• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Aos dezessete anos, Ava Dellaira

    Em seu novo romance arrebatador, a autora de Cartas de amor aos mortos apresenta uma mãe e uma filha que precisam compreender o passado para poder seguir em frente.
    Quando tinha dezessete anos, Marilyn viveu um amor intenso, mas acabou seguindo seu próprio caminho e criando uma filha sozinha. Angie, por sua vez, é mestiça e sempre quis saber mais sobre a família do pai e sua ascendência negra, mas tudo o que sua mãe contou foi que ele morreu num acidente de carro antes de ela nascer.
    Quando Angie descobre indícios de que seu pai pode estar vivo, ela viaja para Los Angeles atrás de seu paradeiro, acompanhada de seu ex-namorado, Sam. Em sua busca, Angie vai descobrir mais sobre sua mãe, sobre o que aconteceu com seu pai e, principalmente, sobre si mesma.
    Aos Dezessete Anos
    Ano: 2018 
    ficPáginas: 448
    Idioma: português 
    Editora: Seguinte

    O que fazer quando seu passado se torna seu pior tormento? Em Aos dezessete anos acompanharemos uma mãe e sua filha que tiveram suas vidas modificadas na adolescência. Narrado pelos dois pontos de vista, nós entenderemos melhor como o passado influenciou a vida das nossas protagonistas.

    Marilyn, aos dezessete anos, vai morar em Los Angeles com a sua mãe. As duas já estão praticamente sem nenhum lugar para ir e precisam viver com o tio de Marilyn, um canalha beberrão e viciado em jogos. A esperança da mãe de Marilyn é que ela consiga ingressar na carreira de modelo, para se tornar uma jovem rica e bem sucedida, mas o que Marilyn quer é apenas ingressar na faculdade.

    Até que ela conhece James, o vizinho que mora abaixo de sua casa. Por ser negro, sua mãe e seu tio vão interferir no relacionamento para que os dois não fiquem juntos. Marilyn precisa ter cuidado, pois é o seu futuro que está em jogo.

    Angie, com dezessete anos, descobre uma pista sobre seu passado que pode mudar toda a sua vida. Ela cresceu sem pai, de acordo com Marilyn, ele sofreu um acidente de carro junto com o irmão. Durante toda a sua vida, Angie teve que lidar com o preconceito por ser negra e filha de uma mulher branca. Mesmo com o apoio de sua mãe, ela ainda sentia falta do amor de seu pai que nunca conheceu e, se ele estivesse vivo, ela teria mais força para combater o racismo.



    Agora Angie irá viajar para Los Angeles, junto com o seu ex-namorado para descobrir mais sobre suas origens e entender o motivo da sua mãe de não ter lhe mostrado esse lado de sua vida.

    Esse foi o meu primeiro contato com a autora e depois de ver tantas críticas positivas sobre seus livros, resolvi me aventurar em suas palavras, e o resultado foi excepcional. No início, eu achei a história um pouco lenta, mas depois que peguei o ritmo, terminei o livro num pulo. Como são dois pontos de vista, o leitor não pode se atrasar muito na leitura para não se perder entre a troca de personagem.

    Gostei bastante da construção das personagens principais, conseguimos entender as emoções das jovens e até nos apaixonamos por eles. O final me deixou boquiaberto! Mesmo a gente vivendo em 2018, sentiremos como o racismo era enorme nos anos 90 e como ele traz consequências terríveis para a vida de quem amamos.


    Mesmo tendo quase 500 páginas, não é um livro que demore a ler. As primeiras 100 páginas são um pouco lentas, mas depois o rumo da história acelera até você perceber que a história chegou ao fim. A capa é muito bonita, com tonalidades de azul e roxo que deixam a edição bem atrativa.

    Às vezes, o certo a se fazer é evitar os segredos e aceitar os passos do destino, mesmo que os finais não sejam felizes. Quanto mais tempo a mentira viver, mais dor ela causará no futuro. 


    2 comentários :

    1. Não sabia sobre este novo livro da autora, pois amei muuuuito Cartas de amor aos mortos.
      Achei legal como ela soube abordar o racismo de uma forma que toca bastante o leitor. Parece ser um livro emocionante e já estou cheia de expectativas.
      Adorei a resenha e a indicação.

      Beijinhos
      She is a Bookaholic

      ResponderExcluir
    2. Conheci o trabalho da autora com Carta de Amor aos Mortos e claro que adorei as letras dela.
      Quando este livro foi lançado recentemente, já o quis e não vejo a hora de poder conferir.
      Racismo, relação entre mãe e filha, tudo ali em pauta.
      Não é apenas a busca por respostas, mas também toda uma aceitação por ser quem é.
      Espero ler em breve.
      Beijo

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!