• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • A melodia feroz, V. E. Schwab


    Kate Harker e August Flynn vivem em lados opostos de uma cidade dividida entre Norte e Sul, onde a violência começou a gerar monstros de verdade. Eles são filhos dos líderes desses territórios inimigos, e seus objetivos não poderiam ser mais diferentes. Kate sonha em ser tão cruel e impiedosa quanto o pai, que deixa os monstros livres e vende proteção aos humanos. August também quer ser como seu pai: um homem bondoso que defende os inocentes. O problema é que ele é um dos monstros, capaz de roubar a alma das vítimas com apenas uma nota musical. Quando Kate volta à cidade depois de um longo período, August recebe a missão de ficar de olho nela, disfarçado de um garoto comum. Não vai ser fácil para ele esconder sua verdadeira identidade, ainda mais quando uma revolução entre os monstros está prestes a eclodir, obrigando os dois a se unirem para conseguir sobreviver.

    A Melodia Feroz
    Enfrente seus monstros
    Monstros da Violência #1
    Título Original: This savage song
    Ano: 2017 
    Páginas: 384
    Idioma: português 
    Editora: Seguinte

    E se toda a maldade humana se personificasse? Se cada ato de maldade ganhasse corpo, como seria esse mundo? A autora Victoria Schwab nos mostra em A melodia feroz como poderia ser.

    “Quando alguém aperta um gatilho, dispara uma bomba, faz um ônibus cheio de turistas cair da ponte, o resultado não são apenas escombros e cadáveres. Existe outra coisa. Algo mau. Uma consequência. Uma repercussão. Uma reação a todo o ódio, dor e morte.”

    Vamos conhecer esse mundo através dos olhos de Kate Harker e de August Flynn.

    Kate é uma garota um tanto quanto rebelde, mas não sem causa. Em cinco anos, já foi expulsa de seis escolas diferentes. Na última em que estava, uma escola de freiras, colocou fogo na capela propositalmente para ser expulsa e voltar a morar com o pai. Seu pai é Callum Harker, líder do lado Norte de Veracidade, mantém os monstros do seu lado com punho de ferro e vende sua proteção para os humanos. Sua mãe morreu em um suspeito acidente de carro quando ainda era criança, enquanto ela fugia de seu pai por não concordar com os seus métodos. Desde então Kate tenta reconquistar o amor e a admiração de seu pai tentando fazê-lo acreditar que ela é como ele.


    Exatamente do outro lado, na Cidade Sul, temos August Flynn, um sunai criado como filho por Henry Flynn, vencedor da guerra territorial que dividiu Veracidade em duas. August é um monstro, acredita-se existirem apenas mais dois sunais além dele: Leo e Ilsa, criados como seus irmãos. Mas August é um fofo! Tem uma super audição, a pele resistente como uma pedra, adora ler e tocar seu violino, literalmente se alimenta de música.

    August é enviado para a escola de Kate para ficar de olho nela, para usá-la como trunfo em uma possível quebra da trégua entre as duas cidades. Tarefa fácil? Não para August. Ele tem que criar uma nova identidade, se passar por humano e estar do lado inimigo da cidade.

    Naturalmente os dois acabam se aproximando, e Kate fica fascinada pelo garoto misterioso. Até que as coisas começam a desandar.

    “A cada noite, a morte rastejava Fenda adentro. Havia monstros demais e bons homens de menos.”

    Um dos pontos mais interessantes da história é como a autora trata a violência e suas consequências de maneira tão crível, quase real. No mundo de Veracidade, a violência cria monstros. Os corsais, mais comuns, surgem de atos violentos sem morte, se alimentam de carne e ossos, estão sempre à espreita. Os malchais surgem de homicídios, se alimentam de sangue e tem aparência humana. Os sunais surgem de crimes hediondos e que tiram várias vidas, se alimentam da força vital dos pecadores e são indestrutíveis.

    Mas August não parece ser um monstro... Ele é sensato, não acha que a violência seja a solução para nada, acredita no diálogo, é gentil, leal e meigo, cheio de medos e fragilidades. Então, o que faz dele um monstro? Victoria Schwab vai mexer com os seus conceitos ao apresentar essa obra fantástica, vai tirar você da sua zona de conforto e te fazer refletir sobre violência suas causas e consequências. 

    "A música era como uma lâmina cortando a escuridão."

    Romance? Ainda não. E a autora marcou mais um ponto comigo por não empurrar para o leitor um casal só para constar. Nada contra o romance, mas ainda não era a hora. E, quem sabe, essa amizade entre criaturas tão opostas, mas com tanto em comum possa ser uma promessa de algo mais?

    A capa é linda e a edição está impecável, é a Editora Seguinte dando show!






    0 comentários :

    Postar um comentário

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!