Minha Vida fora dos Trilhos, Clare Vanderpool

A protagonista de MINHA VIDA FORA DOS TRILHOS, Abilene Tucker, tem apenas 12 anos, mas é corajosa e impetuosa o suficiente para encontrar aventuras na pequena cidade de Manifest, Kansas, um fim de mundo para onde seu pai a enviou de trem a fim de passar o verão sob a tutela de um velho conhecido enquanto ele trabalha em uma ferrovia.
O que parecia ser o período mais solitário e entediante de sua vida ganha um novo e surpreendente rumo quando Abilene encontra uma velha caixa de charutos com cartas antigas e pequenas lembranças de outros tempos. Aos olhos curiosos da menina, a caixa se torna uma verdadeira arca do tesouro, onde segredos enterrados conectam dois momentos da cidade. A partir de então, o livro se divide em duas narrativas cronológicas: passado e presente se misturam, daquela maneira mágica que só um bom livro consegue contar.
Os acontecimentos vão da época da Primeira Guerra Mundial à Grande Depressão norte- americana dos anos 1930, com soberba fidelidade histórica que ajudam a construir esta narrativa de perda e redenção.
Minha Vida Fora dos Trilhos
Ano: 2017 
Páginas: 320
Idioma: português 
Editora: DarkSide Books



" Mas não era mais importante o fato de estarmos juntos?"

Abilene cresceu sem rumo, de trilho em trilho, acompanhava seu pai clandestinamente em vagões de trem e considerava sua vida normal até o dia em que seu pai a envia à cidade de Manifest para passar o verão com Shady, um antigo amigo e reverendo na cidade.

Ela, como uma filha obediente, vai para seu destino sem reclamar mas se perguntando o tempo todo o que fez de errado para seu pai não querer mais tê-la por perto. Como ele nunca havia mencionado a referida cidade antes, ela estranha a escolha mas acaba tentando encontrar sinais pela cidade de que seu pai lá esteve e acaba encontrando uma caixa repleta de objetos sem nexo e cartas.



Os Estados Unidos está imerso na Grande Depressão e ainda sofrendo as consequências da Primeira Guerra Mundial, então nossos personagens sabem muito bem o que é fome, necessidade, trabalho duro e pobreza.

" Tenho a impressão de que você está carregando uma carga pesada há um bom tempo." Os olhos de Shady pareciam poços profundos." Além do mais, todo mundo merece uma segunda chance. Aí está a sua." Ele sorriu. Sorri de volta, sentindo a corda áspera e ressecada. Era como Shady. Ele tmabém tinha aquela dureza, mas era forte e firme."
Mesmo sendo o último dia de aula, Shady manda Abilene para a escola e lá a garota recebe da irmã Redempta a tarefa de escrever uma história durante as férias, ela se vê diante de um grande desafio pois não sabe o que escrever, acreditando que não tem nenhuma história para contar.



Junto com suas novas amigas, Lettie e Ruthanne, e depois de ler uma das cartas que encontra na caixa, elas se vêem diante de aventuras sem fim e um mistério sobre um certo espião que habitou a cidade à época da Primeira Guerra.

Passo a passo, misturando presente e passado, Abilene se apega às pessoas e às histórias contadas pela vidente Sadie, sempre se perguntando onde seu pai se encaixava nisso tudo e se ele voltaria para buscá-la.

" Esta cidade imprimiu algo no seu pai, provavelmente mais do que ele saberia dizer. E, às vezes, as marcas mais profundas são as que mais doem."


O livro é um relato emocionante, bonito e forte sobre segundas chances, sobre esperança, amizade, família, sobre construir sua própria história e sobre o sentimento de pertencimento.

" Dava para ver todos os lugares aos quais uma pessoa podia querer ir no mundo. Mas, depois de um tempo, o corpo só quer voltar ao lugar a que pertence."

A edição da Darkside, como sempre, está maravilhosa, cheia de detalhes significativos da história, capa com sensação de madeira e fita para marcar a página. 

Me apaixonei perdidamente pelo título pois me vi diante de pessoas entrelaçadas pelo amor e com vidas fora dos trilhos tanto no sentido real como figurado.

Beijos, Myl

2 comentários

  1. Confesso que não gostei tanto como gostei do outro livro da autora; achei a narrativa um tanto cansativa.
    Mas me encantei por Abilene.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A narrativa é lenta mesmo mas foi tão lindo a forma como Abilene criou laços que amei demais.
      beijos,Myl

      Excluir

O seu comentário alegra o nosso dia!!!