• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Filme - O Amante da Rainha


    O Amante da Rainha

    Lançamento: 8 de fevereiro de 2013  (2h 17min) 

    Dirigido por: Nikolaj Arcel

    Com: Mads Mikkelsen, Alicia Vikander, Mikkel Boe Folsgaard  mais 

    Gênero: Histórico , Drama , Romance

    Nacionalidade: Dinamarca

    Título original: En Kongelig Affære 

    Distribuidor: EUROPA FILMES 

     

    Século XVIII. Caroline Mathilde (Alicia Vikander) é uma jovem britânica que se torna rainha da Dinamarca após se casar com o insano rei Christian VII (Mikkel Boe Folsgaard). Em viagem pela Europa, a saúde mental do monarca piora a cada dia e um acompanhamento médico torna-se necessário. O alemão Johann Struensee (Mads Mikkelsen) é escolhido e rapidamente conquista a confiança do rei, tornando-se seu confidente e principal conselheiro. Promovido a médico da corte, Struensee também se aproxima cada vez mais de Caroline. Aproveitando-se da fragilidade de Christian, os dois assumem o poder do país e iniciam uma surpreendente reforma de inspiração iluminista.

     

    Uma mulher escreve aos filhos nove anos após ter sido separada deles. Assim começa O Amante da Rainha, que promete algo grandioso. A princesa inocente, o rei louco, o amante carinhoso, a sogra ambiciosa e o padre conservador estão presentes, em seus lugares predeterminados no tabuleiro, na ordem esperada de aparição.

     

    O filme recebeu dois prêmios notáveis e merecidos no Festival de Berlim em 2012. Um deles, de Melhor Roteiro, escrito por Rasmus Heisterberg e pelo também diretor Nikolaj Arcel. A trama narra a história de Caroline Mathilde (Alicia Vikander), jovem natural da Inglaterra que teve o casamento arranjado com o Rei da Dinamarca, Christian VII (Mikkel Boe Følsgaard). Caroline imaginava que o futuro marido era o par ideal, mas conhece um rapaz estúpido e infantil, que se revelará, mais tarde, um insano.

     


    Quando sai em viagem à Europa, após o filho do casal nascer, Christian é obrigado a se consultar com um médico. Aqui o espectador familiariza-se com sua insanidade. O alemão e idealista Johann Friedrich Struensee (Mads Mikkelsen), ao invés de questionar sintomas, acompanha o fluxo da imaginação do rei, que logo o vê como um amigo e o leva para a corte.

     

    Mas o mais importante do filme é a mostra da ascensão do Iluminismo em uma Europa retrógrada, com leis severas, tortura e desprezo pelo povo, mostrado através do relacionamento verídico entre a jovem rainha decepcionada e o médico Struensee. Lindo ver o aflorar do amor entre os dois. Caroline começa a despertar sua curiosidade em relação ao médico intruso, rejeitado por ela, a principio, quando descobre que Struensee possui os livros que ela tanto ama e que são proibidos no reino. A má vontade da jovem se transforma assim que seus olhos encontram Rousseau e Voltaire na estante do médico. Da leitura dos Iluministas nasce o romance que mudaria a história da Dinamarca. A paixão vai sendo despertada pela admiração intelectual entre eles, coisa rara nos dias de hoje.

     

    Struensee e Caroline começam a manipular o rei, incutindo nele as ideias Iluministas dos dois. Tudo bem no início, mas as mudanças despertam a ira da nobreza.

     

    Ponto para a opção de retratar o romance clandestino como um mero pano de fundo para o tema da entrada do Iluminismo no norte da Europa. Quando deve escolher entre o amor da rainha e seu idealismo político, Struensee não hesita: escolhe a política.

     

    Uma atuação mediana para uma história fabulosa por se tratar de uma trama real, representando um dos grandes episódios da história da Dinamarca. Destaque para Boe Følsgaard, que está ótimo na pele do rei louco e solitário, que ao mesmo tempo em que desperta ódio no telespectador pode causar pena. Levou o Urso de Prata de Melhor Ator em Berlim. E para os cenários suntuosos, figurinos detalhados e bela fotografia.

     

    O filme nos dá uma aula de História que, mesmo que não aprofundada, oferece a visão panorâmica de um país que saiu da miséria e abriu as portas ao desenvolvimento, ironicamente, favorecido por um caso de amor proibido. Pena não ter ganhado o Oscar de Melhor filme estrangeiro.

    5 comentários :

    1. Muito bom heim!
      Apesar de vc salientar que a atuação foi mediana, achei o todo muito interessante.
      Gosto muito de história, sempre foi uma das minhas matérias favoritas.
      Assim que tiver uma oportunidade verei esse filme.

      ResponderExcluir
    2. UAU! Esse filme parece ser ótimo! Entrou pra minha lista de "preciso ver urgentemente"!

      Beijos,
      biblioteca-de-resenhas.blogspot.com.br

      ResponderExcluir
    3. OOI, não conhecia o filme, mas gostei bastante, pelo fato de ser histórico rsrs

      ResponderExcluir
    4. Eu fiquei sabendo sobre o filme em outro blog e já foi pra minha lista de "filmes pra assistir nas férias"! xD

      ResponderExcluir
    5. Ainda estou procurando este filme desde o dia que vi o post...

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!