• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Lendo com a Dani: Belleville, Felipe Colbert


    Se pudesse, Lucius aterrissaria em 1964 para ajudar Anabelle a realizar o grande sonho do seu falecido pai! De quebra, ajudaria a moça a enfrentar alguns problemas muito difíceis, entre eles resistir à violência do seu tio Lino. Claro que conhecer de perto os lindos olhos verdes que ele viu no retrato não seria nenhum sacrifício...
    Sem conseguir explicar o que está acontecendo, Lucius inicia uma intensa troca de correspondência com a antiga moradora da casa para onde se mudou. Uma relação que começa com desconfiança, passa pelo carinho e evolui para uma irresistível paixão – e para um pedido de socorro...
    Belleville
    Autor: Felipe Colbert
    Editora Novo Conceito (2014)
    304 páginas


    Belleville, estava na minha lista de desejados desde o lançamento, em 2014, pela semelhança com o filme A casa do lago, a capa linda e o romance impossível por conta das décadas entre o casal.

    Peguei o livro com ansiedade, para matar minha curiosidade; e medo do desenrolar da trama. Afinal, com um plot deste, tudo pode acontecer! Para melhor ou pior. E só lendo para saber qual caminho o autor tomou!

    Então... já tinha lido deste autor outro livro! E dos dois, Belleville foi o melhor!

    "Para continuar - Quando o amor acontece, uma luz se acende", a capa com lanternas, esse subtítulo, tinha que ler! E nossa, o Colbert me conquistou. Foi fofo, foi emocionante, até mesmo intenso! 

    Agora vamos falar de Belleville


    Os capítulos têm o ponto de vista do Lucius e da Anabelle, o que para mim já é um bônus, entender o que cada um estava sentindo, vivendo.

    Lucius vai morar na casa abandonada, quase caindo aos pedaços na parte rural da cidade, apesar dos sons assombrosos, tem um terreno enorme e, como bom alpinista (graças à academia), vai logo escalando até o telhado e vê algumas estacas posicionadas de maneira curiosa.

    Assim que pode, o rapaz descobre que é um projeto de montanha russa.

    Numa tacada de sorte. Ou destino. Talvez acaso? Quem sabe até mesmo os deuses! Uma simples coincidência?



    Lucius encontra uma foto de Anabelle, perto da estrutura de madeira e, ao que indica, enterrando algo. 

    Curioso,0 o rapaz vai lá e encontra uma caixa com a carta que a jovem escreveu em 1964, quando já não tinha mais esperança dela mesma realizar o sonho do seu pai de construir Belleville, a montanha russa que seu pai lhe prometeu.

    Lucius sente vontade de responder, embora não tenha boas notícias; mas o impossível acontece e tem início a correspondência entre eles.

    O Felipe Colbert teve uma escolha muito feliz com toda a trama. Em momento algum me senti desinteressada, pelo contrário, queria ler mais e mais rápido para saber como Lucius conseguiria resolver a questão financeira para dar início à construção.

    O jovem envolve um mecânico e um professor de física que acabam tendo papéis muito importantes na trama, eu gostei de cada um deles.

    E, embora na faculdade ele não tenha amigos, a estranha amizade com Anabelle neste vácuo de tempo, 50 anos entre eles, vai dando ânimo.

    Mas acreditem: nem tudo são flores e estes dois vão ter de lidar com um problema inesperado.

    E neste ponto o autor pegou meu coração e retorceu. Fiquei furiosa, triste, desesperada, numa total negação. Mas daí, decidi pensar, vou dar sorte, ele não vai dar uma de Nicholas Sparks e tudo vai ficar bem.

    Mas gente... o coração fica na boca! A curiosidade de Lucius nos contagia, a esperança. 

    A alegria de Anabelle, o amor que tem por seu amado pai, o apego com seu gatinho Tião, último laço com o genitor. Sua garra de ir em busca de emprego, sua ingenuidade.

    A narrativa de Felipe é rica em detalhes, seja em 2014 ou 1964, os cenários nos transportam para a trama. Os personagens são bem construídos e fáceis de amar.

    A troca de cartas entre os dois é mágica! Eles trocam desconfiança, elogios, lembranças e, aos poucos, surge um sentimento mais forte, tão improvável e que nos faz torcer loucamente.

    Belleville fala de sonhos, de esperança, de segundas chances. Vai acertar em cheio com as semelhanças do leitor com os personagens, quem nunca foi invisível no ambiente escolar? Ou gerou conflito sem ao menos tentar?

