• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Dica do Dan



    Filmes de Natal na Netflix!


    Dezembro começa e pensamos logo em quê? Natal e Ano Novo!

    Tempo de celebrar o nascimento de Jesus. Agradecer pelas graças recebidas. Reunir a família.

    E nem todo mundo gosta de estar no meio da algazarra familiar. Prefere estar quietinho no seu canto, seja com um livro ou assistindo algo legal e divertido. E tem aquelas famílias que adoram ver filmes juntos.

    Independente de qual perfil é o seu, a Netflix está com vários filmes focados no tema. E vim contar para vocês quais deles já assisti e recomendo!

    Para os que adoram um bom romance com toque de Conto de Fadas, minhas duas recomendações serão perfeitas!


    O Príncipe do Natal: Quando uma repórter chamada Amber (Rose McIver) se disfarça de tutora para fazer uma reportagem inspirada na vida de um príncipe playboy, ela acaba se envolvendo em uma intriga real e vive uma grande paixão. Porém, depois de encontrar o amor de sua vida, será que Amber vai ser capaz de manter sua mentira em nome de uma matéria?

    O dia em que minha vida mudou, Keka Reis

    O que aconteceu com Mia depois do dia em que a vida dela mudou por causa de um chocolate comprado nas ilhas Maldivas? Tudo e mais um pouco. Porque quando se está no sexto ano é assim mesmo. Os dias nunca mais são normais. Longe da mãe pela primeira vez na vida e dentro de um ônibus de excursão cheio de crianças enlouquecidas, Mia tem mais um dia maluco pela frente. Para começar, o Bereba, que agora é seu Namorado com N maiúsculo, apareceu no ônibus com o cabelo espetado. Seus amigos resolveram brincar de chão de lava e cantar músicas rimadas um tanto maldosas.
    Lá fora, sua mãe está muito esquisita desde que começou a namorar um moço carecacabeludo que rouba a faca do pão com manteiga na hora do jantar. E, de repente, todo mundo parece se importar com o fato de Mia e Bereba não terem se beijado ainda… E agora? Como sobreviver a mais esse dia sem perder a cabeça?
    O Dia em Que a Minha Vida Mudou Por Causa de Um Pneu Furado em Santa Rita do Passa Quatro
    O Dia em Que a Minha Vida Mudou #2
    Ano: 2018 
    Páginas: 204
    Idioma: português 
    Editora: Seguinte

    “ Mas existe uma grande diferença entre as coisas que a gente acha que vão acontecer e as coisas que realmente acontecem.”

    Despretensiosamente,  peguei esse livro todo fofucho na esperança de curar minha ressaca profunda da última leitura. Propósito alcançado! Dei tanta risada, mas tanta risada!!!! A começar com este título que mais parece uma sinopse e continuei pocando de rir durante toda a leitura.

    Maravilha! Era o que eu estava precisando!!!


    Mia é uma garota de onze anos que está no sexto ano e vivendo fortes mudanças de vida, desde a adaptação de ter um namorado até o fato de, pela primeira vez, precisar desapegar da mãe. Ela sempre foi unha e carne com a mãe e agora que chegou a hora H de cortar o cordão umbilical, ela está em choque sem saber se conseguirá vencer seu maior medo. Aliado a isso ainda precisará encarar a pressão dos colegas em relação ao seu primeiro beijo com o namorado com N maiúsculo, Bereba.

    Ela e a turma da escola irão fazer um estudo de meio em Barretos e essa viagem vai gerar muita ansiedade na menina que verá um namorado repaginado e os colegas ávidos por fofocas.

    “ Estudo do meio é o jeito chique de chamar uma excursão de escola. A gente viaja, estuda alguma coisa no meio do caminho, ou enquanto viaja.”

    Muitas confusões e brincadeiras movimentam esse trajeto, fazendo Mia questionar sua decisão em aceitar participar deste projeto.


    A Irmã da Lua, Lucinda Riley

    Em A Irmã da Lua, quinto volume da série As Sete Irmãs, duas jovens separadas por um século têm suas vidas entrelaçadas numa emocionante história sobre fé, tradição, paixão e sobrevivência.
    Entre as filhas adotivas de Pa Salt, Tiggy D’Aplièse é conhecida como a instintiva e sensível. Envolvida em sua carreira na proteção de animais selvagens, ela não sabe se está preparada para seguir as pistas de suas origens, deixadas pelo pai.
    Ao aceitar um novo emprego nas belíssimas Terras Altas escocesas, Tiggy fica apaixonada pela remota propriedade, administrada pelo enigmático Charlie Kinnaird. O belo cirurgião cardíaco acabou de herdá-la e enfrenta problemas para reerguê-la e transformá-la em um santuário para as espécies nativas.
    Em seu novo lar, Tiggy encontra o velho cigano Chilly, que altera totalmente seu destino. Ele conta que ela não só possui um sexto sentido, proveniente dos ancestrais, como há tempos foi previsto que ele a levaria até suas origens na Espanha, nas montanhas sagradas de Sacromonte, à sombra da magnífica Alhambra.
    Escrito com a notável habilidade de Lucinda para entrelaçar enredos emocionantes e nos transportar para épocas e lugares distantes, A irmã da lua é uma brilhante continuação para a aclamada série das Sete Irmãs, e uma leitura saborosa e reveladora.
    A Irmã da Lua
    A história de Tiggy
    As Sete Irmãs #5
    Ano: 2018 
    Páginas: 592
    Idioma: português 
    Editora: Arqueiro

