Artemis, Andy Weir


Jazz Bashara nunca desejou ser uma heroína. na verdade, ela é uma criminosa, uma pequena contrabandista.
A vida em Artemis, a primeira e única cidade na lua, é difícil se você não for um turista ou um empresário rico, ainda mais se está com dívidas e seu trabalho mal cobre o aluguel.
Por isso, quando surge a oportunidade de ganhar uma enorme quantia cometendo o crime perfeito, Jazz não consegue recusar. A questão é que esse delito é apenas o começo de seus problemas, pois a fará cair no meio de uma conspiração pelo controle de artemis.
Impulsionada pela narrativa sarcástica da protagonista, ambientada em uma cidade imaginária, mas extremamente familiar, Artemis é outra mistura irresistível de ciência, suspense e humor de Andy Weir, o autor de Perdido em Marte.
Artemis
Ano: 2019 
Páginas: 304
Idioma: português 
Editora: Arqueiro


Artemis é a primeira e única cidade na Lua. Quem decide morar lá, tem que enfrentar uma série de peculiaridades, como a moeda local, a gravidade e viver dentro de uma bolha de alumínio. Jazz Bashara vive em Artemis desde os seis anos de idade e está acostumada com a cidade, embora esteja falida.

Jazz é uma contrabandista. Sua renda vem de encomendas vindas ilegalmente da Terra, onde ela repassa para seus clientes. Ser Entregadora tem seus benefícios, porém, todo esse trabalho mal dá para pagar um aluguel decente.

Eis que Trond Landvik, seu cliente mais fiel, lhe propõe uma oferta irrecusável: sabotar o esquema de oxigênio de uma empresa rival para ele assumir o império do ar. Um trabalho arriscado que lhe rendará uma fortuna cobiçada por qualquer morador de Artemis.

Porém, nem tudo será simples. Esse plano será o início de uma conspiração pelo controle de Artemis, e Jazz não imagina o perigo que está correndo. Haverá mortes, perigos e uma caçada onde se esconder é praticamente impossível.

Jazz Bashara é uma cretina, e ela mesmo se identifica. Sua personalidade é muito sensacional e é impossível não se divertir com sua sagacidade. Me identifiquei muito com a sua sensatez e, por ter uma narrativa em primeira pessoa, conhecemos como a Jazz é de verdade.

A narrativa é muito envolvente e na maioria dos inícios dos capítulos, acompanhamos algumas trocas de e-mail entre Jazz e Kelvin, um menino que mora na Terra. A amizade entre os dois é muito importante para Jazz e é interessante como ela se estende até os contrabandos.

O que eu achei mais bacana da história foi a nacionalidade dos personagens. Artemis foi criada graças ao governo do Quênia, então, muitos dos personagens são árabes, como a Jazz. É legal essa característica e foi o primeiro livro que li com personagens dessa cultura.

A leitura é bastante fluida e não temos tempo para respirar! Os acontecimentos ficam cada vez mais intensos e nossa vontade para descobrir o desfecho é enorme! Tive a sensação de que o  final dá uma deixa para um próximo livro, mas é apenas minha opinião.

Artemis é uma ficção que vai te surpreender, e eu recomendo!


Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!