• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Resenha da Vic: Playlist de Hayden, Michelle Falkoff - Editora Novo Conceito

    Título: A Playlist de Hayden

    Autor (a): Michelle Falkoff

    Editora: Novo Conceito

    Ano: 2015

    Páginas: 288

    Sinopse: 

    Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente.

    Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.

    A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.


    Sam e Hayden sempre foram os garotos deslocados da escola. Nunca apareciam com namoradas, nem mesmo com outros amigos.... Um só tinha o outro, e vice-versa. Uma amizade muito forte que tem um ponto marcante quando Hayden é encontrado morto. Nada ajuda quando foi o próprio Sam que o encontrou. Deitado, ao lado de uma garrafa de bebida alcoólica e com um frasco de remédio vazio. Nada é explicado, a única coisa deixada por ele é um bilhete com a seguinte frase: Para SAM. Ouça. Você vai entender. Juntamente com um Pen drive contendo uma playlist que deveria desvendar todo o mistério. Porque Hayden se matou?

    Hayden sempre teve algumas complicações: De se relacionar, em casa e na escola. Ele era uma das vítimas mais frequentes da turma do Bullyng, que tinha como componente principal o seu irmão, Ryan.  Todo os medos e inseguranças de Hayden já começava em casa, e por isso, Sam era o único que ele tinha para desabafar e até mesmo fugir um pouco da sua realidade. Ou não. Hayden era o único amigo de Sam, mas Sam não era o único amigo de Hayden. É muito complicado descobrir isso quando seu amigo já está morto. Que você não sabe tudo sobre ele, e que você não é a caixinha de segredos dele.

    Tudo começa com a visita da mãe de Hayden. Deixando alguns pertences do filho com Sam, ele acaba revivendo algumas memórias que viveu com o amigo. Um computador é tudo aquilo que ele precisava para descobrir um pouco mais. Se ele quer mesmo desvendar o que aconteceu aquela noite, porque não procurar ali? E Sam se sente no direito de descobrir mais sobre aquele dia, ainda mais para diminuir a culpa que ele sente, toda vez que ele lembra o que fez...  

    O mistério ainda aumenta quando Astrid aparece. Sam está muito interessada nela, como ele nunca esteve antes por uma garota. Mas ela conhecia Hayden, até sabia a senha do computador dele... ele nunca contou para Sam que existia uma garota. Será que ele está se apaixonando pela garota do amigo? E ainda tem o fato de que todos que faziam parte da turma do bullyng está sofrendo misteriosamente acidentes, cometidos por alguém que não está afim de brincar. Se já não bastasse, alguém está usando o codinome de Hayden (Arquimado_Ged) no chat que só era compartilhado por eles dois. E por mais estranho e macabro que seja, essa pessoa está dando dicas de quem será a próxima vítima do grupo do bullyng. Quem estaria fazendo essa brincadeira com Sam? Será mais algum amigo do Hayden... ou o próprio Hayden?

    Você nunca conhece uma pessoa até ouvir o que ela gosta.

    Demorei muito tempo para conseguir resenha-lo. Isso geralmente acontece quando eu gosto tanto do livro que não consigo transformar o meu sentimento em palavras. Só conseguir sentir. Sentir a dor do Sam por ter perdido o melhor amigo, a raiva pelos culpados, o arrependimento da sua mãe por ter percebido que falhou, o da sua amiga por não ter conseguido, e a dor do Hayden, por ter chegado ao seu limite. Eu sentir tudo isso e mais um pouco. E usando a frase de um dos livros que eu mais amo nesse mundo, digo mentalmente:  ‘’...Inspire, expire... Contraia, expanda... Bate, bate, pausa... Bate, bate, pausa...’’  Maybe Someday — Colleen DIVA Hoover, tentei seguir os conselhos da mestra, porque cá entre nós, esse livro não é para qualquer um não.

    No decorrer do livro, Sam acaba ouvindo a versão de cada um envolvido na morte de Hayden. Juntando todo o quebra cabeça, você acaba percebendo o quanto aquele dia foi cruel, e eu queria muito entrar no livro, voltar o tempo e dizer para ele: Amigo, é só um mal entendido, você vai superar. Mas não superou. Hayden tirou a vida por todos os motivos fortes e intensos que alguém que estava no limite sentiria.

    Minha única decepção foi a Playlist. Ela não revelou nada para mim, e muito menos para o Sam. Ela só foi o plano de fundo para dar uma incrementada no livro. Ouvir ela durante a leitura foi maravilhoso, mas revelar algo? Isso não aconteceu.

    A Novo conceito está de parabéns. Capa, diagramação, revisão, divisão de capítulos... detalhe, quando ele se inicia, tem o nome de uma música e sua respectiva tradução.
    A escrita da Michelle é simples, rápida e muito envolvente, que deixa o leitor ávido por virar cada página. Um livro que fala sobre perda, dor, raiva e bullying.

    Apesar de ter muitos livros que falam sobre o mesmo tema, quando falamos de tabus da sociedade, nunca é demais. A forma de abordagem é o seu diferencial, de uma forma delicada e sutil, passa uma mensagem bem agradável, tocando o coração de muitos, assim como tocou o meu. Leitura que vale muito a pena!!

    Ouça a Playlist de Hayden aqui.



    4 comentários :

    1. Eu quero muito ler esse livro, com certeza vou adicionar na minha wishlist de aniversário ^^
      Essa capa é demais mesmo, já ganhou alguns pontinhos a mais por isso. Adorei sua resenha :))
      Beijão!

      Sorriso Espontâneo

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Betânia!
        A capa é mesmo uma fofura, e bem reveladora rs.
        Muito obrigada.

        Beijos,
        Vic.

        Excluir
    2. Eu esperava mais deste livro. Aliás, nem fiz a resenha dele ainda.
      Bjs,Rose.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Rose!
        Opiniões diferentes é uma coisa muito boa, e a sua inclusive é muito importante.Só comecei a gostar do livro depois da página 50 e olhe lá rs...É assim mesmo.

        Beijos,
        Vic.

        Excluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!