    Quem sabe, você, esquisito atrás da tela, não tem um papel importante na vida? Eu já fui a esquisita da escola, mas decidi que não sou o que me rotulam, não sou perfeita, mas não sou mais nem menos que ninguém. E com perseverança e muita paciência, os amigos verdadeiros aparecem.

    Felipe Colbert nos mostra que não há perfeição, que rancor não é tudo, que as pessoas merecem uma segunda chance e que uma andorinha só não faz verão, mas pode estimular outras a fazerem diferença.

    E você? Qual você acha que foi o caminho escolhido pelo autor para encerrar o livro? Será que Lucius consegue finalizar Belleville? E como resolver essa distância de cinco décadas? Como lidar com as leis da física?

    A nota só não é cinco, pois eu queria mais páginas!


    Sim, eu sou uma leitora descontrolada que sempre quer ler mais do que tem em mãos.


    16 comentários :

    1. Oi Dani!
      Nunca tinha ouvido flar desse livro, eu gostei mto, do enredo e tbm dessa mistura de sentimentos que faz o leitor sentir com o desenvolvimento da história.
      ou anotar a dica, espero ler em breve.
      Bjs

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Aline, esse livro é maravilhoso. Mexe com as emoções!
        Obrigada

        Excluir
    2. Dani!
      Inexoravelmente Felipe Colbert soube usar a ciência física, os questionamentos de viagem no tempo, as leis de Einstein a favor da construção de um belo exemplar literário, onde a leitura instiga à pesquisa dos “buracos de minhoca”, das viagens atemporais e claro, ao impulso magnético de um amor verdadeiro que transporta as barreiras de espaço e tempo, tornando possível a realização de um sonho.
      Desejo um mês repleto de realizações!
      “A música é uma revelação superior a toda sabedoria e filosofia.” (Ludwig van Beethoven)
      Cheirinhos
      Rudy
      TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

      ResponderExcluir
    3. Já tinha visto o livro e me interessado, parece ser uma leitura gostosa e agradável, fiquei muito curiosa em saber como vão resolver essa distancia de muitos anos e como as cartas chegam até eles, desperta interesse essa historia e deve deixar o leitor na torcida pelos personagens.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. É um tema maravilhoso e intrigante.
        Leia mesmo.
        Obrigada

        Excluir
    4. Não conhecia o livro e nem autor, mas parece ser uma leitura bem gostosa.
      Essas divisão de anos torna a história mais envolvente, e gosto quando podemos saber o ponto de vista dos dois personagens através da narração.

      Parabéns pela resenha.
      beijinhos
      She is a Bookaholic

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. A leitura foi mais que empolgante. Devorei o livro.
        Obrigada

        Excluir
    5. Meu Deus !!
      Que lindo o seu entusiasmo ao falar do livro !!
      Não conhecia o autor e nem o livro mas sinto agora que necessito muito le-lo.
      Confesso que estou com muito medo do final 😦. Será como as histórias do Rio Nick onde tudo acaba em tragédia ?! 😨

      Fiquei muito intrigada e curiosa com o livro.
      Quando eu tiver uma chance vou le-lo .

      Bjo

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Mich corre para ler e prepara-te para a montanha russa de emoções!
        O final você terá que ler para saber.
        Obrigada

        Excluir
    6. Li um livro deste autor já faz algum tempo, e gostei muito, sua escrita flui de uma maneira rápida, os personagens são muito construídos, e reais, o que e o mais importante, e vejo que neste livro, o autor segue este mesmo princípio, mas desta vez vamos nos deparar com uma viagem no tempo de 50 anos,. e acredito que ficamos curioso, e torcendo para que haja um final feliz, esta sua resenha me despertou bastante curiosidade, em saber qual e o desfecho desta obra.

      Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
      http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Sim, Lana, o outro livro é bom, esse é ainda melhor! hahaha.
        Fiquei numa ansiedade só para descobrir o que me aguardava na última página!
        Obrigada!

        Excluir
    7. Olá!
      Adorei a resenha, ainda não conhecia o livro e fiquei super curiosa pra saber mais.
      Parece ser um ótimo livro super envolvente <3
      Beijos

      ResponderExcluir
    8. Que livro é esse!? Que resenha fantastica! Não conhecia nem o livro e nem o autor, mas gostei da història. É interessante e que nos deixa com uma certa curiosidade.

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!