• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • À Convite - Ilmara Fonseca: Em poesia, Lara Braga

    "A partir de seu universo particular e das trocas com a família, amigos, amores e consigo mesma, a poetisa Lara Braga traduz as infinitas realidades e possibilidades sutis femininas em sensações, vezes doloridas, vezes felizes, intensas e profundas.
    As poesias não ficam presas, mas dançam nas páginas ao longo do livro."
    Em poesia
    Mulheres em cena  
    Volume 2
    Lara Braga
    Ano: 2017 
    Páginas: 94
    Idioma: português
    Editora: Bambual


    Olá, amigos leitores! Tudo bem com vocês?

    Os tempos não são os mais floridos, mas sempre é gratificante falar de livros e, principalmente, de poesia. Um gênero que me identifico muito e que me apazígua das rudezas da vida. Hoje o prazer é duplo porque trago para vocês literatura brasileira e feminina! 

    Em poesia é o livro de estreia de Lara Braga e também o segundo volume da coleção Mulheres em Cena. Esta é mais que uma coleção de livros, é um projeto idealizado e criado pelas irmãs Lara Braga e Nara Tosta que engloba publicação de livros, realização de eventos presenciais e online, assim como ações nas redes sociais, sempre com o propósito de propiciar a discussão e o fomento de questões relativas ao Feminino neste momento tão especial de afirmação da igualdade de gêneros na atualidade.

    A poesia de Lara é leve e simples e ora traz em seus poemas os versos brancos, ora nos presenteia com a sonoridade das rimas, que conferem a musicalidade e leveza ao texto. Os assuntos são os mais diversos possíveis, sempre apresentando ao leitor o seu olhar sobre o mundo, sobre os acontecimentos, a vida e, principalmente, um olhar sobre a mulher. 

    A inesquecível Lady Whistledown, da série Os Bridgertons, está de volta


    O novo clássico de Jorge Caldeira


    Books da Gata: A Little Too Late

    I wasn't supposed to fall in love with the nanny.
    When my wife left, she took the illusion of happiness with her, and I've been caught in a free fall ever since. For nine long months, I've been fighting to figure out how to be a single dad, how to be alone.
    For nine long months, I've been failing.
    When Hannah walked through the door, I took my first breath since I'd found myself on my own. She slipped into our lives effortlessly, showing me what I've been missing all these years. Because Hannah made me smile when I thought I'd packed the notion of happiness away with my wedding album.
    She was only supposed to be the nanny, but she's so much more.
    The day my wife left should have been the worst day of my life, but it wasn't. It was when Hannah walked away, taking my heart with her.
    A Little Too Late
    Staci Hart
    Ano: 2017 
    Páginas: 249
    Idioma: inglês
    Editora: Staci L Brillhart



    For the synopsis and this cover full of lyricism you can see what lies ahead with the story of Charlie. For those who do not remember or have not read, Charlie is married to the unbearable Mary, Elliot's sister, the protagonist of A Thousand Letters. In A Thousand, Staci shows who Mary and Charlie are and how their marriage was doomed to failure. Said and right... The failure happened, Elliot even tried to help but as Wade came first in the heart of the girl, she was enjoying every second that spent away from her beloved and Charlie is now alone and steeped in work.

    It is in this moment of chaos that comes to the scenes sweet and dreamy Hannah, a Dutchwoman who was trying to find a way in America and ends up as Charlie's nanny after a serious problem she lived.

    Hannah is like a blast of light at Charlie's house, the kids love her, the cooky loves her and of course Charlie would not resist the angelic charms of the girl.

    I loved many things in this book but highlight to me was how Staci got a story well of boss-nanny cliché and managed to turn into a surprising and beautiful love story. The point of conflict was something very interesting and the way everything was solved made me drop millions of sighs.

    Charlie's children, Sammy and Maven, are also an attraction apart, Sammy bringing humor to the story and cute Maven, highlighting the best of Hannah.

    Narrated in the first person alternating the protagonists , I was following the conflicts of each one of them and hoping that everything went right. Now here I am in a deep reading hangover wanting more.

    Kisses, Myl

    Eu não deveria me apaixonar pela babá.
    Quando minha esposa partiu, ela levou a ilusão de felicidade com ela, e eu estava em uma queda livre desde então. Durante nove longos meses, tenho lutado para descobrir como ser um bom pai, como é estar sozinho.
    Durante nove longos meses, eu falhei.
    Quando Hannah atravessou a porta, dei o meu primeiro suspiro desde que me encontrei sozinho. Ela entrou em nossas vidas sem esforço, mostrando-me o que esqueci todos esses anos. Porque Hannah me fez sorrir quando pensei que eu embalara a noção de felicidade em meu álbum de casamento.
    Ela só deveria ser a babá, mas ela é muito mais.
    O dia em que minha esposa partiu deveria ter sido o pior dia da minha vida, mas não foi. Foi quando Hannah se afastou, levando meu coração com ela.

