Francis, Loputyn

Uma bruxa e uma raposa sobrevoam uma floresta. Lá do alto, pouco antes de traçarem seu destino inevitável, elas admiram os contornos do Monte Orfano, uma montanha verdejante que esconde mistérios em cada canto. Juntos, elas criam caos e liberdade, mas até onde podem ir antes da escuridão as alcançar?
Reserve um canto especial na estante e separe os melhores ingredientes na bancada. Ao lado da talentosa quadrinista italiana Jessica Cioffi, que atende pelo nome mágico Loputyn, prepararemos uma poção que vai abrir os caminhos mais sombrios dos corações dos leitores da DarkSide® Books. E tudo começa com uma raposa. Anote aí para não esquecer: seu nome é Francis.
Espírito traiçoeiro que reside em cada átomo da montanha, Francis vive em completa solidão. Ao ser conjurado pelos poderes latentes da bruxa Melina, em uma união favorável do destino (ou não), Francis ganha um corpo físico na forma de uma raposa despenteada e uma missão: ajudar a garota na prova mais importante de sua vida para que ela não fracasse.
Não demora muito para que Francis questione seus desejos e escolhas, e logo as personalidades mesquinhas e egoístas de ambas entram em sintonia. E, de repente, quebrar mais um pouquinho as regras não parece algo tão errado assim para Melina…
Francis é uma fábula encantada em que doçura e escuridão existem lado a lado. Com seu traço aquarelado, rico em tons pastéis, Loputyn apresenta uma aventura fascinante com elementos mágicos e mostra que todos temos luz e trevas dentro de nós.
Com um estilo que referencia a moda lolita e faz o leitor mergulhar em um sonho quase etéreo, Francis é uma história sobre entender que sua trajetória pode não ser aquela que você imaginava, e como descobrir sua identidade é um processo tão íntimo que magia alguma pode acelerar ou alterar.
Francis
Loputyn
Ano: 2019 
Páginas: 96
Idioma: português
Editora: DarkSide Books

" A liberdade vale séculos de vazio e solidão?"

Que preço você está disposto a pagar por sua liberdade? E o que é realmente significa esta liberdade?

Melina e Camélia são amigas há muitos anos e precisarão se enfrentar para ver quem será uma sacerdotisa, mas cada uma encara o desafio de uma forma bem diferente da outra. Enquanto Camélia cuida de todos os preparativos com antecedência, Melina,  que não está muito interessada no embate, acaba procrastinando a preparação de suas poções. Para evitar um vexame, ela evoca um espírito para ajudá-la a reparar esta falha.

O espírito evocado vem em forma de uma sedutora raposa capaz de perceber toda a escuridão que habita em Melina e irá mostrar a jovem bruxa que existe uma escolha bem mais simples e fácil para resolver o que ela precisa.

" Querida, os espíritos obscuros são capazes de grandezas memoráveis. Mas quanto mais fortes ficam, mas difícil é dominá-los."
Eu raramente leio livros sombrios e sobrenaturais, realmente não são do meu agrado, mas quando vi esta edição na pré-venda e que vinha com um brinde bem simbólico, eu não resisti à tentação e comprei, tentando me preparar para o que viria pela frente quando chegasse a hora de ler.

E meus temores foram parcialmente fundados, pois a carga sombria da história me deixou com o coração apertado boa parte da leitura. Mesmo não gostando muito da analogia usada pela ilustradora com um símbolo religioso, me vi fascinada pela trama assim como Melina pela raposa. 

O livro mostra como cada escolha nossa tem uma consequência e até que ponto estamos dispostos a enfrentar estas consequências em troca da satisfação da própria vontade. Certa vez, um amigo me disse que não havia nada errado em às vezes ter pensamentos sombrios, mas que o que faríamos concretamente em relação a eles é que era o mais importante, se abafaríamos o nosso lado sombrio ou se deixaríamos ele nos dominar.

E isso fica bem claro em Francis. A escolha de Melina traz frutos que, a depender do ponto de vista, podem ser bons ou ruins, mas somente ela será capaz de viver estas escolhas mesmo que elas possam impactar a vida das outras pessoas. 


A meu ver a HQ desconstrói vários elementos e várias mensagens fortes e simbólicas do Pequeno Príncipe. Essa minha percepção pode ser equivocada mas, em muitos momentos, eu percebi detalhes que quebram situações que me marcaram na história do Pequeno Príncipe. Não posso falar muito pois acabaria soltando spoiler e tenho certeza de que vocês querem experimentar a surpresa da leitura.

Mesmo entendendo a escolha da autora em deixar algumas lacunas em aberto, gostaria que a HQ tivesse mais páginas sobre Melina, Camélia e o espírito evocado. O que me leva a crer que é um ótimo livro para ser discutido em um clube de leitores.

A edição está impecável, a ilustradora traz traços fortes e delicados para transmitir sua mensagem que já começou a meu ver desde a escolha dela por seu pseudônimo e continua em sua trama repleta de sensualidade e tensão.


Um comentário

  1. Não leio muito Hq, mas essa me chama atenção. Até porque é uma edição belíssima!
    Fiquei curiosa desconstrução de O pequeno Príncipe.

    Beijos

    ResponderExcluir

O seu comentário alegra o nosso dia!!!