• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Leitura da Drica: Boneco de Pano, Daniel Cole

    O polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano.
    Enquanto Wolf tenta identificar as vítimas, sua ex-mulher, a repórter Andrea Hall, recebe de uma fonte anônima fotografias da cena do crime, além de uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf.Agora, para salvar a vida do amigo,
    Emily precisa lutar contra o tempo para descobrir o que conecta as vítimas antes que o criminoso ataque novamente. Ao mesmo tempo, a sentença de morte com data marcada desperta as memórias mais sombrias de Wolf, e o detetive teme que os assassinatos tenham mais a ver com ele – e com seu passado – do que qualquer um possa imaginar.
    Com protagonistas imperfeitos, carismáticos e únicos, aliados a um ritmo veloz e uma deliciosa pitada de humor negro, Boneco de Pano é o que há de mais promissor na literatura policial contemporânea.
    Boneco de Pano
    Um corpo. Seis vítimas.
    Detetive William Fawkes # 1
    Daniel Cole
    Ano: 2017
    Páginas: 336
    Editora: Arqueiro

    Claro que depois de ler uma sinopse dessas uma pessoa que, como eu, adora CSI, Dexter, Quântico e Criminal Minds, não poderia deixar de ler.

    A história se passa na Inglaterra (que bom sair dos EUA!), e começa narrando o último dia do julgamento de Naguib Khalid, também conhecido como o Cremador, pois assassina crianças e queima seus corpos. Ele foi preso pelo detetive William Oliver Layton-Fawkes, ou Wolf, graças às suas iniciais.
    Tudo começa a desandar quando Khalid é absolvido pelo júri e Wolf o ataca descontroladamente. Detido, Wolf é considerado vítima de TPA, Transtorno de Personalidade Antissocial. Perdeu sua credibilidade e seu casamento.

    Depois de muito tempo afastado da polícia, sua ex-parceira o convoca para ajudá-la em um caso mais do especial na vida de qualquer policial: um corpo montado com partes de vários corpos. Mas o mistério não acaba aí. Quando Wolf chega ao local em que foi encontrado o corpo macabro, percebe que a mão do monstrengo aponta para o seu apartamento.

    Como se não bastasse ter que identificar seis vítimas diferentes para encontrar alguma pista do assassino, Andrea, ex-mulher de Wolf, revela que recebeu uma lista com nomes de pessoas que serão assassinadas, inclusive com data e hora.

    Mas ainda não acabou! O último nome da lista é o do próprio detetive Wolf.

    Não só o Wolf ou Emily, mas todo o departamento de polícia se envolve na investigação, fazendo um verdadeiro trabalho de equipe numa corrida contra o tempo para evitar mais mortes, identificar os corpos dos já assassinados e descobrir a identidade do serial killer. E tudo isso acontece em 17 dias!!!
    Então, temos ou não temos elementos suficientes para um super thriller???

    E Daniel Cole não nos decepciona! Ele lança mão de personagens muito bem desenvolvidos, com características bem definidas, dando a opção ao leitor de amá-los ou odiá-los. Tem uma escrita fluida que vai juntando todas as pontas, que ele mesmo deixou soltas ao longo da história, de maneira que você se pergunta como não percebeu o que está por trás de cada situação.

    Mas o livro não trata apenas da caçada policial, com maestria, Cole mostra a participação da mídia em um caso com esse, como ela pode ajudar e, ao mesmo tempo, prejudicar uma investigação policial. E como o nosso serial killer se utiliza dela, trazendo os holofotes para si, mostrando como é capaz de enganar todo um departamento de polícia.

    Mostra também a vida pessoal, muitas vezes nada glamourosa ou tranquila, de alguns dos integrantes do departamento. Destaque para o novato Edmunds que, com a noiva prestes a ter um filho, será peça chave dentro dessa confusão toda. Para mim, o melhor personagem de todos!!!

    Um dos melhores policias que já li, Cole dá show em seu livro de estreia. Será porque ele foi médico legista? Ou será porque ele também é inglês como Agatha Christie e Arthur Conan Doyle? 



    1 comentários :

    1. Dricaaaa!!! Eu tô apaixonado com esse thriller!! Já me empresta pelo amor de deus

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!