• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Leitura da Drica: Confissões de um amigo imaginário, Michelle Cuevas

    Uma imperdível aventura de alguém que descobre existir apenas na imaginação de uma garotinha. Um livro para todos aqueles que, um dia, já se sentiram à margem, deixados de lado... invisíveis Jacques tem uma leve suspeita de que ninguém gosta dele. Professores o ignoram solenemente quando levanta a mão e até mesmo seus pais precisam ser lembrados de colocar um lugar à mesa para ele! Graças a Deus por Fleur, a irmã e companheira constante. Mas então Jacques descobre uma verdade devastadora: ele não é o irmão de Fleur; é seu amigo imaginário! E aí começa uma tocante e divertida busca por seu eu verdadeiro. Uma imperdível jornada em busca do significado da vida leva Jacques de encontro às mais peculiares crianças, imaginárias e reais, e o faz descobrir a incrível e invisível maravilha de ser quem se é.
    Confissões de Um Amigo Imaginário
    Michelle Cuevas
    Ano: 2016
    Páginas: 176
    Editora: Galera Júnior

                                    
    "A verdade é que é isso que qualquer pessoa quer: ser conhecida dessa maneira, ser vista. E não falo do nosso cabelo, ou de nossas roupas, eu quero dizer vista mesmo por quem somos de verdade. Todos nós queremos encontrar aquela pessoa que conhece nosso eu real, nossas esquisitices, e, ainda assim, nos compreende, Alguém já viu você? Realmente, de verdade, a parte mais profunda que parece invisível ao resto do mundo?
    Espero que alguém tenha visto você.
    Alguém me viu.
    Fleur sempre me viu."

    Confissões de um amigo imaginário é a história de Jacques Papier narrada por ele mesmo. E quem é Jacques? Ah, um garotinho incrível que mora com seus pais e sua irmã gêmea Fleur. Mas, apesar de ter uma vida feliz ao lado da melhor irmã que alguém poderia ter, algumas vezes ele se sente muito só, chegando a acreditar que é invisível... Na escola, por exemplo, os colegas e professores parecem ignorar a sua presença. Não deve ser fácil para um garotinho de 8 anos se sentir assim...

    Mas ter Fleur ao seu lado compensa tudo! Eles são a dupla perfeita, daquele tipo que parece que um sabe o que o outro está pensando. 

    “Sim, como qualquer dupla de melhores amigos, havia um mundo inteiro que só poderia ser visto por ela e por mim.”

    Mas o que não está bom, começa a piorar quando ele ouve os pais conversarem sobre o amigo imaginário de Fleur... E o mundo de Jacques desaba! Ele não entende porquê Fleur precisa de um amigo imaginário, já que eles se completam. E, como um ato de vingança e rebeldia, cria seu próprio amigo imaginário.

    "Amigos imaginários são como livros. Somos criados, somos desfrutados, somos dobrados e amassados, e então somos guardados até que precisem de nós mais uma vez."

    Tudo parecia estar entrando nos eixos novamente, até que Jacques conhece a Vaqueira, uma menina que é uma amiga imaginária e revela a ele toda a verdade da sua existência: ele sim, é o amigo imaginário da Fleur, e não seu irmão gêmeo. Como lidar com essa verdade tão cruel, tão limitadora? 

    Jacques resolve ir em busca do seu verdadeiro eu e descobrir com o real sentido da sua existência. Pede a Fleur que o deixe ir, mas, qual não é a sua surpresa ao descobrir que um amigo imaginário precisa de alguém que o imagine para existir, e ele acaba sendo amigo imaginário de outra pessoa. 

    Mas será que vale à pena viver assim? Será que esse é um destino digno? Um amigo imaginário tem, na verdade, sua importância? 

    Jacques é um garotinho apaixonante e, te garanto, que você vai querer ajudá-lo em sua empreitada. Aparentemente frágil quando descobre a sua condição, mas vai demonstrar ter mais coragem do que muito adulto ao sair em busca da sua verdade, mesmo sabendo que estará só. 

    E é através dessa separação e consequente solidão, e a ajuda do “Grupo de apoio para amigos imaginários”, que vem o amadurecimento de Jacques através de suas descobertas. Só assim ele vai conseguir ter a dimensão da importância dele na vida das pessoas que o imaginaram. 

    Um livro muito especial que fala de família e seus complicados relacionamentos, amizade, fantasia, imaginação, realidade, solidão, amadurecimento e superação. 

    Classificado como livro infantil, mas afirmo sem medo de errar que todo adulto deveria ler “Confissões de um amigo imaginário”. Seja para relembrar do seu amigo imaginário, caso você tenha tido um, ou para perceber o que você perdeu e como é importante ter imaginação, casa você nunca tenha tido.

    " - O universo é um mistério, com M maiúsculo - disse Maurice. - o impossível é possível. E você, Fleur, parece o tipo de garota que sabe a realidade está apenas nos olhos de quem vê. "


    5 comentários :

    1. Ter um livro que fala de amigos imaginários falado pelo ponto de visto do próprio deve ser bem fofo, ou ao menos imagino que seja já que faço parte das pessoas que não tiveram um amigo imaginário (ao menos não me lembro rsr) e que sente por ter perdido essa importante fase da vida rsrs. O livro parece ser interessante e aborda vários temas relacionamento ao amadurecimento e a família e curti muito a dica Drica ;)

      ResponderExcluir
    2. Um livro que falar sobre amigos imaginários e bem legal porque muitas crianças ela acaba criando essa fantasia e acho super fofo isso. Mas o engaçado e que o livro se passa com um personagem de um amigo que realmente é imaginario que está sempre invisivel as pessoas e só as criança escolhida pode ver, dever ser uma aventura bem legal nesse livro!

      ResponderExcluir
    3. Quando eu era mais novo, também tive um amigo imaginário, e ele me ensinou muito e me ajudou a moldar o que sou hoje... O tema do livro foi bem escolhido, e já penso em tê-lo na minha lista de leitura!

      ResponderExcluir
    4. Não tive um amigo imaginário, que pena, mas quero conhecer esse do livro, deve ser uma fofura e essa busca dele do próprio eu nos deve deixar refletindo sobre a coragem dele, suas duvidas e anseios, pois ele passa por um grande conflito em saber quem realmente é.

      ResponderExcluir
    5. Drica!
      Primeira vez que vejo um livro que fala de amigo imaginário, ser descrito pelo amigo imaginário e não pelo protagonista, digamos assim...
      Deve mesmo ser um lindo livro a ser lido e gostaria de ler.
      Bom domingo!
      “Conhecer os outros é sabedoria. Conhecer-se a si próprio é sabedoria superior.” (Lao-Tsé)
      cheirinhos
      Rudy
      http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
      TOP COMENTARISTA MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem!

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!