    Já pela sinopse e essa capa cheia de lirismo,  dá para perceber o que vem pela frente com a história de Charlie. Para quem não lembra ou não leu, Charlie é casado com a insuportável Mary, irmã de Elliot, protagonista de A Thousand Letters. 

    Em A Thousand, Staci mostra quem são Mary e Charlie, e como o casamento do dois estava fadado ao fracasso. Dito e certo... O fracasso aconteceu, Elliot até tentou ajudar mas como Wade veio primeiro no coração da moça, ela foi curtir todos os anos que passou longe de seu amor e Charlie ficou só e mergulhado no trabalho.

    É nesse momento de caos que chega a doce e sonhadora Hannah, uma holandesa que estava tentando buscar um rumo na América e acaba como babá de Charlie depois de um problema sério que viveu.

    Hannah é como um sopro de luz na casa de Charlie, as crianças a amam, a cozinheira a ama e claro que Charlie não iria resistir aos encantos angelicais da garota.

    Amei muitas coisas nesse livro mas destaque, para mim, foi como Staci pegou uma história bem clichê de chefe/babá e conseguiu transformar numa surpreendente e linda história de amor. O ponto de conflito foi algo bem interessante e a forma como tudo se resolveu me fez soltar milhões de suspiros.

    Os filhos de Charlie, Sammy e Maven, também são uma atração a parte, Sammy trazendo humor a história e Maven, fofucha, ressaltando o melhor de Hannah.

    Narrado em primeira pessoa, fui acompanhando os conflitos de cada um e torcendo para que tudo desse certo. Agora tô aqui numa ressaca profunda querendo mais...

    Beijos, Myl


    Livros da Gata: Meu Refúgio

    Segredos são como fantasmas, nos assombrando e nos fazendo crer que são reais. Todos temos segredos.
    Alan sempre se esforçou para ser um bom filho, o aluno excelente, o funcionário dedicado e o melhor amigo que alguém pode querer. A fachada perfeita para esconder seus segredos, fazendo parecer que tudo estava bem, mesmo que por baixo disso, se esconda um garoto machucado, perdido e silencioso que há tempos deixou de acreditar em promessas.
    cin
    Monique sempre teve duas certezas em sua vida: seria uma renomada bailarina e seu coração pertenceria a um único garoto, Alan.
    Apaixonada e sonhadora, Monique acreditou que nada poderia separá-la de Alan, mas o destino colocou a jovem bailarina diante de escolhas que a afastaram de tudo o que acreditou ser certo, de forma cruel e abrupta.
    Um rapaz julgado por ser diferente. Uma garota condenada a pagar por se apaixonar pela pessoa errada. Um segredo capaz de mudar o futuro e de mostrar ao mundo que nada pode destruir um verdadeiro amor.
    Uma história sobre como o amor verdadeiro pode ser forte, corajoso e capaz de suportar os caminhos mais obscuros em busca do seu refúgio.
    Meu Refúgio
    "Quando a dor silencia um coração, somente o amor é capaz de ouvi-lo''
    Segredos #3
    Cinthia Freire
    Ano: 2017
    Páginas: 450
    Idioma: português
    Editora: Independente


    Cinthia Freire, para variar só um pouquinho, criou outra história dramática e arrebatadora, cheia de reviravoltas, emoções e sentimentos. Um livro sem igual, capaz de deixar o coração do leitor pequeninho e pedindo arrego.

    Alan é um personagem que atraiu a atenção das leitoras, desde o livro 1, com seu jeito protetor e carinhoso, uma mistura bem dosada de badboy e amigo fiel, o cara sem o qual não consigo imaginar Gabriel. O típico Bromance dos sonhos. Um fofo.

    Agora ele ganhou uma história de amor para chamar de sua, onde ele revela seu lado frágil e carente, fofo e amargo, além de trazer, para nosso deleite, a garota que, para mim, é a melhor personagem feminina da série. Monique não é mais uma garota riquinha com sonhos de ser bailarina e vida tranquila, ela se mostra uma mulher forte e guerreira que soube enfrentar a ira e a crueldade de cabeça erguida e se reconstruir.