• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Livros da Gata: A Diferença Invisível


    Marguerite tem 27 anos, e aparentemente nada a diferencia das outras pessoas. É bonita, vivaz e inteligente. Trabalha numa grande empresa e vive com o namorado. No entanto, ela é diferente. Marguerite se sente deslocada e luta todos os dias para manter as aparências. Seus movimentos são repetitivos e seu universo precisa ser um casulo. Ela se sente assolada pelos ruídos e pelo falatório incessante dos colegas. Cansada dessa situação, ela irá ao encontro de si mesma e descobrirá que é autista – tem a Síndrome de Asperger. Sua vida a partir daí se transformará profundamente.

    A Diferença Invisível
    Ano: 2017 
    Páginas: 200
    Idioma: português 
    Editora: Nemo


    Sempre fui fã de gibi e agora sou viciada em HQs adultas,  principalmente aquelas com traços marcantes e boa mensagem.

    A Diferença Invisível traz, de forma sensível e delicada, um alerta sobre a Síndrome de Asperger em mulheres. Baseado na história de vida de Julia Dachez, através do olhar de sua amiga desenhista Mademoiselle Caroline, conhecemos Marguerite e acompanhamos sua trajetória rumo ao Ser Diferente num mundo cheio de exigências em relação a comportamento e "enquadramento".


    Marguerite sempre se sentiu um pouco diferente das outras pessoas porém, de repente, as pessoas a sua volta vem insistindo para que ela se adapte a “normalidade” dos grupos onde se força a interagir. Ela trabalha, vive com o namorado e segue a mesma rotina todos os dias, nada pode sair da ordem e, quando sai, ela se sente perdida. 




    Ela ama estar em sua casa com seus gatos e seu cachorro. No seu refúgio de calma e tranquilidade, sem barulhos nem multidões nem confusões. 

    Nessa parte os quadrinhos são em preto e branco, com apenas alguns poucos detalhes coloridos como o tênis dela em vermelho ou o cabelo da amiga desenhista em amarelo. Os momentos do dia em que vai crescendo sua angústia são mostrados com uma única cor como sinais de alerta onde ela vai chegando no limite. 


    A desenhista apresenta,  através dos traços, os sentimentos, as dúvidas e angústias de Marguerite sem preconceitos ou julgamentos.

    À medida em que a história avança, nossa protagonista fica mais e mais angustiada até o momento em que resolve descobrir porque age desta forma tão metódica e única. Ela acaba descobrindo que pode ter Síndrome de Asperger. Então começa sua jornada rumo a um diagnóstico e se depara com a falta de conhecimento sobre esta síndrome por parte de médicos. 

    Até o momento em que consegue confirmar suas suspeitas e é aí que tudo muda em sua cabeça. A peça que faltava no seu quebra-cabeça se encaixa com perfeição e a vida começa a ter outro sentido, os traços ganham cores e Marguerite ganha dinamismo e leveza. Começa a lutar para ser aceita do jeito que é e a procurar pessoas que a entendam.


    A HQ ainda mostra relatos de outros portadores da síndrome e como começou a pesquisa sobre ela. Além da carta da própria blogueira-autora Julie Dachez. 

    Como eu tenho uma filha com deficiência, sei muito bem qual o sentimento ao ouvir que a pessoa é normal e que deve se encaixar nos padrões exigidos pela sociedade sob risco de ser excluída. 

    Parabéns às autoras pela iniciativa e viva a diferença!

    Achei fantásticos a capa e o título, passando ao leitor a ideia exata do livro. 

    Beijos, Myl


    28 comentários :

    1. Oi My, a ideia é realmente muito e é uma forma de nos fazer aprender um pouco sobre essa síndrome, e achei legal o fato que ela busca ser aceita do jeito que é e procurar pessoas que a entendam, a mensagem inserida na história é ótima. Amei a dica ;)

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. tambem achei fantástica a mensagem e o alerta. Beijos,Myl

        Excluir
    2. My, eu conheço pouco sobre a Síndrome de Asperger e acredito que lendo a história, irei me aprofundar mais sobre o assunto. Achei importante como a autora criou os traços para abordar a síndrome. Definitivamente, é um livro que não posso deixar de ler.
      Bjos!

