• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Apenas Amigos, Christina Lauren


    Holland Bakker foi salva de um ataque no metrô pelo musicista irlandês Calvin McLoughlin. Como agradecimento, Holland o apresenta a um grande diretor de musicais e o que era uma tentativa despretensiosa se transforma numa chance inimaginável, pois, antes mesmo de perceber, Calvin foi escalado para um grande musical da Broadway! Ou quase… Até admitir que seu visto de estudante expirou e ele está no país ilegalmente. Sem titubear, e com uma paixão crescente pelo rapaz que só ele ainda não percebeu, Holland se oferece para casar com o irlandês a fim de mantê-lo em Nova York. Conforme a relação dos dois se desenrola de “apenas amigos” a ”casal apaixonado”, Calvin se torna o queridinho da Broadway. No meio de tanto teatro e do gostar-sem-se-envolver, o que fará esse casal perceber que há muito amor verdadeiro em cena?
    Apenas Amigos
    Ano: 2018
    Páginas: 368
    Idioma: português 

    Adoro Christina Lauren na versão romance-florzinha-hot e nesse elas realmente voltaram às raízes com um formato de história mais próximo do estilo Playboy Irresistível,  misturando com Misterioso com leve pitada de Surpresa Irresistível. Resumindo elas trouxeram de volta um cara que é uma mistura sutil de Will, Oliver e Niall e uma garota que é a mistura certa de Hanna, Ruby e Lola. Só quem leu vai me entender. Perdão...

    Holland é uma jovem que ainda se sente secundária na sua própria história de vida, depois de terminar um curso de Escrita Criativa e não conseguir escrever uma palavra sequer, ela aceita um trabalho insosso, com um chefe chato, criado como favor para seu tio Robert, na Broadway. Convivendo com a música o tempo todo e percebendo suas nuances, cultiva uma paixonite pelo misterioso Calvin, sentindo em todas as suas células cada música que ele toca.

    Calvin nem repara na garota, até o dia em que tudo muda na vida dos dois. Ele agora precisa de um visto americano e Holland novamente se oferece para ajudá-lo vendo ai uma chance de aproximação com o rapaz, porém ela ainda não percebe como é importante na vida de quem a rodeia e não se valoriza aceitando viver à sombra de todos. Sua insegurança é a grande mola propulsora da trama pois Calvin consegue perceber mais nela do que apenas a garota que o ajudou a conquistar seu grande sonho, mas ela simplesmente não enxerga nada além de uma coadjuvante sem graça.

    Calvin porém guarda alguns segredos e isso, junto com a fragilidade de Holland, vão gerar várias situações surpreendentes na história. Ele, príncipe que é, precisará provar que quer mais do que aproveitar alguns momentos intensos com a doce garota que sabe reconhecer como ninguém a música que vibra forte em suas veias de músico. 

    Narrado em primeira pessoa apenas por Holland, as escritoras me fizeram mergulhar na mente e nos sentimentos delas e torcer a cada minuto que tudo desse certo no final para o casal. O que achei mais interessante foi que Christina Lauren mais uma vez quiseram mostrar a força da mulher da melhor forma, obrigando a personagem a decidir se queria sair da sua apatia e monotonia e deram a ela grandes oportunidades de criar asas e trilhar os próprios caminhos. Muito perfeito!

    Só encontrei dois probleminhas... hehehehe: 

    - Primeiro = assim como os outros três livros que citei lá no início, Apenas Amigos me deixou numa ressaca violenta, tanto que li umas 50 vezes o final e umas outras cenas lindas, tais como o auge da conexão do casal, bem ao estilo do tango do filme de Dança Comigo (filme com Richard Gere que, se você não viu, não vai entender muito bem meu pensamento, mas acredite: é perfeito tanto esta cena como a cena do livro - Momento arrepio até a alma!)

    - Segundo = assim como em Misterioso e Surpresa senti demais falta de um epilogo mostrando um pouco mais deles e mergulhei mais ainda na ressaca... Snif... Puxa, Christina Lauren, só mais umas cinco páginas? Custava nadinha e já me deixariam em êxtase por mais tempo como foi com Will. Claro que tenho esperanças que elas criem algum texto complementar e postem no blog delas como sempre fazem para alegrar os fãs. Enquanto isso fico aqui sonhando.

    Sem mais, falta apenas dizer que a capa é perfeita e original como todas as capas de livros delas e super siginificativa. Ah! Claro que não teve como não lembrar com nostalgia o filme Greencard- passaporte para o Amor.

                                                                     

    0 comentários :

    Postar um comentário

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!