A Pequena Livraria dos Sonhos, Jenny Colgan

Nina Redmond é uma bibliotecária que passa os dias unindo alegremente livros e pessoas – ela sempre sabe as histórias ideais para cada leitor. Mas, quando a biblioteca pública em que trabalha fecha as portas, Nina não tem ideia do que fazer.
Então, um anúncio de classificados chama sua atenção: uma van que ela pode transformar em uma livraria volante, para dirigir pela Escócia e, com o poder da literatura, transformar vidas em cada lugar por que passar.
Usando toda a sua coragem e suas economias, Nina larga tudo e vai começar do zero em um vilarejo nas Terras Altas. Ali ela descobre um mundo de aventura, magia e romance, e o lugar aos poucos vai se tornando o seu lar.
Um local onde, talvez, ela possa escrever seu próprio final feliz.
A Pequena Livraria dos Sonhos
... onde os finais são sempre felizes.
Ano: 2019
Páginas: 304
Idioma: português 
Editora: Arqueiro

" Porque a vida é assim, não é mesmo? Se pensarmos em cada pormenor que pode influenciar nosso caminho de mil maneiras, umas boas e outras ruins, nunca faremos mais nada."

Nina é garota doce, sonhadora, tímida e pacata, uma romântica incorrigível, uma apaixonada por livros que vive e respira livros o tempo todo, todo o tempo, não à toa escolheu trabalhar numa biblioteca.

" Nina sempre fora uma pessoa quieta e isolada, e observava o mundo através dos romances que adorava ler.
Além do mais, nunca tinha conhecido algum homem que chegasse aos pés dos heróis dos livros que tanta amava...."

Ela cuida de seus livros como se fossem entes vivos e seus embates com a amiga que não entende tanto amor são divertidíssimos, me vi discutindo com minhas amigas que sempre me perguntam para quê quero tanto livro, algumas vezes o mesmo livro em edições diferentes, exatamente como Nina!

"Enfim. Surinder estava furiosa e, para piorar, coberta de razão. Não tinha mesmo espaço. havia livros em todos os lugares: na escada, ao pé da escada, lotando completamente o quarto de Nina, expostos com esmero na sala de estar e, só por via das dúvidas, no banheiro."

Quem se identificou levanta a mão!!!

Totalmente!!!


Sua vida parece perfeita e seu mundinho está na paz e girando tranquilamente como ela sempre quis até que a ameaça de corte nos orçamentos da biblioteca se torna real e tudo desmorona à sua volta. Com poucas vagas de emprego em sua área e ainda voltadas para pessoa mais jovens e antenadas com mídias sociais, Nina se vê colocando um antigo sonho em prática: montar uma livraria móvel.

"Eu sempre sonhei que um dia, quem sabe, eu teria a minha própria livraria. Uma bem pequenininha."

Então quando tudo dá errado! Ela parte para a Escócia com a esperança de que dias melhores surjam em seu horizonte. Lá chegando, ela se encanta com a pequena cidade onde está a van que viu em um anúncio. Mas nada bom vem tão fácil, não é mesmo? Tudo que ela planeja dá errado e ela só tem um choque após o outro. De repente, Nina vai precisar de toda força que nunca imaginou ter para desbravar este novo universo que surge à sua frente, para ajudar pessoas ansiosas pelo maravilhoso mundo literário e, melhor ainda, para ser um agente transformador na comunidade que acaba de se inserir.

Gente.Do.Céu!! Que livro inspirador! Lindo!


Jenny Colgan conseguiu colocar em palavras o meu amor pela literatura, tudo adornado com descrições de locais idílicos na Escócia (sempre quis conhecer este país e agora minha vontade aumentou mais ainda!). Uma história simples e surpreendente com um romance fofo de pano de fundo! Nina amadurece, começa a sair de sua concha, se liberta da timidez que a esconde do mundo, começa a interagir mais e se sentir parte de um todo e, o melhor, sem esquecer ou abandonar em nenhum momento seu amor pelos livros.


Confesso que me apaixonei por um certo personagem masculino, pois vi muito de meu marido nele e, claro, vi muito de mim em Nina também, uma perfeita dupla (nada tendenciosa a criatura, né? hehehehe). A empatia foi instantânea, não teve jeito! Faz parte do prazer da leitura.

Achei fofo como ele muda o comportamento em relação a ela ao perceber o que sente, só achei que faltou um pouco mais de diálogo no momento de ponto de conflito para deixar tudo mais redondinho, mas entendo que tudo ocorreu daquela forma por ser um formato clássico de chicklit. Adorei que ambos dão o braço a torcer e que a escritora não fez Nina ficar correndo atrás ninguém sem amor próprio.

Não conhecia esta escritora e já quero devorar todos os livros dela, amei sua escrita leve e sem enrolação e mais ainda todos os elementos que ela insere na trama para fazer a história de Nina bem colorida, romântica e, de certa forma, com um pezinho na realidade.

Amei a capa escolhida pela Arqueiro, repleta de elementos da história com fontes brilhantes e bem bucólica, só faltou colocar Salsicha... hehehehe... ele foi marcante demais para não estar nela.


Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!