Ano Um, Nora Roberts

PRIMEIRO VOLUME DA TRILOGIA DISTÓPICA CRÔNICAS DA ESCOLHIDA.
Nora Roberts, que já vendeu mais de 500 milhões de livros no mundo, se aventura em um novo gênero!
Tudo começa na noite de Ano-Novo. A doença se alastra rapidamente. Em questão de semanas, a rede elétrica para de funcionar, as leis e o sistema de governo entram em colapso e mais da metade da população mundial é dizimada.
Onde existia ordem, agora só há caos. E conforme o poder da ciência e da tecnologia diminuíam, a magia crescia e tomava o seu lugar. Uma parte dessa magia é boa, como a feitiçaria praticada por Lana Bingham no apartamento que divide com o amante, Max. Outra parte dela, no entanto, é inimaginavelmente maligna, e pode se esconder em qualquer canto, numa esquina, nos fétidos túneis sob o rio ou dentro daqueles que você mais ama e conhece…

Espalham-se rumores de que nem os imunes nem os dotados estão a salvo das autoridades que patrulham as ruas devastadas, então Lana e Max resolvem deixar Nova York. Outros viajantes também seguem esperançosos para o oeste: Chuck, um gênio da tecnologia que mantém o bom humor em um mundo off-line; Arlys, uma jornalista que insiste em buscar e registrar a verdade; Fredinha, uma jovem com um otimismo que parece fora do lugar nessa paisagem desoladora; Rachel e Jonah, médica e paramédico, determinados a proteger uma jovem mãe e seus três bebês recém-nascidos.
Em um mundo em que cada estranho no caminho pode representar a morte ou a salvação, nenhum deles sabe o que encontrarão. Porém, um novo horizonte os aguarda, a concretização de uma profecia ancestral que transformará a vida de todos os sobreviventes.
O fim chegou. O início é o que vem agora.
Ano Um
Quando este mundo acaba, um novo começa.
Crônicas da Escolhida #1
Ano: 2019 
Páginas: 400
Idioma: português 
Editora: Arqueiro

“ Dizem que um vírus aniquilou o mundo. Mas foi magia, negra como a noite sem lua. O vírus foi sua arma, uma torrente de flechas no céu, balas silenciosas atacando, uma lâmina afiada. Mas foi o gesto inocente – um toque de mão, um beijo de boa noite dado pela mãe – que espalhou a Catástrofe, trazendo uma morte súbita, dolorosa e hedionda para bilhões.”

Nunca fui fã dos romances da Nora Roberts, só passei mesmo a gostar de sua escrita quando comecei a ler os seus romances policiais escritos sob o pseudônimo de J. D. Robb, mas como resistir a essa empreitada de ler uma distopia? Nunca na vida! Agora posso dizer, com todas as letras: Nora Roberts é, realmente, fantástica!!!

Confesso que não tinha muita noção do que seria a história de Ano Um após ler a sinopse, mas estava apostando alto na esperança de ser surpreendida, e a minha aposta superou todas as minhas melhores expectativas.

Ano Um é uma mistura de distopia com fantasia, recheada de personagens clássicos desse mundo mágico. Mas não espere nada fofo. O nosso mundo, como conhecemos hoje, foi vitimado pela Catástrofe, uma epidemia que causa a morte em poucos dias sem nenhuma explicação ou causa aparente. Em função disso, estima-se que apenas 1/3 da população mundial ainda está viva. Mas o mundo entrou em colapso: muitos governantes estão mortos, serviços essenciais como saúde e segurança quase não funcionam por falta de pessoal, o número de suicídios aumentou assustadoramente em função da falta de esperança, medo e solidão dos que não adoeceram.


“ Eis que agora, entre o nascer e o findar do tempo, o poder se eleva, o poder da escuridão e o poder da luz, despertando de seu prolongado sono. É hora da sangrenta batalha. E, com o raio e as dores do parto, virá A Escolhida a empunhar a espada.”

Em meio a toda essa loucura, a magia começa a surgir em pessoas anteriormente comuns. Não só a magia boa, representada pelas fadas, bruxas, feiticeiros, ninfas e elfos que querem ajudar a construir um novo mundo onde todos sejam respeitados. A magia negra também surgirá naqueles que tem sede de poder através de manifestações sombrias.

“... Uma pessoa pode fazer um mundo, e nós somos duas. Há outros mias. Você tem poder dentro de si. “

Nesse primeiro livro da trilogia Crônicas da Escolhida, vamos acompanhar a saga de vários personagens e suas escolhas e descobertas. Destaque três núcleos que se unirão ao longo de suas jornadas: o grupo formado por Jonah, um paramédico capaz de ver a morte nas pessoas, Rachel, médica e Katie que, em meio a tanta morte, deu à luz a gêmeos e ainda adotou mais um bebê. O grupo formado pela cética repórter Arlys Reid, sua assistente e fada Fredinha, e seu informante e hacker Chuck. E o grupo formada por Lana e Max, bruxos e estudiosos da magia, que guardam um segredo que pode mudar o mundo.


Se você tem o coração fraco, se prepare para todas as emoções que Ano Um vai te trazer. São 400 páginas de muita tensão, suspense, surpresas, reviravoltas, momentos de total desespero que contrastam com o auge da bondade humana. Um livro que mostram o melhor e o pior dos seres humanos, que te tira da zona de conforto, te inquieta e te faz levantar mil conjecturas... E se tudo isso fosse verdade???


Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!