Featured Slider

O baralho de predizer adultérios, Frederico Monteiro


“Não há tempo melhor que o futuro”.
Assim começa o segundo romance de Frederico Monteiro, O baralho de predizer adultérios, uma homenagem ao futuro e à capacidade humana de adaptação. O adolescente Silvano recebe um misterioso baralho que tem como função antecipar adultérios. Amores e separações, riqueza e pobreza, fugas e desencontros, além do constante diálogo com a sua própria consciência, tomam conta da rotina do herói. Impossível não se apaixonar pelos inúmeros personagens do Baralho, desde o protagonista, seus dez amores, mulheres e homens traídos, além da voz sensata do amigo Manolo. Frederico Monteiro nos entrega um romance com temas universais, como o amor, a amizade, a fidelidade, a superação e a redenção. Recheado de personagens pitorescos e acontecimentos inusitados, o romance agrada desde o público jovem ao adulto.

O baralho de predizer adultérios
Frederico Monteiro
Ano: 2020 
Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Autografia

O jovem Silvano recebe em uma bela noite a visita de um ser idêntico a si mesmo, essa visita no famoso bar Casablanca lhe rende um presente inusitado, um baralho de predizer adultérios, em posse desse novo artefato, o rapaz precisa decidir o que fazer, conhecer suas escolhas e capturar as melhores opções para o que agora tem em mãos, mesmo sabendo que não pode usar o baralho para benefício próprio.

“Não há tempo melhor que o futuro”

O que você faria se tivesse alguém que pudesse ler o seu futuro apenas para descobrir se o seu conjugue é fiel ou não a você? Vale a pena descobrir o futuro tendo em vista que as coisas podem mudar a qualquer momento? Sendo bem sincera, eu prefiro morrer na inocência a adiantar um sofrimento inevitável, mas cada um procura identificar o problema que acha melhor.

Esse livro retrata a história de Silvano entre os altos e baixos do amor, além da leitura corriqueira do baralho que pode deixar famílias felizes, mas também tem o poder de destruir boas histórias, é um livro rico de informações e detalhes, que faz uma viagem sensorial incrível sobre lugares maravilhosos, nos fazendo sentir a sensação de estar no ambiente junto ao personagem.

“Mas a vida é mesmo esta montanha-russa de curvas inesperadas e retas reconfortantes, de subidas e descidas vertiginosas, de sustos e alívios.”

Narrado em terceira pessoa, conhecemos na história vários personagens interessantes, além da perspectiva do Silvano sobre sua história e o traçar da sua vida em torno do baralho. Infelizmente algumas situações em torno da história não me fizeram ter um bom desenvolvimento de leitura, mas acredito que pode agradar muitas outras pessoas, então se ainda não leu, porém se interessou pelo enredo da obra, vai fundo e depois volta aqui para conversar comigo, mas se já leu, me conta o que achou. Por hoje é isso, mas eu volto em breve com muito mais, beijinhos!


Amante por uma tarde 📣 Últimos dias para garantir o brinde!






Não há segunda chance, Harlan Coben


Após ser gravemente ferido numa invasão à sua casa, o Dr. Marc Seidman desperta de um coma de quase duas semanas e descobre que sua vida foi destruída. A esposa foi assassinada. A filha, Tara, de 6 meses, desapareceu.Depois de tanto tempo, parece impossível descobrir onde a bebê está, mas de repente Marc tem um alento ao receber um pedido de resgate. Só que o bilhete faz uma clara advertência: se ele falar com a polícia, nunca mais verá a filha. Não haverá segunda chance.
Sem ter a quem recorrer, Marc fica dividido entre a agonia e a esperança. E quando os investigadores passam a considerá-lo o principal suspeito dos crimes, ele precisa se lançar numa busca desesperada pela verdade não apenas para recuperar Tara, mas também para salvar a própria vida.

Não Há Segunda Chance
Ano: 2020
Páginas: 336
Idioma: português
Editora: Arqueiro

Que o Harlan Coben é uma paixão antiga todo mundo já sabe, mas que ele me surpreendeu mais uma vez e me fez de boba... também não é nenhuma novidade. E eu adoro isso!!!

