• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Um Beijo à Meia-Noite, Eloisa James

    Kate Daltry é uma jovem de 23 anos que não costuma frequentar os salões da alta sociedade. Desde a morte do pai, sete anos antes, ela se vê praticamente presa à propriedade da família, atendendo aos caprichos da madrasta, Mariana. Por isso, quando a detestável mulher a obriga a comparecer a um baile, Kate fica revoltada, mas acaba obedecendo. Lá, conhece o sedutor Gabriel, um príncipe irresistível. E irritante. A atração entre eles é imediata e fulminante, mas ambos sabem que um relacionamento é impossível. Afinal, Gabriel já está prometido a outra mulher – uma princesa! – e precisa com urgência do dote milionário para sustentar o castelo.
    Ele deveria se empenhar em cortejar sua futura esposa, não Kate, a inteligente e intempestiva mocinha que se recusa a bajulá-lo o tempo todo. No entanto, Gabriel não consegue disfarçar o enorme desejo que sente por ela. Determinado a tê-la para si, o príncipe precisará decidir, de uma vez por todas, quem reinará em seu castelo.
    Um beijo à meia-noite é um conto de fadas inspirado na história de Cinderela. Com um estilo que combina graça, encanto e sedução, Eloisa James escreve uma narrativa envolvente, com direito a fada madrinha e sapatinho de cristal.
    Um Beijo à Meia-Noite
    Contos de Fadas #2
    Eloisa James
    Ano: 2017
    Páginas: 320
    Idioma: português
    Editora: Arqueiro

    Demorei de resenhar este livro porque não sabia quantas estrelas dar, uma dúvida cruel tomou conta da minha mente depois da leitura. Simplesmente porque muitas situações me fizeram amar o livro e outras tantas me fizeram desanimar durante a leitura. 

    O livro realmente tem uma leve inspiração na Cinderela: Kate virou a parente indesejada na própria casa depois da morte do pai e depois que ele deixou toda a herança para sua madrasta. Temos, então o início do clássico, com a madrasta e a filha, fada-madrinha, “ratos”, o famoso sapato de cristal, o vestido azul, a fuga, a atração instantânea e o príncipe...

    Nossa, Mylena! Monte de referências e você ai cheia de exigência!

    Eu sei, eu sei, mas confesso que esperava o que sempre me irritou no conto original que é a presença marcante e intragável da madrasta e nesse livro, ela só aparece no início exigindo a ajuda de Kate para resolver os problemas da filha Victória. Enfim...

    Kate perdeu tudo que tinha quando seu pai morreu, mas resiliente e mesmo cansada da vida e dos desleixos da madrasta, ela luta para cuidar dos arrendatários do pai. Seu senso de proteção para com todos a fez descuidar de si própria e ter o sentimento de que perdeu a juventude.
    “ Completaria 24 anos dentro de algumas semanas e se sentia como uma velha viúva.
    Porque não percebera que não era mais curvilínea, encantadora e agradável? Quando a amargura penetrara em sua corrente sanguínea, transformando aquela menina do passado em algo tão diferente?”

    É o que ela se pergunta ao ter que ir ao baile do príncipe para ajudar Victória a se casar e que, ao contrário de Kate, se tornou popular nos bailes por sua graça, doçura e leveza. Mesmo contra a vontade, ela aceita sua sina e ainda de quebra precisa levar os cachorros ou “ratos" da irmã com ela, ao chegar no castelo de Gabriel se surpreende com tantos detalhes suntuosos.

    Gabriel é um jovem que acabou assumindo a responsabilidade de cuidar de todos que foram expulsos do castelo do irmão Augustus depois que esse virou um fanático religioso, porém a renda do castelo não está aumentando para manter tanta gente às suas custas, então ele precisa se casar com uma herdeira rica e acaba comprometido com uma princesa distante que virá ao baile para conhecê-lo, mas ao conhecer Kate e sua língua ferina além de seu jeito nada bajulador, Gabriel se encanta. 

    O que mais gosto nos livros de Eloisa James são as referências que sempre faz a Shakespeare e desta vez ela também fez uma analogia a um mito com uma história de amor trágica que acaba deixando o final do livro lindo de viver.

    Gabriel, na verdade, tem o grande sonho de descobrir se a cidade de Cartago e sua rainha Dido realmente existiram e deseja ir junto com seu professor de faculdade nas escavações que ele fará, mas seu senso de responsabilidade, assim como o de Kate com os arrendatários de seu pai, o mantem preso ao castelo.

    “ A única coisa que podia fazer era rezar para que a noiva escolhida por Augustus – provavelmente uma pessoa religiosa, cheia de pelos no rosto e tão virtuosa quanto virginal - tivesse fibra suficiente para tomar conta do castelo. Só assim poderia partir para Cartago .”

    O envolvimento dos dois é inevitável, ambos acabam se aproximando (os passeios que fazem são sempre bem românticos, carregados de sedução e fofos) e também percebendo que as faíscas que lançam juntos podem gerar um incêndio de grandes proporções e com consequências perigosas e indesejáveis para ambos. 

    Só que nada disso impede Gabriel de se apaixonar por Kate e esse amor proibido vai transbordar justamente no dia do baile, que foi onde a história mais me irritou: primeiro porque Kate sempre me pareceu uma mulher de princípios e forte e a maneira como ela se comportou meio que fez essa imagem que eu havia criado desmoronasse, uma pena; segundo porque, com a chegada de Tatiana, Gabriel mostra que seguirá com os planos impostos a ele com ombridade (tudo bem, até entendo, ele é um príncipe e tal, mas não precisava ficar tão derretido) e acaba gerando meu terceiro desgosto que foi o ponto de conflito da trama. Sinceramente, eu não consegui imaginar a cena sendo plausível para a época sugerida pelo livro mas, enfim... ela acontece e quebrou um tantão do meu encanto pela trama.