      ResponderExcluir
    3. My!
      Também era fã dos gibis (e ainda sou...) e agora das HQs.
      Muito bom ver uma síndrome como Asperger ser narrada através dos quadrinhos de traços um tanto primitivos, porém com expressão profunda sobre os sentimentos e 'tiques' de quem tem a doença.
      Gostei muito e queria ler.
      “Bendito seja eu por tudo o que não sei, gozo tudo isso como quem sabe que há o sol” (Fernando Pessoa)
      Cheirinhos
      Rudy
      TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
      http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    4. Olá!
      Ainda não conhecia essa HQ e gostei muito da premissa. É muito legal e interessante ler sobre essa síndrome.
      Vou anotar a dica (:
      Beijos

      ResponderExcluir
    5. Nunca li uma HQ sabia? Mas fiquei curiosa em relação a essa obra, quem sabe eu não comece por ai?
      Achei o tema bem bacana, essa questão da personagem descobrir que tem essa síndrome é bem interessante.
      Não li nada a respeito ainda! Mas me parece que esse relato da síndrome, em forma de ilustrações, está bem completinho.
      Um tema delicado, que merece mesmo ser abordado.
      Beijos
      Caroline Garcia

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. ela relatou de forma bem clara e sem exageros...eu gostei muito...beijos,myl

        Excluir
    6. HQ's não fazem meu estilo de leituras, achei interessante este livro abordar a Síndrome de Asperger em mulheres, e apesar de eu não ler HQ's, eu leria este livro, pois achei interessante a história, gostei muito da sua resenha e adicionei este livro em minha lista de leituras.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. dê uma chance às HQs e vai se apaixonar. beijos,myl

        Excluir
    7. Interessante como a autora revela o dia a dia de uma pessoa com Síndrome de Asperger no HQ. É uma doença que raramente ouço falar e sei pouco, ou talvez nada sobre ela, e fiquei muito interessada na história. Quero ler!
      Beijos!

      ResponderExcluir
    8. Boa noite!
      As HQs da Nemo me encantam! São sempre diversificadas e interessantes.
      Essa, em especial, parece ser super sensível e importante, tratando de uma doença tão pouco conhecida.
      Ansiosíssimo para conhecer a história da Marguerite.
      As ilustrações estão perfeitas.
      Abraços.

      Livroterapias

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. oi,Dan...Foi das HQs que mais gostei de ler este ano...Beijos,myl

        Excluir
    9. Oi Myl!
      Que interessante. Adorei a proposta da HQ. É sempre bom falar sobre assuntos tão importantes e que poucas pessoas se interessam.
      Adorei os contrastes de cores que as autoras fizeram.
      Fiquei curiosa pra saber um pouco mais sobre a Marguerite.
      Obg pela indicação!
      Abc

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. sim ,acho que deveriam ter mais HQ assim pois a gente pode se ajudar e ajudar quem tem dificuldades....beijos,myl

        Excluir
    10. Oi.
      Sempre amei revistas em quadrinhos, mas ainda não tenho experiência com HQs adultas. Mas tenho visto tão boas indicações, que não tem como não ter vontade de ler.
      A mensagem dessa HQ é bem importante e a leitura deve ser muito boa mesmo.
      Dica anotada.
      Beijos.

      ResponderExcluir
    11. Oiiii , eu gosto bastante de Hq's e esse me interessou bastante, a mensagem do livro é muito interessante, e é aquele livro que todo mundo precisa ler para entender mais kkk adorei o contraste das cores e a forma que elas são usadas ai, eu não sei muito sobre essa doença, oq me deixou mais curiosa em relação ao livro. Quero ler com certeza.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. raquel ,tenho certeza que vai gostar. Ela aborda o problema de forma bemm leve e facil de entender....beijos,myl

        Excluir
    12. Olá!
      Que legal, gostei muito da ideia da autora aborda essa deficiência em um HQ e bem interessante. Gostei muito livro e foi uma iniciativa maravilhosa!

      ResponderExcluir
    13. Hey,

      Nunca li nenhum HQ nem me interessei para ler, até essa resenha, que capa linda e as imagens mais a premissa me apaixonei completamente *-*

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. que bom...depois que ler o primeiro vai ficar viciada...beijos,myl

        Excluir
    14. Amei a premissa desta estória, e por demonstrar de forma leve esta síndrome, se expressando através dos contornos e das ilustrações da HQ, alguns dos sintomas presentes de forma clara, e objetiva. Ainda não li a obra, mas apenas pela sua resenha pude perceber o quanto a autora conseguiu fazer com que nos leitores entendêssemos o que a personagem estava passando, super me interessei por esta leitura.

      Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
      http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!