Não há segunda chance conta o dilema do Dr. Marc Seidman, casado, mas não por amore, apesar de parecer honrado e com uma filha, motivo do casamento. Até o dia em que Marc acorda em um hospital depois de passar 12 dias em coma e descobre que foi atacado em sua residência, sua esposa está morta e sua filha de 6 meses está desaparecida. 

Enquanto tenta entender o que aconteceu, Marc tem que lidar com o desespero de não saber onde sua filha está, com um bilhete do suposto sequestrador e ainda com a suspeita da polícia e do FBI em relação a ele. 

“Nós estamos observando. Se entrar em contato com as autoridades, você nunca mais verá sua filha novamente. Não haverá segunda chance.”  

Ao longo do desenrolar das investigações, vamos adentrando a vida de Marc, conhecendo melhor o nosso protagonista e suas relações com os outros personagens da história, além de vivenciar todo o sofrimento de um pai amoroso por não ter sido capaz de proteger sua filha. 

E então começa um looping de reviravolta por cima de revelação de segredo, desconfiança por cima de suspeita, tudo isso para deixar você, leitor querido, totalmente entregue à essa leitura. A vida de Marc será revirada de tal forma que ele receberá ajuda até de uma pessoa que já foi muito especial em sua vida e que, por causa de sua ligação com o FBI, será crucial para a solução do caso. O que você seria capaz de fazer para proteger quem você ama?

Se você já conhece o trabalho do Coben, já tem ideia do que eu estou falando. Mas, se esse for o seu primeiro contato com a escrita do autor, se prepare para uma leitura incrível, sem pontas soltas, com todas as respostas e justificativas para cada situação que surge e que mantém o clima de suspense do inicio ao fim. Chego a imaginar a cara do Coben rindo dos seus leitores quando caem nas armadilhas que ele cria justamente com a intenção de desviar o foco do suspeito. 

Se você curte um bom suspense com investigação e um drama no meio, corre pra esse e me conta depois se o autor conseguiu te enganar.


E a Terra Escreveu uma Carta... Olho Vivo no Planeta, Jonas Ribeiro


Poderia ser por meio de trovões ou tempestades, mas a Terra preferiu mandar uma carta contando à humanidade o que está se passando com ela. Numa relação empática e de proximidade com cada ser humano, a Mãe Terra pede socorro entoando 100 verbos que precisam ser utilizados na prática. É claro que uma carta assim não poderia ficar sem resposta: a professora Carol, do 4º ano do Colégio Galáxia do Saber, tranquiliza a Terra contando-lhe sobre o que seus alunos estão fazendo.
E a Terra Escreveu uma Carta...
Olho Vivo no Planeta
Jonas Ribeiro
Ano: 2020 
Páginas: 48
Idioma: português
Editora: Melhoramentos

Cansada de sofrer com os problemas causados pela população, mas cheia de amor por todos, a Terra resolveu escrever uma carta e contar um pouco sobre si e um pouco sobre o que espera do mundo para o bem de si mesma e daqueles que nela habita, essa carta foi transmitida em vários lugares, uma espécie de pedido de socorro do planeta para aqueles que podem cuidar dela, ou seja, nós... os seres humanos.

Uma professora encontrou essa carta e resolveu usá-la como projeto para sua turma do quarto ano, o resultado foi uma bela resposta ao planeta, com um projeto lindo de reconexão com a natureza e algumas frases carinhosas que podemos levar para a vida. Porém, isso foi apenas o começo!

“Eu sou apenas um dentre trilhões de planetas que povoam uma dessas galáxias do Universo. Nem por isso deixo de me sentir especial.”

Já imaginou receber uma carta da própria Terra puxando sua orelha sobre as atrocidades que estão fazendo com ela dia após dia? Seria um belo tapa na cara para muita gente, mas como isso está longe de acontecer, poderíamos apenas no colocar no lugar do nosso lar e fazer a pergunta de um bilhão de dólares: Será que estaríamos satisfeitos se fossemos tratados da mesma forma como tratamos o lugar onde vivemos?

