• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Rumo ao Sul, Silas House

    E se você descobrisse que viveu muito tempo sob perspectivas equivocadas?
    E que foi cruel com uma das pessoas que mais amava no mundo?
    Essa é a jornada...
    Ao sul dos Estados Unidos, numa pequena cidade do Tennessee, o pastor Asher Sharp tem de encarar o seu próprio passado após uma das mais violentas enchentes que aquelas terras já enfrentaram.
    Então um casal gay pede abrigo ao pastor após ajuda-lo no socorro a outras pessoas, mas perderam tudo na inundação. Asher se vê diante de um dilema, quer abrigar os dois homens mas encara a recusa de sua esposa. Um fato que vai trazer à tona histórias enterradas de sua própria vida, da rejeição ao seu irmão, que era também seu melhor amigo.
    Algo que o faz questionar todos os valores daquela comunidade e tomar atitudes de ruptura, que desencadeiam uma série de outros eventos.
    Decidido a encontrar o irmão de quem ele se afastou e nem sabe o paradeiro, desejando salvar o filho de um ambiente asfixiante, ele parte numa viagem rumo ao sul. Um percurso em que toda a sua história é passada à limpo, em meio a belas paisagens, novas amizades e descobrindo um mundo imenso, muito diferente do seu, algo que pôde ensiná-lo sobre as coisas mais profundas da vida.
    Rumo ao Sul
    Silas House
    Ano: 2019 
    Páginas: 272
    Idioma: português 
    Editora: Faro


    Numa cidade do Tennessee, o caos está para acontecer. Com a chuva que não dá trégua, o nível do rio sobe cada vez mais rápido e é uma questão de tempo para uma tragédia brotar. O pastor Asher Sharp, solidariamente, ajuda pessoas que perderam suas casas na enchente, mas ele não esperava que algumas dessas pessoas sofreriam ainda mais.

    Quando Justin, seu filho, é encontrado por um casal de homossexuais, a mulher de Asher recusa oferecer abrigo, já que sua religião não aceita esse tipo de relacionamento. A situação só piora quando o mesmo casal é proibido de frequentar a igreja local, e todo esse problema vai cair nas costas de Asher, que terá que desafiar suas crenças e iluminar o seu passado.

    Disposto a conseguir o perdão de seu irmão que há muito tempo não vê, e tentar tirar o seu filho de uma vida que ele interpreta como tóxica, Asher irá viajar pelo país em busca de iluminar a sua alma, e ter certeza que somente Deus pode julgar nossos atos e que Ele nos dá a liberdade de amar as pessoas do jeito que elas são.

    Preparem os lenços, pois a história tem tudo para ser uma daquelas que aperta o nosso coração. Já começa com um tema parecido que abalou nosso país recentemente: centenas de vítimas causadas pela tragédia em Brumadinho. A forma como toda a situação é narrada é muito forte, e ver o sofrimento de pessoas inocentes é mais ainda.

    Em seguida, outro assunto polêmico: a intolerância sexual que certas religiões cometem. Onde está o “Ame ao próximo como a ti mesmo”? Será que Deus vai lhe punir por abrigar uma pessoa homossexual que acabou de perder seu lar? É certo esconder de uma criança tudo que o mundo mostra, sejam coisas boas ou ruins? Todas essas questões você irá debater ao longo do livro e, junto com Asher, descobrir onde o certo e o errado ficam numa linha tênue.

    Acompanhar o amadurecimento de Asher e Justin nessa viagem é sensacional. O autor consegue adaptar os personagens de acordo com o ritmo da história, e quando você chega às últimas páginas, seu coração aperta, pois a vontade é de que a história não acabe.

    Justin é um garoto muito especial. Considerado pelas pessoas ao seu redor, ele é uma criança que está muito além da sua idade. Suas ações e pensamentos são marcantes e nós aprendemos muito com ele durante toda a história.

    Acompanhar o drama de Asher foi muito legal, e ver como ele inspira as pessoas pela sua forma tolerante de pensar é emocionante. Nós não temos o direito de julgar ninguém, e por mais que não aceitamos as diferenças dos outros, devemos respeitá-las para sermos respeitados.

    Rumo ao Sul é uma história bem importante para quebrar certos preconceitos e intolerâncias. Pessoal, aceite a diferença do outro. Ninguém nessa vida é melhor que ninguém, por favor, vamos nos amar.


    1 comentários :

    1. Sou fascinada por histórias assim, que trazem emoções diversas e de certo modo, nos tiram de nós mesmos.
      Acho que este embate também de religião, fé e preconceitos é algo que deveria ser mais falado e debatido. Ainda há,infelizmente, muitas mentes fechadas por aí e aqui!
      O livro já foi para a lista de desejados e espero ter e ler ele em breve.
      Beijo

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!