Matadouro Cinco, Kurt Vonnegut

Edição comemora os 50 anos de um clássico moderno, o mais importante da obra de Kurt Vonnegut.
O humor e estilo únicos e originais de Kurt Vonnegut o fizeram um dos escritores mais importantes da literatura norte-americana. Sarcástico, ele foi capaz de escrever sobre a brutal destruição da cidade de Dresden, na Alemanha, durante a Segunda Guerra Mundial — sem apelar para descrições sensacionalistas. Em vez disso, criou uma história imaginativa, muitas vezes engraçada e quase psicodélica, estrategicamente situada entre uma introdução e um epílogo autobiográficos.
Assim como Billy Pilgrim, o protagonista de Matadouro-Cinco, Vonnegut testemunhou como prisioneiro de guerra, em 1945, a morte de milhares de civis, a maior parte deles por queimaduras e asfixia, no bombardeio que destruiu a cidade alemã. Billy tinha sido capturado e destacado para fazer suplementos vitamínicos em um depósito de carnes subterrâneo, onde os prisioneiros se refugiaram do ataque dos Aliados. Salvo pelo trabalho, depois de ter visto toda sorte de mortes e crueldades arbitrárias e absurdas, Billy volta à vida de consumo norte-americana e relata sua pacata biografia, intercalando sua trajetória aparentemente comum com episódios fantásticos de viagens no tempo e no espaço.
Ao capturar o espírito de seu tempo e a imaginação de uma geração — afinal, o livro foi publicado originalmente em 1969, em plena guerra do Vietnã e de intensos protestos e movimentos culturais —, o livro logo virou um fenômeno e sua história e estrutura inovadoras se tornaram metáforas para uma nova era que se aproximava. Ao combinar uma escrita cotidiana, ficção científica, piadas e filosofia, o autor também falou das banalidades da cultura do consumismo, da maldade humana e da nossa capacidade de nos acostumarmos com tudo. Qualquer semelhança com a atualidade não é mera coincidência.
Matadouro Cinco
Edição comemorativa aos 50 anos da obra
Ano: 2019
Páginas: 288
Idioma: português 
Editora: Intrínseca

Você sabia que o bombardeio de Dresden foi um dos piores acontecidos da Segunda Guerra Mundial? O número de vítimas foi muito superior ao ataque de Hiroshima, mas ninguém comenta sobre esse fato. É assim mesmo.

Billy Pilgrim não se encaixava na Guerra. Pensar que ele sobreviveria era algo absurdo, mas ele sobreviveu a Guerra, sobreviveu a um bombardeio arrasador, sobreviveu até a uma abdução alienígena e vive dando saltos no tempo.

A vida de Billy Pilgrim é assim mesmo. Uma hora somos apresentados aos relatos da Guerra e sua destruição em 1944; no mesmo instante estamos num quarto de hospital depois de um acidente de avião em 1968. Essas loucuras temporais não fazem sentido, mas uma coisa certa é que Billy é a pessoa mais sortuda desse mundo.

As passagens narradas pelo autor são facilmente captadas, nos permitindo acompanhar a loucura que é a vida de Billy, tendo que se dividir entre o presente, passado e futuro e ainda a sua vivência em Tralfamadore, um planeta desconhecido habitado por alienígenas que estudam os seres humanos e suas ações.
A história pode parecer uma mistura de loucuras, mas conseguimos perceber como a Guerra foi um episódio muito cruel para todos. Mandar jovens despreparados para a Guerra é um ato suicida, e quem conseguiu sobreviver, ficou com marcas profundas na alma. Sem contar as vítimas fatais ocorridas durante os anos.

Matadouro-Cinco foi uma leitura incrível! De fácil compreensão, completei a leitura em menos de três dias, só tive que manter a minha cabeça no presente, enquanto Billy viajava do passado ao futuro. Sua narrativa humorada deixa o livro bem agradável de ler e quanto mais conhecemos o Billy, ficamos mais apegados.

A edição é maravilhosa! Em capa dura e com as cores que representam os Estados Unidos, além de capítulos fáceis de ler. Mas nenhuma experiência é transmitida tão bem quanto a própria leitura. Venha conhecer o Matadouro-Cinco!


Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!