• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • O casal que mora ao lado, Shari Lapena


    É o aniversário de Graham, e sua esposa, Cynthia, convida os vizinhos, Anne e Marco Conti, para um jantar. Marco acha que isso será bom para a esposa, afinal, ela quase nunca sai de casa desde o nascimento de Cora e da depressão pós-parto. Porém, Cynthia pediu que não levassem a filha. Ela simplesmente não suporta crianças chorando.
    Marco garante que a bebê vai ficar bem dormindo em seu berço. Afinal, eles moram na casa ao lado. Podem levar a babá eletrônica e se revezar para dar uma olhada na filha. Tudo vai dar certo. Porém, ao voltarem para a casa, a porta da frente está aberta e Cora desapareceu. Logo o rapto da filha faz Anne e Marco se envolverem em uma teia de mentiras, que traz à tona segredos aterradores.

    O Casal Que Mora ao Lado
    As pessoas são capazes de qualquer coisa
    Ano: 2017 
    Páginas: 294
    Idioma: português 
    Editora: Record

    Anne e Marco Conti são pais a seis meses, quando Cora nasceu. E esse período não tem sido fácil para Anne, já diagnosticada antes com depressão, atualmente sofrendo de depressão pós-parto.

    Não bastasse essa carga pesada, eles têm como vizinhos o casal perfeito, Cynthia e Graham, que não tem filhos e parecem não gostar de crianças.

    Mas a nossa história começa na noite em que Anne e Marco aceitam o convite de Cynthia para jantarem em sua casa. Como a babá não aparece e a criança não é bem-vinda, eles levam a babá eletrônica para monitorar os sons de Cora e se revezam em visitas a cada meia-hora para se certificar de que está tudo ok.

    Ainda assim, quando retornam, descobrem que a filha foi levada...
    Como Cora sumiu? Quem a levou? Por que fizeram isso? Calma, todas essas perguntas serão respondidas ao longo do livro.

    Para a polícia, todos são suspeitos, principalmente os pais.

    Pronto, a partir daí é só suspense! O leitor vai acompanhando o trabalho dos investigadores da polícia (diga-se de passagem: muito bom!), juntando peças, descobrindo intrigas, desvendando segredos, se surpreendendo com revelações, ligando pontos e tentando encontrar o culpado.

    O livro te prende pelo suspense e pela objetividade sem rodeios, mas peca na construção dos personagens e na análise dos seus motivos para o sequestro. O leitor não vai se pegar torcendo por nenhum deles, já que nem a mãe em estado de choque tem carisma. O pai parece ser um mal necessário, sem expressividade. Até o investigador, o policial Rasbach, que deveria ser o herói da história, é só mais um policial, sem mistérios e sem motivações, apenas a premissa do bom policial que deve solucionar mais um caso.


    Sendo assim, o desfecho é um pouco superficial e com detalhes desnecessários. 

    2 comentários :

    1. Que pena os personagens não terem sido mais aprofundados. Um enredo destes, no mínimo,merecia personagens mais detalhados, até para saber de fato, os motivos que levaram os pais a "abandonar" um recém nascido assim. A depressão pós parto(tão comum) e o sequestro em si.
      Este livro já está na minha lista de desejados faz um tempinho,só não tive oportunidade de ler ainda;/ mas espero poder fazer isso em breve.
      Beijo

      ResponderExcluir
    2. Olá Dri!!!
      Quando vi a sinopse fui logo prendida pela história e fiquei louca para conhecer, e olha que esse gênero não é muito dos que eu leio.
      Porém, fiquei triste em saber que os personagens são nada do mais nem do mesmo :\

      lereliterario.blogspot.com

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!