• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Para Todos os Garotos que Já Amei (Critica do Filme)


    Quando o filme é melhor que o livro, você escreve uma resenha sobre isso.

    Mas vamos por partes aqui.

    Para Todos os Garotos que Já Amei conta a história de Lara Jean, uma garota que, em um dia fatídico descobre que todas as cartas de amor que ela escreveu, foram, sem querer, enviadas pelo Correio e agora, todos os meninos que um dia já amou, incluindo o ex-namorado da sua irmã mais velha, sabem dos sentimentos que um dia ela teve por eles.

    Para remediar a situação e esconder seus verdadeiros sentimentos, ela faz um trato com um dos meninos das cartas e os dois começam um namoro falso.


    De tempos em tempos, alguém decide (eu não sei quem) que certo livro/serie é bom e, do nada, quando você se dá conta, o mundo literário só fala disso. Uns anos atrás isso aconteceu com Para Todos os Garotos que Já Amei.

    Na época, minha curiosidade me venceu e eu me peguei lendo os dois primeiros livros da série que, até então, era uma duologia (e sim, eu li o terceiro livro também porque sou o tipo de pessoa que termina o que começou!).

    Eu me lembro de pensar que, apesar do livro ser escrito ao redor de uma realmente boa ideia, a história não foi nada bem desenvolvida e que, sinceramente, eu não conseguia entender o burburinho ao redor.

    Não me levem a mal, mas o livro é desnecessariamente dramático. Quantas DRs e problemas uma adolescente precisa passar pelo amor de deus? Parecia uma novela mexicana sem fim que tinha alguns capítulos muito bons pelo meio e umas frases dignas do Pinterest.

    E, no final de tudo, (contando o terceiro livro) eu não fiquei nada satisfeita com o rumo que a história tomou, pela forma que a autora retratou certos personagens no decorrer dos livros, só para poder adicionar drama e páginas à história.

    Peter, por exemplo, ele é um personagem ótimo que foi quase destruído completamente no segundo livro e que teve uma quase ressuscitação no terceiro. Para vocês terem uma noção, chegou ao ponto em que eu já estava tão cansada dele e do drama, que comecei a torcer por um personagem completamente diferente (Sou Team John até o final!).

    E é ai que o filme se diferencia.


    Ao contrário do livro, o filme é muito mais leve e tranquilo. Todo o drama desnecessário foi apagado como se nunca tivesse existido e o que sobrou foi uma relação doce e despreocupada.

    E sabe o pior? O filme me fez desejar que o livro tivesse sido assim e, como uma leitora compulsiva, eu sinto como se estivesse cometendo um pecado ao dizer isso.

    Claro que o filme tem seus problemas (Josh é muito mais do que só aquilo gente!) e que, infelizmente, deixou de lado várias partes que eu gostaria de ter visto mas, no geral, é um filme doce e tranquilo para ver em um final de semana e sentir bem depois de fechar o computador. 


    Para Todos os Garotos que Já Amei não é uma obra prima do cinema mas, dentro do seu gênero, é um filme que cumpre o que promete e, por isso, é um filme que eu recomendaria.

    E vamos combinar? Quem quer que tenha feito a escalação dos atores fez um ótimo trabalho HAHA



    PS: A trilha do filme é muito bonitinha, principalmente a música tema (Lauv - I Like Me Better)! Por causa disso, eu acabei em um loop sem fim ouvindo todas as músicas de Lauv e estou, até agora, impressionada em quão talentoso ele é e em como as músicas dele são incríveis. Por isso, vou deixar algumas aqui para quem quiser!





    1 comentários :

    1. Que legal ter um pouco sobre a trilha sonora!!!Eu adorei essa parte..rs
      Acabei vendo o filme já tem um tempinho, quase no mesmo dia que foi lançado e sim, é adorável!
      Acredito que a escolha dos atores influenciou demais nesse gostar da maioria. Um casalzinho da p...que cativou desde o primeiro momento.
      Leve, descontraído e sim, romântico!
      Mais do que recomendado.
      Beijo

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!