa? Por que eles foram os escolhidos? É através do olhar de Linus, o primeiro capturado, que adentramos esse lugar. Os registros em seu diário delineiam a perturbadora arquitetura do bunker – espaço intransponível em que a humanidade é colocada à prova, numa espécie de voyeurismo sádico, bárbaro e impiedoso.
    Bunker
    Diário da Agonia
    Kevin Brooks
    Ano: 2015
    Páginas: 272
    Editora: V&R Editoras



    Pense em um livro que te tira do seu lugar de conforto! Bunker é um deles!

    Bunker, como o seu subtítulo diz, é narrado como um diário pelo Linus, que vê sua vida se transformar em um inferno de uma hora para outra.


    Linus é o nosso narrador que, depois de tentar ajudar uma pessoa na rua, se descobre preso, sozinho, em uma espécie de bunker, uma espécie de abrigo anti guerra, subterrâneo e com grossas paredes de concreto, cuja única ligação com o mundo exterior é um elevador.

    À princípio, Linus acredita que foi sequestrado. Afinal, seu pai, com quem tem um relacionamento difícil, é um homem bastante rico, apesar dele preferir morar nas ruas. Mas esse argumento cai por terra quando Linus descobre que tem companhia: uma garotinha de cerca de 10 anos.
    "O que eu sei? Sou apenas um garoto. Tenho 16 anos. Não sei nada sobre cuidar de gente. Ninguém jamais cuidou de mim, a não ser eu mesmo."
    Com o passar das horas, que parecem intermináveis, dos dias e meses, os dois se tornam próximos e Linus assume o papel de protetor da pequena. Mas as surpresas continuam a surgir, até que temos 6 pessoas sem nenhum vínculo anterior vivendo no bunker.

    A única certeza é que eles estão sendo observados por alguém com uma mente doentia. Aos poucos, eles descobrem como pedir por comida e outros itens, apesar de serem negados quaisquer meios de contato com o mundo externo e remédios. Criam meios de manter o mínimo de privacidade, mas são severamente punidos em caso de tentativa de escapar do bunker.
    "O engraçado é que, quanto mais eu sinto pena de mim mesmo, menos perigoso isso tudo parece. Sim, é uma droga. É injusto. É inacreditável. É insuportável... Bem, não, não é insuportável. Nada é insuportável. Insuportável significa algo que você não é capaz de aguentar. Algo que mata você. Se não mata, então você aguenta. Não é assim? Não pode ser insuportável. Enquanto eu estiver vivo, estou suportando isso. E, mesmo que isso me mate, pouco vai me importar. Vou estar morto mesmo. Não vai haver mais nada para aguentar. A menos, é claro, que exista mesmo um lugar chamado inferno."
    O universo criado por Kevin Brooks é intrigante e desafiador! Não conseguia largar o livro para tentar entender a mente sádica desse observador e seus objetivos. Me peguei criando mil teorias e possibilidades para explicar os seus sequestros e o confinamento, achei que teria mil possibilidades...

    Mas não se empolgue... Se você espera respostas, como eu, terminará essa leitura com a sensação de que o final aconteceu naquele momento em que você resolveu ir na cozinha beber água! 

    A história é boa? É ótima! Vale à pena a leitura? Vale sim, você vai refletir, se questionar, sair da sua zona de conforto. E o final? Me decepcionou.

    Bunker traz uma história forte, com detalhes bem cruéis, sem aliviar ou colocar panos quentes. Você verá seres humanos levados ao seu limite, seja ela físico ou psicológico. Em alguns momentos, ele chega a te desestabilizar e te faz questionar a natureza do ser humano e suas nuances, quem você realmente é quando exposto a situações extremas.


    Apesar do final, recomendo a leitura pra que você me ajude a entender a mente de um louco, ou será que ele não é louco?


    10 comentários :

    1. Ai Drica já tava me empolgando pra ler, e o final é um balde de água gelada. Fiquei muito interessada pela história, mas odeio final mal construído. Mesmo que aconteça uma continuação, acho que finais precisam ser bem trabalhados. Amo Thrillers psicológicos, mas eles precisam me conquistar por inteiro.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Pois é, o livro tinha tudo p dar certo. Daria até um super filme.

        Excluir
    2. Olá!
      Nunca tinha ouvido sobre a obra, gostei bastante do enredo, espero conseguir ler em breve, vou anotar aqui na listinha...
      Bjs!

      ResponderExcluir
    3. Drica!
      Já gostei porque o livro é escrito em forma de diário.
      E se nos tira da zona de conforto e nos faz refletir, ainda melhor, deve ser uma boa leitura, embora pareça um tanto cruel.
      “Só a mágoa deveria ser a instrutora dos sábios; Tristeza é saber.”(George Lord Byron)
      cheirinhos
      Rudy
      http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
      TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Sim, Rudy, tem algumas cenas bem fortes. Mas mexe com o que você acredita.

        Excluir
    4. Olá,essa sinopse já me deixou arrepiado e DESESPERADO para ler o livro (que parece ter uma carga emocional muito forte). Beijos.

      ResponderExcluir
    5. Oi, Drica! Tudo bem?
      Quando li a sinopse, fiquei bem curiosa. Mas apesar de ser um enredo que prende a atenção e um estilo de leitura que eu gosto, fiquei decepcionada por não ter um final bem explicado. Não gosto de leituras assim. A leitura tem que me conquistar por completo. Dessa vez, deixo passar a dica.
      Sua resenha, como sempre, muito bem elaborada. Obrigada.
      Grande beijo.

      ResponderExcluir
    6. Nossa, esse livro parece ser aquele tipo que embrulha o estômago na hora de ler (pelo menos pra mim que sou bem fraca pra suspense). Porém, a intensidade da história é suficientemente boa para dar aquela curiosidade.
      Um abraço!

      http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!