• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • A feiticeira do Inverno, Paula Brackston

    Um encantador realismo mágico à la irmãs Brontë
    Na cidade galesa do início do século XIX, não há ninguém como Morgana. Embora seu raciocínio seja afiado, ela não fala desde que era menina. Seu silêncio é um mistério, assim como seus dons mágicos e a má sorte que bate à porta dos que lhe fazem mal.
    Preocupada com a segurança da filha, sua mãe não vê a hora de casar Morgana, e o tropeiro Cai Jenkins, parece a melhor escolha. Após o casamento, ela logo se apaixona pela fazenda de Cai e as montanhas selvagens que a rodeiam. Suas estranhas habilidades começam a ser notadas na aldeia. Uma força maligna está agindo no local — uma pessoa que não sossegará até fazer com que todos se virem contra Morgana, mesmo à custa daqueles mais próximos a ela.
    Forçada a proteger sua casa, seu homem e a si de todo o mal que se possa imaginar, Morgana deve aprender a controlar o próprio poder... ou acabará perdendo tudo.
    A Feiticeira do Inverno
    Ano: 2016 
    Páginas: 322
    Idioma: português 
    Editora: Bertrand Brasil


    Nossa protagonista é Morgana, garota de 18 anos que vive apenas com a sua mãe e adora a natureza, na verdade, é como se a natureza lhe fornecesse energia para existir. Não sabe cozinhar nem lidar com os afazeres de uma casa além de não ser bem vista pela maioria dos moradores da cidade por a considerarem um tanto esquisita: Morgana não fala, parou de falar quando o seu pai foi embora quando ela ainda era criança. E porque coisas estranhas acontecem quando ela está por perto e com raiva.

    “Uma tristeza pesa sobre mim, como costuma acontecer quando revivo a dor de sua partida. Quando me lembro de que num dia ele estava lá, e no outro, não. E de como ele levou minha voz consigo ao ir embora.”

    Por estar muito doente, a mãe de Morgana quer que ela case logo numa tentativa de protegê-la quando ela não estiver mais aqui. Sabendo que ninguém da sua cidade aceitaria, ela faz acordo com Cai Jenkins, um jovem viúvo condutor de rebanhos que também precisa de uma esposa para ter direito a herdar o cargo de seu pai.

    Mas casar não é o desejo de Morgana, ela não quer ter que se submeter a um homem que não conhece nem ficar longe de sua mãe. Ainda assim, Cai se mostra um homem sensível e Morgana se vê encanta com o seu jeito e com o lugar fantástico onde fica a fazenda em que vai morar.

    “As pessoas têm medo do que não entendem e esse medo pode torná-las cruéis.”
    Mas a vida de Morgana não será fácil. Mal vista por alguns por causa da sua mudez, ela ainda terá alguns inimigos declarados e isso fará com que a magia em seu sangue desperte para se proteger e proteger os seus. Seu lugar como dona da fazenda será cobiçado por alguém muito poderoso também envolvido com magia, mas magia ruim, e Morgana encontra apoio na Sra. Jones, uma mulher cheia de surpresas.

    “Se você não puder viajar – disse ele -, a segunda melhor coisa é ler. Leia tudo o que puder, minha filha. E guarde esse conhecimento, pois você nunca sabe quando irá precisar dele. “

    Narrado ao mesmo tempo em terceira e em primeira pessoa, o leitor saberá o ponto de vista de todos os personagens, inclusive o de Morgana que não participa dos diálogos.


    É incrível ver como o amor entre Cai e Morgana vai surgindo, quebrando barreiras e se fortalecendo ao longo da história. O enredo é fantástico mas acho que a autora se perdeu um pouco em longas narrativas sobre a condução de animais. Mas nada que tire o brilho da história. 


    0 comentários :

    Postar um comentário

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!