• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Leitura da Drica: Pílulas Azuis, Frederik Peeters


    Nesta narrativa gráfica pessoal e de rara pureza, por meio de um roteiro simples e de temas universais (o amor, a morte), Frederik Peeters conta sobre seu encontro e sua história com Cati, envolvendo o vírus ignóbil que entra em cena e muda tudo, e todas as emoções contraditórias que ele tem de aprender a gerenciar: amor, raiva, compaixão. Pílulas azuis nos permite acompanhar, sem nenhum vestígio de sentimentalismo, através de um prisma raramente (senão nunca) abordado, o cotidiano de uma relação cingida pelo HIV, sem deixar de lançar algumas verdades duras e surpreendentes sobre o assunto. Apesar da seriedade do tema, Pílulas azuis é uma obra cheia de leveza e humor. Não é à toa que é considerada por muitos a obra-prima de Frederik Peeters. Uma das mais belas histórias de amor já publicadas.
    Pílulas Azuis
    Frederik Peeters
    Ano: 2015 
    Páginas: 208
    Idioma: português 
    Editora: Nemo

    E a aventura no munda das HQs continua.

    Dessa vez, vou falar de Pílulas Azuis, HQ que trata de um tema cujo tema não me interessaria em ler, mas me prendi pelos traços e devorei.


    Vamos ler sobre AIDS, em uma época em que estar contaminado era uma sentença de morte rápida, onde imperava a falta de informação e o preconceito conseguia ser ainda mais cruel do que nos dias atuais.

    O mais legal de Pílulas Azuis é que você não terá apenas informações técnicas, você vai vivenciar a realidade de um portador do vírus HIV e como é a sua vida real, com todos os altos e baixos.

    Peeters conhece Cati no início da juventude, se encanta por ela, mas suas vidas seguem rumos diferentes. Passados alguns anos eles voltam a se reencontrar e, depois de alguns encontros, Cati faz a grande revelação: ela e o seu filho são portadores de HIV.

    E aí? E se fosse você? Qual seria a sua reação? Tipo ‘normal, tudo bem, o que tem de mais’? Ou ‘como assim, nem rola mesmo’?


    Peeters meio que dá uma rápida surtada tentando imaginar como seria a vida deles, mas ele é um cara muito massa (!!!!) porque aceita Cati e seu filho de maneira natural.

    Assim como qualquer pessoa, Peeters tem milhões de dúvidas e receios que serão esclarecidos e sanados com o passar do tempo. Fácil? Nunca! A vida dos dois é cheia de precauções e apreensões, investigações e descobertas.

    Mas o que realmente fez com que eu me apaixonasse pela história? O amor. O amor de Peeters por Cati, que faz com que ele queira estar do lado dela mesmo quando não é nada fácil estar, que faz com que ele vá buscar informações para estar do lado dela e usufruir dessa relação da melhor forma possível e que faz com que ele se torne o melhor marido, amigo, amante e pai de uma família comum.
    Os traços são muito legais e adoro como ele mistura realidade com fantasia e lições um tanto quanto filosóficas usando metáforas de rinocerontes, além de fazer citações como Oscar Wilde.

    A publicação em brochura da editora Nemo tem formato 17 x 24 cm, capa cartonada com orelhas, papel off-set de boa gramatura e impressão.


    Absolutamente esclarecedor, sensível e realista, no final ainda tem uma espécie de entrevista com os integrantes da família treze anos após a publicação da HQ. 







    10 comentários :

    1. Drica, esse assunto é difícil de lidar até nos dias atuais quem dirá em uma época que esse era um dos maiores tabus. Respondendo sua pergunta, eu surtaria, seria complicado aceitar mas fazer o que, não é mesmo?
      Realmente, o amor de Peeters por Cati é lindo, quem aceita o parceiro soropositivo sem hesitar deve ter muito amor.

      ResponderExcluir
    2. Oi, Drica!!
      Esse é ainda um tema ainda pouco discutido em livros é por causa disso achei esse Hq muito interessante!! Achei super instigante a forma que o autor colocou a abordagem desse tema e como os personagens reagem a tudo. Adorei a indicação!!
      Beijoss

      ResponderExcluir
    3. Drica!
      O que mais gostei é de ver um tema tão forte e atual como a Aids, ser abordado quase de uma forma lúdica e ao mesmo tempo, bem esclarecedora.
      Acredito que todos deveriam ler.
      “Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância.” (Sócrates)
      cheirinhos
      Rudy
      http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
      TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

      ResponderExcluir

    4. Deve ser uma graça essa HQ, pois trata de um assunto que até hoje causa certa polemica, de uma forma que ensina e diverte e mostra que o amor verdadeiro supera barreiras. Difícil descrever a minha reação, pois quando vivemos a situação é que da para saber.

      ResponderExcluir
    5. Oie!
      Já tinha lido uma resenha da obra, assunto bem interessante, gostei do enredo e das ilustrações, dica anotadinha!
      Bjs

      ResponderExcluir
    6. Amei a proposta dessa HQ, que ao tempo que mostra um romance fofo também é bem real com relação as pessoas que passam por esse problema. Confesso que não esperava ver um assunto tão "dramatico" em uma HQ e quando soube deste por você acabei me surpreendendo.Enfim, só fico triste pois é bem dificil encontrar um Peeters na vida real. É dificil alguém aceitar. :(

      ResponderExcluir
    7. Oi.
      Que diferente a proposta dessa HQ. Gostei, pois além de informativo, é bem reflexivo. E as ilustrações estão bem legais. Fiquei curiosa, espero poder ler.
      Obrigada pela dica.
      Abraços.

      ResponderExcluir
    8. Aaaaah!!!

      Tem um tempo q eu tinha ouvido falar dessa hq, mas acabei esquecendo o nome!!
      Muito obrigada, mesmo, por esse post!!!

      Acho q esses temas fortes/ tabus tem mais é q serem abordados na literatura!

      bjbj

      ResponderExcluir
    9. oie drica!
      eu adoro HQ mas confesso que nunca li um que tratasse de um tema tão pesado quando ser soro positivo
      adorei o traço e as fotos tb
      obrigada pela dica, colocar na minha lista
      beijos!

      ResponderExcluir
    10. Vai além de uma quadrinho
      O que mais me surpreendeu foi a mensagem que essa Graphic Novel proporciona a quem lê. Uma forma diferente de se olhar. Poderia ser amor nos tempos de Cólera, mas as doenças hoje são outras... uma linda história sobre amor, preconceito e identidade.

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!