    Graças a Deus, Eloisa James se redimiu com um final mais-que-perfeito onde retoma sua analogia principal e acaba recuperando algumas das estrelas que eu tinha tirado do livro.

    Não posso deixar de trazer de volta os personagens que, para mim, foram destaque na trama que foram os cachorrinhos de Victória: Freddy, Ceasar e Coco, cada um com sua personalidade e atitudes próprias conquistou meu coração e roubou a cena. 

    Ah! E também fiquei desejando um amor para o meio irmão de Gabriel, Wick, que é braço direito do príncipe e figura marcante na história.

    Vamos falar da edição agora que está muito bonita com uma capa-referência ao conto muito bem escolhida e detalhes internos que também atrai a atenção do leitor tais como o papel de parede da parte interna, o desenho e títulos de abertura dos capítulos, folhas amareladas. Foi uma leitura interessante, mas com pontos que não me agradaram.

    Beijos, Myl.


    18 comentários :

    1. Oi My, sabe que eu gostei dessa história, até entendo os motivos que te levaram a retirar as estrelas mas eu tava tão envolvida com eles que deixei passar haha
      Uma das coisas que mais me fez gostar dessa história é que não temos uma Cinderela chorosa, que sofre muito na mão da madrasta, ela passa sim por poucas e boas, mas de cabeça erguida e isso nem é foco no livro, gostei de vê-la se divertindo e os diálogos entre eles também foi algo bem legal, super dinâmicos e envolventes e claro os cachorrinhos roubaram a cena em diversas vezes rsrs.

      Curti a resenha e o livro também *__*

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. oi,lili...isso é verdade ,Kate é forte, guerreira e decidida por isso não curti o comportamento dela de repente, isolada so esperando a boa vontade do principe e ele lá todo derretido....hehehehe

        Excluir
    2. Eu já tive algumas leituras como a sua deste livro, em que teve situações que me fizeram adorar o livro e outras me fizeram ficar desanimada durante a leitura. Gosto de histórias de contos de fadas, e este livro ser inspirado em Cinderela acabou me deixando curiosa e interessada em ler ele. Que bom que apesar de alguns pontos da história do livro não ter te agradado, o final foi ótimo, pretendo ler Um Beijo à Meia-Noite.

      ResponderExcluir
    3. My!
      Gosto muito das releituras, embora a Cinderela não seja uma das minhas favoritas...
      É a primeira resenha que leio desse livro que fala a realidade e gostei...
      Ganhei ele e estou aguardando chegar para ler!
      Bom ver que o final tem uma tremenda reviravolta...
      Desejo Um Novo Ano repleto de realizações!!
      “O objetivo de um ano novo não é que nós deveríamos ter um ano novo. É que nós deveríamos ter uma alma nova.”(G. K. Chesterton)
      cheirinhos
      Rudy
      1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Rudy! Se puder leia assim que chegar para me dizer suas impressões . Beijos

        Excluir
    4. Eu acredito que tenha sido um livro que dividiu realmente os leitores, afinal já li resenhas muito positivas e outras nem tanto.
      Eu também amo estas releituras de contos de fadas e este me chamou a atenção desde o início.
      Será que não era hora de parar com o lance da mocinha sempre sofrendo nas mãos da terrível madrasta?
      Lerei com certeza!
      Beijo

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Acho que se parar deixar de ser Cinderela. Hehehehe beijos

        Excluir
    5. Oi Mylena!
      Vi algumas resenhas negativas sobre o livro que citava exatamente esse ponto: a autora construiu uma mocinha forte, e depois mudou a imagem dela. É uma pena que alguns pontos tenham te incomodado, eu como amo releituras já estou doida para saber como vai surgir o amor entre Kate e Gabriel, para mim parece que o sentimento deles será bem real porque não vai surgir só em um piscar de olhos, e sim ser trabalhado no livro, gostei de ter essa impressão e espero que seja o que a autora fez. Esse eu quero mto ler!
      Bjs

      ResponderExcluir
    6. Não fazia ideia da história, queria ler o livro apenas pela capa rsrsrs
      Não sei se a história me agradou, parece meio enrolada. Gostei que tem cachorros pois acho que eles dão sempre um toque especial. Acho que preciso ler para tirar minhas próprias conclusões mas não estou mais tão animada quanto antes.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Claro, samantha, sempre digo que tufo depende de nosso estado de espírito e gostos. Eu estou numa vibe de coerência do personagem . Acho que tô meio chata até hehehehe

        Excluir
    7. Pela sua resenha e notório que a leitura foi agradável, mas que houveram pontos que não te cativaram. Confesso que nunca li nada neste estilo, porém a premissa até que me chamou a atenção, pela forma como o romance e conduzido, se tratando de algo proibido, além de que o cenário e algo novo para mim, e por estas razão talvez eu de uma chance a esta leitura.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. A leitura é divertida , a escritora só se perde no final . Beijos

        Excluir
    8. Olá! Esse livro já está na minha listinha a algum tempo e agora depois dessa resenha, fiquei mais curiosa ainda para ler, afinal até então, só tinha lido maravilhas a respeito da história. Gosto de releituras de conto de fadas, se bem que já li umas adaptações medonhas. Espero não me decepcionar com esse livro, passando na frente dos outros em 3...2...1.

      ResponderExcluir
    9. Desde a primeira vez que li a resenha desse livro, me apaixonei. A capa é linda e bem chamativa. Não pude ler aimda, mas tenho certeza que quando eu ler, não vou me decepcionar.

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!