    Mais uma das irmãs D’Aplièse. A irmã espiritual, a excêntrica.

    "Confie em seus instintos, Tiggy, eles nunca vão deixá-la na mão." 
    Pa Salt

    Sim, Tiggy é muito sensitiva, e sua habilidade com os animais é bem reconhecida, embora suas premonições sejam levadas sem seriedade.

    Estando na Escócia, prestes a ficar sem um lugar para trabalhar, pois sua amiga Margareth está de mudança e seus animais também. Tiggy recebe uma proposta de emprego de Charlie Kinnaird, um médico escocês que acabou de herdar a propriedade da família e pretende expandir a fauna.

    "A vida tem a ver com intuição e um pouco de lógica. Se você aprender a equilibrar os dois, qualquer decisão que tomar será naturalmente a correta." 
    Pa Salt

    Com apoio de Margareth, ela aceita ir com os gatos selvagens para a Propriedade Kinnaird. E lá ela vai conhecer o Cal, que é meio que faz tudo do Charlie. Cal adora carne e gosta de provocar Tiggy por ser vegana, mas os dois acabam se entendendo bem e os diálogos deles são engraçados.

    Mas o melhor de tudo é o cigano, Chilly, com seus 95 anos, assim que bate os olhos nela, ele sabe que sua missão será cumprida. Mandar Tiggy para casa.

    "- O inverno vem antes da primavera, lembre-se disso Hotchiwitchi." Chilly

    À beira da loucura, B.A. Paris

    Cass está sendo consumida pela culpa desde a noite em que viu uma mulher dentro de um carro parado na estrada perto de sua casa, durante uma terrível tempestade, e tomou a decisão de não sair para ajudá-la. No dia seguinte, aquela mesma mulher foi encontrada morta naquele exato lugar. Cass tenta se convencer de que não havia nada que pudesse ter feito. E, talvez, se tivesse ido ajudá-la, poderia ela mesma estar morta agora. Mas nada disso é o suficiente para aplacar a angústia que sente, principalmente considerando o fato de que o assassinato aconteceu ali do lado, bem perto de sua casa isolada ― e que o assassino ainda está à solta.
    Então, depois da tragédia, Cass começa a ter lapsos de memória: não consegue se lembrar de ter encomendado um alarme para casa, não sabe onde deixou o carro, muito menos por que teria comprado um carrinho de bebê quando nem filhos tem. A única coisa que ela não consegue esquecer é Jane, a mulher que poderia ter salvado, e a culpa terrível que a corrói por dentro. Tampouco consegue esquecer as ligações silenciosas que vem recebendo, nem a sensação de que está sendo observada.
    Seria possível que o assassino a tivesse visto, parada no acostamento, enquanto decidia se ajudaria a mulher ou não? Será que ele está tentando assustá-la para que ela não conte nada à polícia? Mas como alguém poderia acreditar em seus temores quando nem mesmo ela é capaz de saber o que é verdade e o que é mentira? E como Cass pode acreditar em si mesma quando tudo ao seu redor parece provar que está ficando louca?
    À Beira da Loucura
    Em quem mais confiar quando não se pode confiar em si mesmo?
    Ano: 2018
    Páginas: 350
    Idioma: português 
    Editora: Record

    Durante uma tempestade, Cass tenta voltar para casa o mais rápido possível. Ao pegar um atalho que seu marido a advertiu à não pegar, Cass vai se deparar com o início do seu sofrimento.

    Parado no acostamento está um carro com uma mulher dentro. Cass ainda resolve parar para ajudar, mas como não obteve resposta, seguiu seu caminho. No outro dia, recebe a noticia de que um corpo foi encontrado dentro de um carro no mesmo lugar em que ela passou, coincidência?

    A culpa domina seu corpo e, mesmo que ela pudesse ter feito algo, não poderia ter certeza de que teria salvado uma vida. A culpa se torna medo quando ela começa a receber ligações silenciosas e sempre ter a sensação de estar sendo observada.

    Seus problemas de memória (hereditário) estão ficando mais fortes e Cass se vê sozinha para aguentar a pressão da situação pois todos ao seu redor acreditam que ela está louca, mas quem está certo nessa história?