• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • O Cara dos Meus Sonhos (ou Quase)

    E se você tivesse que atravessar o país para descobrir um grande amor?A cinéfila Bailey “Zibelina” Rydell troca mensagens com um nerd carismático igualmente apaixonado por filmes – Alex, seu crush virtual. Eles viviam separados por mais de mil quilômetros, até Bailey se mudar para a casa do pai na Califórnia – mais precisamente, para a mesma cidade de Alex.
    Insegura e temendo que o Alex da vida real seja muito diferente de suas idealizações, Bailey não conta a ele que estão na mesma cidade. Ou que conseguiu um trabalho num museu “caça-turistas” local. Ou que ela está, pouco a pouco, sendo fisgada por um rapaz irritantemente atraente que trabalha no lugar – Porter Roth, cujo berço é uma lendária família de surfistas.
    Só que a vida é muito mais complicada que qualquer filme, principalmente quando Bailey percebe a estreita fronteira entre ódio, amor ou seja lá o que estiver sentindo por Porter. Além disso, descobrir a verdadeira identidade de Alex mostra-se uma tarefa mais difícil do que ela imaginava.
    Assim, conforme o verão passa, Bailey precisa decidir se permanece apegada a suas projeções de um Alex que ela nem sabe se existe ou se arrisca uma relação com Porter. Afinal, o cara dos seus sonhos não pode ficar só no mundo virtual. Mas o que Bailey não sabe é que Porter também guarda um segredo…
    O Cara dos Meus Sonhos (ou Quase)
    Jenn Bennett
    Ano: 2018
    Páginas: 480
    Idioma: português
    Editora: Plataforma21
    “ Para aqueles que fogem, evitam, desviam, dão um passo atrás. Deve haver um bom motivo para vocês se esconderem.Que sejam capazes de lidar com isso e descubram sua força interior.”
    Com a frase de abertura da autora para o livro, abro minha resenha, pois acredito que este é um resumo do que vamos encontrar pela frente.

    Na era digital, sabemos que nada fica escondido, todos estamos sendo vigiados, ou você não percebeu isso ainda? Hehehehe... Pois bem, as livrarias virtuais sabem exatamente o que queremos, qual nosso perfil e, para variar, elas adoram colocar tentações na nossa frente, e foi numa dessas tentações que a Amazon me sugeriu este livro. De cara amei a capa, corri para a sinopse. Gritei: "Meu Deus! Esse livro é meu número! Preciso, tipo para ontem!" Comprei numa das promoções da Saraiva de janeiro e só recebi agora por causa de outro livro que era lançamento. Obviamente que assim que recebi, ele pulou todas as filas.

    Meu deusinho do céu ! Preciso dizer que amei?

    Bailey divide uma conexão forte com Alex, ambos amam clássicos do cinema e se comunicam a meses virtualmente. Juntos eles partilham momentos da vida e, de quebra, assistem filmes online para discutir depois. Tudo está perfeito para Bailey afinal, ela não é do tipo de aproximação física e não suporta a ideia de se decepcionar ao conhecer Alex.
    Porém sua vida muda quando vai morar com o pai do outro lado do país, exatamente na cidade de Alex. Ela não informa isso a ele mas começa a investigar os sinais que o garoto deixou nas conversas para tentar descobrir quem ele é.

    Nesse meio tempo ela começa a trabalhar num museu meio caquético e é la que conhece a simpática Grace, uma garota espevitada e falante com um belo sotaque britânico, e Porter Roth, um garoto provocador que consegue extrair o pior de Bailey.

    De repente, ela começa a sentir emoções há muito tempo guardadas no caixa-forte que se tornou seu coração e vai precisar de toda força que encontrar para enfrentar seus demônios e, nada melhor que o surfista provocador para extrair tudo de dentro dela. Claro que não será rápido e fácil, afinal ela prefere o conforto da relação com Alex.

    Porter também tem seus demônios e amigos que podem transformar a vida de quem está a sua volta num verdadeiro inferno. Será que Bailey está disposta a fazer o que mais teme: enfrentar, confrontar e escolher?

    É isso que vamos descobrir e acompanhar juntamente com a personagem.

    “É difícil pensar na semana seguinte quando não se tem certeza de que vai sobreviver ao dia de hoje.”

    O livro une momentos hilários com momentos mais fortes, diálogos ácidos, mordazes e com duplo sentido, trazendo uma linguagem extremamente adolescente com temas como primeiro amor, amadurecimento, tomada de decisões, drogas, sexo e problemas familiares, tudo empacotado em um belo laço de fita romântico, recheado de muito drama e cinema clássico. 

    Por falar em momento romantismo... O que foi isso, meu deus????? A escritora simplesmente sublimou nas cenas românticas e me fez sentir na pele o que os personagens sentiam.

    “ Seus dedos dançam sobre minha mão, o toque de uma fina teia de aranha, e ele traça desenhos suaves na minha palma aberta, sinais de código Morse, insistindo gentilmente, enviando milhares de pulsos de correntes elétricas pelos meus nervos.”

    Santa Mãe! Juro juradinho que senti o toque do cara... Você não tá entendendo o poder desta criatura!

    Narrado em primeira pessoa por Bailey e sentindo falta em alguns momentos do POV de Alex e Porter, achei interessante a forma como a escritora nos faz ter a visão REAL de uma pessoa nesta faixa de idade, com sua linguagem própria e dilemas. A escritora não só se utiliza da sabedoria adquirida com a idade para dar toques aos jovens como também faz você se perguntar se não é um adolescente escrevendo, e isso me conquistou durante toda a leitura. 

    Pena que me irritei com a fragilidade excessiva de Bailey em alguns momentos e com o comportamento de Alex e Porter em outros, sorte do livro que amei a construção da trama e amei mais ainda o final e o epílogo. Isso mesmo que você leu, este é um YA com epílogo e mesmo que alguns pontos não se fechem totalmente nos capítulos finais, a história termina do jeito que a gente quer, com muitos corações apaixonados e acontecimentos surpreendentes. Amei a participação nerd do pai de Bailey e da mãe manda-chuva de Porter.

    Leitura rápida, gostosa e mesmo com temas pesados, bem leve. 

    Quanto à edição, gostei que tem folhas amareladas e fonte maiorzinha, mas achei a tradução um pouco falha com diversos erros de digitação também, fora que como o livro tem um formato menor, o miolo acabou ficando duro de manusear e, em vários momentos, tive que forçar para abrir melhor para ler quando foi chegando nas páginas finais. Mas juro a você: nada disso tira o prazer da leitura e já estou de olho em outro desta autora que foi lançado pela mesma editora.

    Beijos, Myl

                                                                              

    2 comentários :

    1. Como não conhecia a obra e sou a romântica incurável que sou, já fiquei querendo e muito conhecer todos os personagens.
      Pois pelo que entendi, não é apenas uma história de amor, mas sim de vida, de família, amigos, perdas e sentimentos.
      E nessa era virtual, quem nunca se pegou imaginando alguém com nossas mesmas qualidades vivendo ali, só do outro lado do mundo?
      Vai pra lista de desejados com certeza.
      Beijo

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. oie, sim é um livro sobre o amor ,familia e saber o que é importante para você...beijos,myl

        Excluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!