• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • A Lucidez da Lenda, Raul de Taunay

    Na pequena São Bento da Ribanceira, cidade amazonense fictícia criada para ser um dos palcos de A lucidez da lenda: um ensaio sobre o futuro, romance épico passado na segunda metade do Século XXI, o ditado que diz que 'Deus é brasileiro' parece se confirmar. É ali que Ele, sob diferentes formas e em diferentes momentos, vai se comunicar com Antônia dos Anjos, uma jovem ribeirinha cuja missão será impedir a destruição da Amazônia por parte da Federação das Corporações Unidas, a mega associação de multinacionais, que com seu poderio econômico, midiático e bélico domina a Ordem Mundial. Nesse romance ambientado no futuro, muitos são os acertos do autor: i) personagens bem construídos - de Antônia dos Anjos a Jack Gorila Stealler, os principais, passando por Laráppio, Smartt, Jovelino, além dos índios Jurujunas, Ammos e Tapunuê, da revoltada Bonnie e do repórter André; ii) boas descrições de ambientes, ao estilo naturalista, sejam eles a aldeia dos Jurujunas, a mata virgem do alto Amazonas, os descampados de Brasília ou os arranha-céus de Nova Iorque e Chicago; ii1) criatividade na invenção das máquinas do futuro, sejam elas os terríveis robôs deletadores, sejam os meios de transportes, como os helijatos e foguetes propulsores individuais, o que, de maneira geral, confere um tom sei-ti à atmosfera épica; iv) trama bem estruturada e bom ritmo narrativo. Outro ponto positivo que merece ser destacado é a aguda percepção de como a conjuntura em que vivemos nessa segunda década do Século XXI caminha a passos largos para se parecer bem de perto com a que é descrita nessa ficção, o que embora não seja um prognóstico a se comemorar, certamente ajuda a chamar atenção para a já massiva onipotência dos mercados e corporações sobre o destino de bilhões de pessoas em todo o planeta.
    A Lucidez da Lenda
    Um ensaio sobre o futuro
    Raul de Taunay
    Ano: 2018
    Páginas: 408
    Idioma: português 
    Editora: Pandorga

    O que você faria se o Amazonas sofresse uma tentativa de captura? Se grandes corporações o tomassem para si, para fazer dele um país independente e extrair as suas riquezas? Para impedir que essa tragédia aconteça, o Grande Espírito usará tudo que for capaz de prevenir o pior.

    No meio da Floresta Amazônica, uma jovem é escolhida por Deus para ser a portadora das forças que combaterão o ataque da Federação. Antônia dos Anjos, uma garota simples, mas com uma grande fé, tem a missão de ir à Brasília para alertar às autoridades militares sobre a possível divisão do Brasil.

    Do outro lado, Jack Stealler, o Gorila, está com uma sede de poder que só será saciada com toda a bacia amazônica em suas mãos. Para conquistar esse feito, ele usará todo o recurso possível, incluindo matar aqueles que estiverem em seu caminho. Vice-presidente de uma das maiores empresas do mundo, a Federação, Gorila irá desenvolver um plano para tomar a Amazônia e, com isso, ter posse da maior floresta de mata virgem do planeta.

    Na sua jornada, Antônia contará com a ajuda de diversas pessoas que, juntas, se tornarão peças importantes para derrubar a Federação e manter a Amazônia livre e, além do apoio dessas pessoas, ela colocará toda a sua fé em ação para salvar aqueles que jurou proteger.

    Uma história repleta de estratégias, combates, alianças e um espírito de luta capaz de realizar as maiores conquistas, A lucides da lenda vai te mostrar uma batalha de poder cheia de tecnologia e poder divino, dois lados opostos que batalharão um contra o outro para definir o dono da Amazônia.

    A trama é de tirar o fôlego! São 400 páginas capazes de te enviar a um mundo novo, com tecnologias novas (algumas como os helijatos me deixaram muito curioso para descobrir como eles são), culturas locais e muita fé. O autor me surpreendeu em criar esse universo moderno numa região que nunca imaginei passar por tantos casos.

    A lucidez da lenda é bem descritivo, trazendo bem a definição dos personagens secundários, como André Moura, o Jornalista que junto com Antônia, vão expor na mídia o envolvimento da Federação na tomada da Amazônia. Outros personagens como o assassino Klaus Hurter, o prefeito Wilberto Laráppio e o franzino James Smartt também são bem apresentados aos leitores e, juntos, eles podem causar caos dentro do Brasil.

    Mesmo sendo um livro grande, eu esperava que tivesse mais conteúdo, pois algumas de suas grandes cenas possuem poucos detalhes, como se aquela sensação de tensão ficasse pelo ar. Foi então que descobri que a versão original (sem as revisões) tinha oitocentas páginas! Se a história fosse dividida em até dois volumes, seria muito mais incrível do que já é!

    A edição é muito bem feita, a diagramação é impecável e essa capa é perfeita! Todas essas proezas, junto com a história danada de boa que ela é, resultaram num livro capaz de te tirar do chão. A lucidez da lenda te mostrará uma nova batalha entre o bem e o mal que você nunca vai esquecer!




    0 comentários :

    Postar um comentário

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!