Featured Slider

O que o amor esconde, Dorothy Koomson


Nem sempre os fantasmas do passado permanecem onde deveriam...
Libby Rabvena tem uma vida confortável ao lado de Jack, seu amável marido. Mas ele parece ainda não ter superado a perda de Eve, sua primeira mulher, que morreu de forma trágica e misteriosa na mesma casa em que eles vivem agora.
Depois de sofrerem um horrível acidente de carro, do qual Jack sai praticamente ileso e Libby se fere gravemente, ela encontra os diários de Eve escondidos em sua casa. Disposta a procurar pistas sobre Jack e conhecer melhor a mulher que ele amava, Libby decide lê-los e descobre que alguns segredos são difíceis de suportar... e que a morte de Eve pode não ter sido acidental.
Com os terríveis segredos do passado prestes a vir à tona, Libby começa a temer por sua vida. Principalmente quando o suspeito do crime pode estar sentado no sofá da sala, bem ao seu lado...

O Que O Amor Esconde
Ano: 2015 
Páginas: 400
Idioma: português
Editora: Fundamento





Juntando os pedaços, Jennifer Niven


Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca… mas não consegue juntar todas as peças do quebra-cabeça para gravar na memória. Então ele usa marcas identificadoras, como o cabelo, a cor da pele, o jeito de andar e de se vestir, para tentar distinguir seus amigos e familiares. Mas ninguém sabe disso — até o dia em que ele encontra a Libby. Libby é nova na escola. Ela passou os últimos anos em casa, juntando os pedaços do seu coração depois da morte de sua mãe. A garota finalmente se sente pronta para voltar à vida normal, mas logo nos primeiros dias de aula é alvo de uma brincadeira cruel por causa de seu peso e vai parar na diretoria. Junto com Jack. Aos poucos essa dupla improvável se aproxima e, juntos, eles aprendem a enxergar um ao outro como ninguém antes tinha feito.
Juntando os Pedaços
Ano: 2016 
Páginas: 392
Idioma: português 
Editora: Seguinte



Dica do dan



The First Girl Child, Amy Harmon


Bayr of Saylok, bastard son of a powerful and jealous chieftain, is haunted by the curse once leveled by his dying mother. Bartered, abandoned, and rarely loved, she plagued the land with her words: From this day forward, there will be no daughters in Saylok.
Raised among the Keepers at Temple Hill, Bayr is gifted with inhuman strength. But he’s also blessed with an all-too-human heart that beats with one purpose: to protect Alba, the first girl child born in nearly two decades and the salvation for a country at risk.
Now the fate of Saylok lies with Alba and Bayr, whose bond grows deeper with every whisper of coming chaos. Charged with battling the enemies of their people, both within and without, Bayr is fueled further by the love of a girl who has defied the scourge of Saylok.
What Bayr and Alba don’t know is that they each threaten the king, a greedy man who built his throne on lies, murder, and betrayal. There is only one way to defend their land from the corruption that has overtaken it. By breaking the curse, they could defeat the king…but they could also destroy themselves.
The First Girl Child
Ano: 2019
Páginas: 400
Idioma: inglês
Editora: 47North


Eu raramente leio fantasia mas quando vi que The First Girl Child era de Amy Harmon, não pensei duas vezes pois sou apaixonada pela escrita dela. Ela não decepcionou, criando uma trama maravilhosa inspirada na mitologia nórdica repleta de intrigas, maldições, traições, lutas, aventuras, sabedoria e muita ação. Sem contar com dois emocionantes romances de pano de fundo.

Foi maravilhoso acompanhar a jornada de Dagmar, Ghost, Alba e Bayr. Logo de início conhecemos a relação de Desdemona, mãe de Bayr, com seu irmão Dagmar, mostrando a impetuosidade dela e a força dele em desafiar o pai que queria que ele fosse um guerreiro no clã e não um guardião do templo. 

Engano Irresistível, Vi Keeland


A primeira vez que vi Caine West foi em um bar. Ele notou que eu o estava encarando e deduziu que fosse um flerte. Quando veio falar comigo, coloquei-o na linha, exasperando tudo o que eu pensava sobre ele ser um mentiroso, traidor e egocêntrico.
Sabe, aquele delicioso canalha havia levado minha amiga para jantar; depois, foram para cama e ele nem sequer mencionou que era casado. Por isso, merecia cada xingamento que saía da minha boca. Quando terminei, um sorriso preguiçoso se expandiu em seu rosto perfeito em resposta ao meu sermão. Só então percebi que o homem para o qual eu vociferava impropérios não era o cara certo. Ops. Lindo engano.
Com vergonha, saí sem me desculpar e achei que nunca mais veria o estranho bonitão na vida, certo? Foi o que pensei... Até chegar à aula na manhã seguinte... Olá, professor West, sou sua nova assistente. Trabalharei diretamente abaixo de você... no sentido figurado. Embora trabalhar debaixo do professor West não fosse uma má ideia...
Engano Irresistível
Vi Keeland
Ano: 2018 
Páginas: 336
Idioma: português
Editora: Universo dos Livros


" Não é uma cicatriz. É só um corte que se fechou. As cicatrizes de verdade são aquelas que você não consegue ver... as mais difíceis de se fechar."


Caine é o típico macho alfa. Ele é lindo, gostoso, forte, protetor, eu já disse gostoso??? E um pouco autoritário. Ele é um professor sério, rigoroso, temido no campus e para azar (ou sorte) de Rachel ficará de olho na garota. Mas sua vida nem sempre foi fácil como parece.

" Não havia como negar, aquele era um rosto do qual as pessoas não se esqueciam.
Um maldito rosto lindo.
Era ele."

Rachel é muito figura, despachada, protetora, divertida, inteligente, espirituosa e totalmente atrevida. Eu adorei a maneira como ela defende a si mesma e a seus amigos (logo na primeira cena a gente tem uma visão de sua força). Adorei também a forma como sabe lutar pelo que quer.

A química entre Rachel e Caine é incrível, mas foi o passado deles, os demônios contra os quais eles estavam lutando que me deixaram de queixo caído. Foi lindo acompanhá-los numa jornada de cura e superação, enfrentando o passado para poderem ter chance de viver um lindo futuro pela frente. Caine e Rachel se encaixam perfeitamente e a música, mesmo sendo pouco citada para minhas expectativas, tem um papel crucial na vida dos dois..

" Porque a música expressa todas as coisas que uma pessoa não consegue dizer, mas fica impossibilitada de se manter em silêncio."