• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Resenha da Drica: Placebo - A Experiência de Jevin Banks, Livro 01, Steven James – Companhia Editora Nacional

    Título: Placebo

    Autor: Steven James

    Tradutor: Rafael Farinaccio

    Páginas: 384

    Ano: 2014

    Editora: Companhia Editora Nacional

    Sinopse:
    Ilusionismo, ciência e magia negra. Uma combinação improvável, com resultados eletrizantes. Ao investigar um polêmico centro de pesquisa neurológica para seu programa televisivo, o ex-ilusionista Jevin Banks descobre uma conspiração envolvendo o Pentágono e uma das maiores companhias farmacêuticas do mundo. Jevin está atrás de respostas, não apenas sobre o duvidoso programa de comunicação telepática e o que está por trás dele, mas também para a tragédia familiar que ele sofreu. Placebo explora os limites da ciência, da consciência e da fé. Este livro leva o leitor a uma jornada intensa, em um mundo onde homens de negócios, políticos e militares atuam por trás dos panos o tempo todo, e nada é o que parece ser!

    Olá, galerinha, 

    hoje vou apresentar a vocês Jevin Banks, mais um personagem incrível do fantástico Steven James. Palcebo é o livro 1 da série A Experiência de Jevin Banks lançado aqui no Brasil pela Companhia Editora Nacional. O segundo livro da série, Singularity, ainda não tem tradução para o português.

    Começamos a história com Jevin no local em que foi encontrado o carro da família. Mas o que parecia um acidente foi revelado pela perícia como um suicídio. Rachel se matou jogando o carro no rio, matando também os seus dois filhos gêmeos.

    Até ai, Jevin era um renomado ilusionista especializado em escapismo, apesar de ser claustrofóbico. Me pergunto se ele se tornou tão bom por causa da sua fobia a lugares fechados ou pelo motivo que o levou a ser ilusionista desde criança: a crença de que poderia fazer a sua mãe reaparecer.

    Com todos esses traumas na vida, Jevin desiste do ilusionismo e passa a desmascarar charlatões, que vão de videntes a pastores de televisão. Com a ajuda da sua antiga assistente de palco, Charlene, Xavier Wray, um homem excêntrico que entende tudo a respeito de conspirações e Fiona McClury, gênia da tecnologia e consultora de cibersegurança de grandes empresas, tem um programa na tv de grande sucesso.

    Jevin e Charlene estão indo para o Centro de Pesquisa Lawson, chefiado pelo Dr. William Tanbyrn que afirma ser possível mudar características fisiológicas de uma pessoa apenas pensando nela, ou seja, através de telepatia. Jevins acredita que o Dr. Tanbyrn é mais um charlatão e está disposto a desmascará-lo, o que ele não imagina é que existe muita gente importante envolvida em tudo isso. Assim ele se verá envolvido em uma grande conspiração com personagens inusitados como um assassino de aluguel, uma mulher inteligentíssima com problemas com afetividade, um empresário poderoso, o governo, irmãos gêmeos treinados para matar e um toque de vudu. E sua única saída será desvendar essa intricada trama.

    Falando de temas atuais, pesquisas na área médica e em tecnologia, Placebo tem um enredo que nos prende. Com personagens muito bem construídos e singulares, é difícil não se envolver com a história.

    Ponto para a Dra. Riah, que virou a minha preferida. Médica e pesquisadora da mente humana, doutora em neurofisiologia, ela possui um motivo particular para estudá-la: Riah conhece os sentimentos humanos, mas não consegue entendê-los nem senti-los, o que a torna curiosa em relação aos efeitos dos sentimentos nas relações humanas. Vive uma luta interna por causa de um grande segredo de infância. O autor descreve de maneira inteligente como funciona a cabeça de um psicopata.

    Com todos os elementos que faz um bom romance policial, como personagens bem construídos, um bom mistério a ser desvendado, fatos atrelados à realidade e bom ritmo de leitura, Placebo vale à pena ser lido. Acredito que o autor apenas exagerou um pouco na parte de tantos detalhes técnicos em relação às pesquisas, o que me confundiu um pouco, mas nada que fosse suficiente para tirar o entusiasmo da leitura. Lamentei também que o talento de Jevin para o escapismo fosse usado de maneira tão superficial, esperava algo espetacular.

    “Porque sonhos nem sempre se tornam realidade. E seguir seu coração às vezes o leva apenas a mais desespero.”

    Um romance policial que também fala dos relacionamentos humanos, sentimentos, traumas e superações, o poder da mente humana para o bem e para o mal, descobertas médicas talvez não tão distantes de nós, mas que não poderia deixar o romance de lado, nem que seja no finalzinho.

    “Nossos pensamentos podem nos curar ou nos destruir. Placebos. Maldiçoes.”

    Capa simples, diagramação perfeita com letras grandes e espaçamento adequado, com tradução bem feita com apenas alguns poucos erros de português. Como sempre a Companhia Editora Nacional está de parabéns!

    SOBRE O AUTOR

    Steven James é o aclamado autor de mais de três dezenas de livros, incluindo as séries de suspense Patrick Bowers e Jevin Banks. Ele tem um mestrado em storytelling e ensinou escrita e comunicação criativa em todo o mundo. Quando não está escrevendo ou palestrando, você vai encontrá-lo correndo em trilhas, escalando, ou bebendo um café bem preto e torrado perto de sua casa no leste do Tennessee

    3 comentários :

    1. Eu gosto muito de um romance policial, mas te confesso que as vezes me considero meio burrinha para conseguir decifrar as coisas. Deve ser interessante um livro que fala tanto da mente humana, que é na verdade, um mistério para nós.

      ResponderExcluir
    2. Romance policial é comigo mesmo. Este eu não conhecia e fiquei bem interessada.
      Bjs!

      ResponderExcluir
    3. Um bom romance policial é uma boa pedida no momento. e este parece ser o ideal pra mim.
      Beijos.

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!