• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Uma Odisseia Coreana


    Coisas interessantes/estranhas acontecem comigo quando estou entediada. Dessa vez, foi algo surpreendente.

    Lá estava a minha pessoa, com 39 graus de febre, enclausurada no meu quarto escuro, quase uma moribunda, quando eu vi que uma série coreana tinha sido adicionada ao catálogo do Netflix.

    Vejam bem, eu amo filmes/séries em espanhol/francês/italiano (as comédias italianas são as melhores), mas eu nunca tinha conseguido convencer a mim mesma de ver alguma coisa de origem asiática. Na minha cabeça, a língua em si (apesar de existir legendas) e eu, não nos daríamos bem. Mas lá estava eu, entediada, lendo a sinopse dessa série estranha que misturava Supernatural com a Coreia moderna e pensei: porque não?

    E eu vou dizer a vocês, eu me surpreendi.

    Eu vou tentar fazer uma sinopse resumida, mas sinto que não vai rolar porque essa série tem muito enredo.

    Uma Odisseia Coreana, segundo minhas pesquisas, é a releitura de um clássico antigo da Coreia, um clássico sobre a redenção de seres celestiais e como essa redenção teve relação com um humano especial.

    A série começa com uma menina, uma menina que é considerada maluca ou perigosa por dizer que consegue ver espíritos. Um dia, voltando da escola, a menina é atacada por um espirito ruim mas acaba sendo salva por um homem misterioso e seu guarda-chuva. O homem, que se identifica como um mago, faz um acordo com a menina, ela precisa entrar em uma casa e pegar um leque de penas e, em troca, ele dará para ela o guarda-chuva mágico capaz de afastar espíritos.


    Cansada de viver com medo, a menina aceita o acordo e entra na casa. O problema é que a casa não estava vazia, ou sequer era uma casa (na verdade, era uma prisão). Um homem estava preso lá dentro e só poderia sair de lá caso alguém especial quebrasse a sua maldição. Esquecendo do trato que fez com o mago, a menina propõe um acordo ao homem da casa: ele vai protegê-la pelo resto de sua vida, vindo em seu resgate toda vez que chamar pelo seu nome e, em troca, ela quebraria a maldição.

    O homem na casa aceita o acordo, se liberta, mas, mostrando o motivo pelo qual estava preso lá em primeiro lugar (ele era um ser celestial que cometeu um pecado tão grande que foi mandado para o mundo dos mortais), rouba a memória da menina para que ela não se recorde de seu nome e não possa chamá-lo, o deixando livre para fazer o que quiser com sua recém descoberta liberdade.


    Vinte e cinco anos se passam, a menina cresceu, fundou uma empresa e ficou rica mas vive uma vida solitária, uma vez que todos que a conhecem tem medo dela ou da maldição que ela parece ter (todo mundo ao redor dela tende a morrer), mas tudo muda quando ela se machuca e descobre ser a reencarnação/descendente de um monge muito poderoso que uma vez equilibrou a balança entre o mundo dos mortais e do sobrenatural.

    O problema nisso é que todos os imortais estão atrás dela, incluindo o homem que estava preso na casa mas, que pelo acaso do destino ou pelo acordo que fizeram 25 anos atrás, não pode matá-la. Em reviravoltas do destino, ele acaba se vendo como o protetor dela.

    Não vou adentrar mais na história para não dar spoiler, mas a série é cheia de cenas engraçadas, loucas, viagens no tempo, fantasmas estranhos, cenas de luta estilo Tigre e o Dragão, cenas românticas (com direito a encaradas que duram 30 segundos), seres místicos da cultura coreana e um pouco de falta de noção (essa parte não atrapalha, na verdade, dá até um toque eclético a coisa toda haha).

    Para vocês terem uma ideia, o rei demônio (yeap) é o jurado de um show de talentos e é o agente de várias bandas de sucesso, a entidade conhecida como porco é um famoso cantor K-POP, o Rei Macaco (é um celestial) dirige um Mercedes conversível e vive tomando multas e o general do inverno tem um quiosque de sorvete.

    A série é engraçada, é estranha e realmente me encantou ao ponto de abrir meus olhos a todo um segmento que antes eu ignorava.

    Só digo uma coisa, se preparem, eu prevejo muitas resenhas sobre programas coreanos para o futuro.


    4 comentários :

    1. Hahahaha já vi de tudo nessa vida, mas alguém com tanta febre ir caçar uma série ainda mais coreana para ver, foi a primeira vez e dei muita risa(me perdoe) disso.
      Tenho meus dois pés atrás com séries coreanas, aliás, até o mercado do cinema coreano eu tenho receio,mas isso tem mudado nos últimos tempos. No cinema, andam aparecendo algumas produções muito boas e dignas de serem assistidas.
      Ainda não conhecia a série acima e mesmo não fazendo muito meu estilo, gostei e vou procurar pra ver.
      Beijo e melhoras!rs

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Mulher, pode rir! Eu sou estranha mesmo hauhauahuahua

        É isso, eu tb tinha esse problema, mas estou começando a navegar por esse mundo e estou amando!! Recomendo o salto de fé, principalmente se for com Odisseia Coreana que é maravilhosa huahaua

        Mas obrigada, graças a deus já estou bem haha

        Excluir
    2. Olá Tata!!!
      Eu sou a louca dos doramas e sim estava atrás de alguma resenha que falasse sobre esse dorama lançado na Netflix *-*
      Adorei a resenha e traga mais doramas mesmo!!!
      Quiser dicas de alguns eu posso recomendar e tem inúmeros no DramaFever ^^

      lereliterario.blogspot.com

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi Antonia!

        Eu estou começando agora nesse mundo então claroooo que aceito indicações! Eu acabei goblin outro dia (também amei muito essa) e to vendo Black e Oh My Ghost!!

        Mas serio, até agora a minha favorita é Odisseia! Nossa muito bom mesmo!! Veja sem medo!!

        Excluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!