• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Um milhão de finais felizes, Vitor Martins

    Jonas não sabe muito bem o que fazer da vida. Entre suas leituras e ideias para livros anotadas em um caderninho de bolso, ele precisa dar conta de seus turnos no Rocket Café e ainda lidar com o conservadorismo de seus pais, sua mãe alimenta a esperança de que ele volte a frequentar a igreja, e seu pai não faz muito por ele além de trazer problemas.
    Mas é quando ele conhece Arthur, um belo garoto de barba ruiva, que Jonas passa a questionar por quanto tempo conseguirá viver sob as expectativas de seus pais, fingindo ser uma pessoa diferente de quem é de verdade. Buscando conforto em seus amigos (e na sua história sobre dois piratas bonitões que se parecem muito com ele e Arthur), Jonas entenderá o verdadeiro significado de família e amizade, e descobrirá o poder de uma boa história.
    Um Milhão de Finais Felizes
    Vitor Martins
    Ano: 2018
    Páginas: 352
    Idioma: português 
    Editora: Globo Alt


    Jonas não possui a vida que quer. Acabou de terminar o Ensino Médio e não entrou na faculdade, trabalha em uma cafeteria com um cardápio bem peculiar, seu pai é um embuste que só faz desprezá-lo e, para completar, é um garoto gay que cresceu num ambiente religioso. Uma das vontades de Jonas é ser escritor, porém seu costume em não acabar as coisas o deixa apenas com a opção de escrever um livro de 1001 ideias para construir seu livro.

    Tudo muda quando um cliente aparece no Rocket Café. Um jovem de barba ruiva e muito atraente que é atendido por Jonas e que vai soltar a imaginação dele, onde nascerá Piratas Gays, a história de dois piratas que viverão um amor proibido em alto mar.

    Como o destino adora pregar peças nas pessoas, Jonas acabará conhecendo o seu verdadeiro pirata de barba ruiva chamado Arthur durante uma festa de carnaval junto com seus amigos. E daí começa um romance gostoso e uma história emocionante.

    Garotas tristes, Lang Leav

    Poético e perturbador, Garotas tristes é um intrigante romance em que amor, segredos e tragédias colidem.
    Seu primeiro amor não é a primeira pessoa a quem você dá o coração: é a primeira que o quebra.
    O luto toma conta da cidade quando Ana tira a própria vida, mas é Audrey, uma colega de classe pouco próxima da garota, que o sente mais profundamente: uma mentira inventada por ela pode estar por trás do suicídio. Lucy e Candela, suas melhores amigas, ajudam-na a manter a história em segredo, sem saber que a trama toda foi inventada por ela.
    Após o ocorrido, a vida das garotas entra numa espiral decadente. Entre os ataques de pânico constantes de Audrey, a nova rotina obscura de Candela e a tentativa de mediação de Lucy, uma amizade até então estruturada começa a ruir. Um novo romance parece ser exatamente o que Audrey precisa, mas o misterioso Rad não pode ser o par ideal. Ou pode?
    Enquanto tenta equilibrar um romance inadequado, o começo de uma carreira e o próprio egoísmo, Audrey tem que lidar com as consequências de seus atos: a ansiedade constante e a forma como sua mentira afetou todos ao seu redor.
    “Lang Leav ataca nada menos que o amor, em todos os seus aspectos complexos, confusos e esplêndidos.” Elle Magazine
    “Incrivelmente poderoso, Garotas tristes é outro livro que o fará pegar a caixinha de lenços.” BUSTLE
    “Leav faz parte de uma nova geração de autores best-sellers, elevados a celebridade e com propostas de livros cobiçadas.” The Guardian
    Garotas Tristes
    Ano: 2018
    Páginas: 416
    Idioma: português 
    Editora: Globo Alt

    Esse livro está participando da Batalha de Colunistas.

    Tem como um livro de levar do amor ao ódio em apenas uma virada de página??? Garotas Tristes fez isso comigo.


    Audrey, Lucy e Candela são melhores amigas. Estudam na mesma escola e moram numa cidadezinha onde nada acontece. Freddy, namorado de Lucy, e Duck, namorado de Audrey, ajudam a formar esse grupo praticamente inseparável.

    "Relacionamentos são coisas complexas. Na superfície deveria ser simples. Mas é como cebola. Tantas camadas ali."

    Seria apenas mais uma noite de conversa fiada entre as amigas se não fosse por Audrey resolver inventar uma mentira, mas não uma daquelas mentiras que a gente julga ser inocente (apesar de não acreditar que existam mentiras inocentes, diga-se de passagem). Essa mentira cresce e se espalha por toda a cidade levando Ana ao suicídio...

    Audrey se sente culpada, mas não tem coragem de contar a verdade para ninguém, nem mesmo para a sua psicóloga ou melhores amigas. Em função disso ela passa a ter crises de ansiedade de paralisar.

    "Quanto mais forte a emoção, mais forte o puxão. Sentimentos não são sempre práticos, nem fazem qualquer sentido lógico. E só o jeito que as coisas são."

    Sway, Kat Spears




    Sway é o apelido de Jesse Alderman, por causa de seu talento para conseguir qualquer coisa para qualquer pessoa, como providenciar trabalhos escolares, fazer com que pessoas sejam expulsas da escola, arrumar cerveja para as festas, entre outras coisas, legais ou ilegais... É sabendo dessa fama que Ken Foster, o capitão do time de futebol da escola, pede a ele um trabalho controverso: Ken quer que Bridget Smalley saia com ele. Com seu humor ácido e seu jeito politicamente incorreto de ver a vida, Sway terá que encarar o trabalho mais difícil que já teve: sufocar todos os sentimentos que Bridget desperta nele, a única menina verdadeiramente boa que ele conheceu em toda a sua vida.
    Sway
    Ano: 2016 
    Páginas: 256
    Idioma: português
    Editora: Globo Alt

                               

    Em uma frase:

    Um livro delicia com abordagem polêmica e capa sugestiva.

    Olha! Esse livro me surpreendeu de tantas formas que nem sei como começar esta resenha e, o pior de tudo, estou emocionalmente envolvida na história ainda e isso me dá medo de soltar algum spoiler (Prometo que vou reler umas 5 vezes antes de publicar... hehehehe). Afinal a sinopse é bem sucinta e, te digo, não transmite nada mais que uma historinha de High School.

    Primeiro vou contar como corri atrás deste livro.

    Batalha de Colunistas - Globo Alt

    Oi, gente!

    Se você acompanha o nosso blog e nossas redes sociais, já deve ter visto algo a respeito dos nossos eventos da Batalha de Colunistas, não é?

     Se você é novo por aqui ou não se recorda, segue um resumo rápido: a Batalha de Colunistas é um evento criando pelo Blog Minha Velha Estante que consiste em cada colunista defender e brigar para provar que o seu livro escolhido é o melhor. 



    Dessa vez, a nossa batalha será realizada aqui mesmo, no nosso blog e, ao vivo, no nosso perfil no Instagram. Gostou da ideia? Então, fique atento, no dia 24/01, na próxima quinta-feira, às 17h. 


    Nossa Batalha de Colunistas será feita com livros da Globo Alt: Sway, Garotas Tristes e Um milhão de finais felizes. Ao longo da semana serão publicadas aqui as resenhas dos três livros para ajudar a você escolher o que mais gosta.


    Mas como em todas as nossas batalhas alguns participantes ganharam seus livros preferidos, dessa vez não será diferente. você terá a oportunidade de votar, escolher o seu favorito e concorrer no sorteio.

    Dica do Dan