Featured Slider

O Urso e o Rouxinol, Katherine Arden


Guerra dos tronos encontra Mitologia nórdica, bestseller de Neil Gaiman, neste conto de fadas ambientado na Rússia medieval. Romance de estreia da norte-americana Katherine Arden, que morou dois anos em Moscou.
O urso e o rouxinol mistura aventura, fantasia e mitologia ao acompanhar a jornada da jovem Vasya, criada, junto aos irmãos, num vilarejo próximo de uma floresta, e que cresceu ouvindo de sua ama contos e lendas sobre criaturas que vivem nas matas e que precisam receber oferendas para manter o mal adormecido em seu interior. Mas a chegada de Anna, madrasta de Vasya vinda da capital, de hábitos católicos, e de um padre ortodoxo que resolve instituir as práticas cristãs no vilarejo, provoca uma mudança na rotina da menina e abre as portas para uma terrível catástrofe. Sensível e determinada, Vasya é a única que consegue enxergar e conversar com esses seres fantásticos e torna-se a última esperança para salvar o povoado onde nasceu da destruição.
O Urso e o Rouxinol
Ano: 2017 
Páginas: 320
Idioma: português
Editora: Fábrica 231

A minha principal curiosidade em relação a esse livro era conhecer um pouco da mitologia da Rússia. Acho incrível como a mitologia de um povo conta tanto sobre a sua história e formação. Em O urso e o rouxinol encontramos essa riqueza histórica.

Estamos em um pequeno povoado afastado de tudo, com sua economia baseada na agricultura e na criação de animais, principalmente cavalos. Lá as pessoas creem nos seres que habitam e protegem suas casas e florestas, e deixam pequenas oferendas como um pedaço de pão para o domovoi que mora no forno e protege a casa contra espíritos ruins.

Vasilisa, irmã mais nova de quatro filhos homens, uma garota que não conhece limites e é criada fazendo tudo o que os meninos fazem também tem a habilidade de ver e conversar com todos esses espíritos e de entender os animais, dom que herdou de sua mãe quando ela morreu no parto.

“Me dizem como vou viver e como devo morrer. Tenho que ser a criada de um homem e uma égua para seu prazer, ou tenho que me esconder entre muros e render minha carne para um deus silencioso e frio. Eu entraria nas malhas do próprio inferno, se fosse um caminho da minha própria escolha. Prefiro morrer amanhã na floresta a viver cem anos a vida que me é indicada.”

Dica do Dan



Mulheres na Luta, Marta Breen e Jenny Jordahl

Há 150 anos, a vida das mulheres era muito diferente: elas não podiam tomar decisões sobre seu corpo, votar ou ganhar o próprio dinheiro. Quando nasciam, os pais estavam no comando; depois, os maridos. O cenário só começou a mudar quando elas passaram a se organizar e a lutar por liberdade e igualdade.
Neste livro, Marta Breen e Jenny Jordahl destacam batalhas históricas das mulheres — pelo direito à educação, pela participação na política, pelo uso de contraceptivos, por igualdade no mercado de trabalho, entre várias outras —, relacionando-as a diversos movimentos sociais. O resultado é um rico panorama da luta feminista, que mostra o avanço que já foi feito — e tudo o que ainda precisamos conquistar.
Mulheres na Luta
150 anos em busca de liberdade, igualdade e sororidade
Marta Breen...
Ano: 2019 
Páginas: 128
Idioma: português
Editora: Seguinte

“O livro Mulheres na luta é justamente um esforço de produzir memória”

Mulheres na Luta é um livro de História Geral disfarçado em graphic novel com uma linguagem extremamente acessível ao público mais jovem que precisa conhecer a importância da participação e conquistas que as mulheres tiveram ao longo do tempo em todo o mundo.

O livro abrange um período desde o século XVIII, com a importante participação das mulheres no movimento abolicionista dos EUA, destacando-se Harriet Tubman, escrava que escapou de uma fazenda e ajudava ouros escravos a fugirem, até fatos recentes da nossa história como a luta da ativista Malala e o movimento #MeToo contra o assédio sexual.

Ao longo do século XIX, a luta das mulheres continua sendo pelo direito ao voto, direito à educação e o direito de decidir sobre o próprio corpo, bandeiras essas que continuam a ser motivo de luta em muitos lugares do mundo mostrando que ainda há muito o que se conquistar.

Minha Última Duquesa, Daisy Goodwin

"Beleza, fortuna, admiradores e a arrogância ingênua de acreditar que o dinheiro lhe abriria todas as portas era do que uma jovem precisava para ser feliz nos Estados Unidos no final do século 19. Cora Cash tinha tudo isso. Mesmo assim, lhe faltava o que alguns consideravam o mais importante: um título de nobreza. Por isso, para conseguir um casamento que lhe garantisse um status social inabalável, ela partiu para a Inglaterra aos 18 anos. A primeira impressão do novo país não foi nada boa - a aristocracia era fria e hostil, dominada por intrigas e fofocas. Mas a situação ficou ainda pior quando Cora se apaixonou por um homem que mal conhecia... e entrou em um jogo com regras desconhecidas e que tinha como único prêmio a própria felicidade."
Minha Última Duquesa
Ano: 2013 
Páginas: 379
Idioma: português
Editora: Fundamento

"- Duetos não são uma questão de desempenho individual, mas do relacionamento entre os dois pianistas. O todo deve ser maior do que a soma das partes."


Cora é uma menina mimada, voluntariosa e muito rica que, graças ao anseio da mãe para que tenha um título, vai cruzar o Atlântico para encontrar algum nobre falido para casar. No entanto, ela deseja satisfazer um ultimo desejo: beijar seu crush Teddy e planeja toda a ação. As coisas não acontecem como ela queria e ela parte para a Inglaterra de coração quase partido.

Ivo é o filho mais novo do Duque Wareham, um rapaz misterioso, taciturno e de comportamento imprevisível que graças a duas tragédias em seu passado, resolveu se isolar do mundo. Ao encontrar Cora, sua vida dá uma volta de 180 graus.

Em meio a mentiras, caçadas, intrigas, traições, hipocrisias, Cora conhecerá a sociedade britânica e o que ela tem de pior, se sentirá frustrada e confusa por causa dos preconceitos que sofre e um peixe fora d'água em vários momentos. Ivo, em minha opinião, dava sinais bem confusos e em nenhum momento me convenceu em relação ao seu amor por Cora e juro que torci para o final ser bem diferente das duas possibilidades que a escritora apresentou. 

As Aventuras de Pip




Em comemoração ao Dia Internacional do Livro Infantil, 2 de abril, a The Gift Box disponibiliza, gratuitamente, o primeiro capítulo do livro As Aventuras de Pip, da autora Jane H Berrick, obra vencedora do Holyer An Gof, na categoria melhor livro infantil.