É possível melhorar o nosso comportamento com pequenas coisas todos os dias e transformar essas pequenas coisas em hábitos, de pouquinho em pouquinho conseguimos alcançar novos patamares no cuidar desse lugar que chamamos de lar.

“E da mesma forma que mãe acolhe, educa, alimenta e ama, também pode e deve dar bronca.”

Muita gente já se coloca no lugar de terra e cuida melhor do planeta todos os dias, porém ainda precisamos alcançar outras pessoas e lugares nesse cuidado com o nosso meio ambiente, essa raridade de pureza que ainda nos resta. Esse livro é uma bela forma de ensinar pessoas a serem melhores com o lugar onde habita, uma forma de ensinar desde criança a como ser alguém melhor com a “mãe natureza” e vale muito a pena conhecê-lo, independente da idade.

Confesso que terminei ele com lágrimas nos olhos de emoção, pois sei que ainda tem muito a se melhorar no quesito humanidade, mas sabendo que é possível. Se você ainda não conhece esse livro, te convido a fazer essa leitura e perceber como ainda estamos longe de sermos o melhor dessa terra, se já leu, me conta aqui se ele também te emocionou. Eu vou ficando por aqui, mas volto em breve com muito mais. Beijinhos!


João Espinhoso, Ilaria Guarducci


João Espinhoso é o porco–espinho mais malvado e desagradável da Floresta Escura. Ele ama ser mau, ama afiar o seus espinhos e sair assustando e zombando de todos os animais.Um dia, porém, João Espinhoso começa a perder seus valiosos espinhos. O primeiro caiu de repente no chão da cozinha. O segundo, na sala. Um após o outro até João Espinhoso ficar pelado – sem espinhos – e rosa como um marshmallow.

E agora, o que João fará da vida, uma vez que ele só aprendeu a ser mau e desagradável?
Adoravelmente maligno João Espinhoso nos convida a descobrir o valor da bondade e da empatia. Ele nos lembra que apesar de termos espinhos ser bom e amigável com os outros é a melhor maneira de estar bem consigo mesmo.

João Espinhoso
Ilaria Guarducci
Ano: 2021 
Páginas: 32
Idioma: português
Editora: Melhoramentos

João Espinhoso é um porco espinho muito maldoso, filho de uma família muito maldosa e que estudou na melhor escola de maldades da região, o seu maior prazer é fazer maldades por onde passa, assustando a tudo e a todos que encontra, mas um belo dia ele vai descobrir que a vida também tem o outro lado e que voltar a ser um sujeitinho cheio de maldades pode ser bem triste.

Embora as crianças sejam inocentes, é de casa que muitas começam a criar maldade no coração e passam a se comportar de uma forma infeliz com os outros, sabemos disso, pois passamos por isso em grande parte da nossa vida, afinal quem não sofreu bullying na escola ou na vida por conta de um coleguinha? Até mesmo depois de adulto podemos ver que crianças maldosas crescem com a maldade implícita em suas vidas e isso serve de exemplo das criações e dos exemplos que essa pessoa teve desde a sua infância, porém nada é tão ruim que não possa ser mudado.

João é um exemplo do que o tocar da bondade pode fazer na vida de alguém, após encontrar uma pessoa que abraçou sua causa e lhe tratou de forma digna, sem medo de quem ele era, João Espinhoso começou a ver que a maldade só ia deixá-lo cada vez mais sozinho e sem amigos, por isso ele se questiona sobre ser o que ele sempre foi ou se tornar alguém melhor.

É um ótimo livro para ensinar desde a infância que devemos tratar as pessoas de forma bondosa, mesmo quando elas não nos tratam da mesma forma e no fim das contas, quem sabe estaremos mudando a vida de alguém com um pouco de amor todos os dias?

Considero essa uma das historinhas infantis mais cheias de ensinamento que já conheci, pois em suas 32 páginas a autora conseguiu colocar em prática a empatia, o cuidado e o carinho com o próximo, ensinamentos que devem viver conosco desde o nosso primeiro dia de vida. Mas e aí, já conhece essa delícia? Tem interesse em conhecer? Vamos papear, eu volto em breve com mais.