Um cavalheiro a bordo, Julia Quinn

Ela estava no lugar errado…
Durante um passeio pela costa, a independente e aventureira Poppy Bridgerton fica agradavelmente surpresa ao descobrir um esconderijo de contrabandistas dentro de uma caverna.
Mas seu deleite se transforma em desespero quando dois piratas a sequestram e a levam a bordo de seu navio, deixando-a amarrada e amordaçada na cama do capitão.
Ele a encontrou na hora errada…
Conhecido entre a alta sociedade como um cafajeste e um corsário inconsequente, o capitão Andrew James Rokesby na verdade transporta bens e documentos para o governo britânico.
No meio de uma viagem, ele fica assombrado ao encontrar uma mulher na sua cabine. Sem dúvida sua imaginação está lhe pregando peças. Mas, não, ela é bastante real – e sua missão para com a Coroa o deixa preso a ela.
Será que dois erros podem acabar no acerto mais maravilhoso de todos? Quando Andrew descobre que Poppy é uma Bridgerton, entende que provavelmente terá que se casar com ela para evitar um escândalo.
Em alto-mar, as disputas verbais entre os dois logo dão lugar a uma inebriante paixão. Mas depois que o segredo de Andrew for revelado, será que ele conseguirá conquistar o coração dela?
Um Cavalheiro a Bordo
Os Rokesbys #3
Ano: 2019 
Páginas: 288
Idioma: português 
Editora: Arqueiro

“ Pessoas desinteressadas eram pessoas desinteressantes.”

Poppy Bridgerton não é uma heroína comum. Desde o momento em que nasceu, ela desejava ser mais, desejava aprender mais e absorver todas as respostas para todas as perguntas. Ela está em Charmouth visitando sua querida amiga Elizabeth, depois de passar mais uma temporada em Londres. Como Elizabeth está grávida e sem poder acompanhá-la em aventuras, Poppy decide desbravar uma praia próxima sozinha. Ela descobre uma série de cavernas e já vai ficando empolgada para explorar mesmo sabendo que poderia ser perigoso. Ela encontra um esconderijo de contrabandistas e planeja voltar com uma lanterna para saber o que existe no local, quando ouve vozes. Os homens ficam surpresos ao vê-la e, sem saber o que fazer, acabam levando-a pro navio. Poppy é inteligente, engraçada, gentil e fica enlouquecida quando se vê acuada num navio estranho com um belo corsário.

Ah! E que corsário! Me apaixonei por ele no livro 1 com seus diálogos bem humorados e ácidos com Billie e estava mais que ansiosa para conhecer mais sobre ele.

“ Seu cabelo era de um tom quente de castanho, queimado de sol em alguns pontos e preso à nuca em um rabo de cavalo que poderia ser descrito como pecaminoso.”


O capitão Andrew James Rokesby é um filho mais novo do conde de Manston e sua família acredita que ele deixou a Marinha para se tornar um corsário. Na realidade, ele trabalha para a coroa, entregando comunicações da Inglaterra a vários enviados, principalmente em Portugal e Espanha. Ele tem documentos importantes para entregar e, quando descobre que seus homens fizeram um prisioneiro, ele não tem escolha a não ser mantê-la a bordo. Ele não pode acreditar na sua “sorte” quando descobre que a garota mal humorada em sua cabine é uma Bridgerton e entende e receia as ramificações de mantê-la a bordo. Então manda que ela escreva uma carta para Elizabeth dando uma explicação sobre seu sumiço e depois zarpa.

Andrew James sempre se sentiu inquieto. Ele deixou de ser um soldado viajando pelo mundo se dedicando a guerra depois que uma lesão mudou o curso de sua vida. Ele acaba se tornando uma peça ainda mais vital para a Coroa através de sua capacidade de encantar. É um talento que o leva a viver uma vida de mentiras.

Ele vê Poppy como nada além de um problema no momento em que se encontram mas, com o passar dos dias, ele se vê se abrindo para ela como ninguém mais.

“ Onde mais ele encontraria uma mulher que achasse gaiolas pombalinas um assunto interessante? Que conseguisse pegar cada comentário sarcástico que ela fazia, torcê-los, virá-los do avesso e devolvê-los de forma ainda mais sagaz.”

 Ela o desafia e juntos entram numa verdadeira batalha verbal que mais pareciam preliminares. Estar perto dela o lembrou do que significa ser um cavalheiro, ele faz de tudo para protegê-la por conta de uma superstição entre seus homens de que mulher a bordo dá azar e acaba lutando contra uma deliciosa atração.

No geral, ele era um herói digno de se apaixonar que veste uma fachada de pirata, mas que continuava sendo um homem bom. Suas interações com Poppy são  bem interessantes. Ela não faz a menor ideia de que Andrew é um Rokesby e, portanto, vizinho e cunhado de sua prima Billie, ou que ele não é realmente um corsário, mas um agente do governo.


Em termos de trama, foi bom com várias cenas doces e suspirantes, confesso que esperei um pouco mais dos diálogos entre ele e Poppy, mesmo assim amei a conexão que se forma entre eles aos poucos. Obviamente, não há muita coisa que possa acontecer em um quarto de um navio, mas Júlia Quinn não deixa a história  monótona. Só achei que ela estendeu um pouco a parte do navio e correu no final para fechar a trama. Podia ter dado mais detalhes sobre o que aconteceu com Poppy e Andrew e principalmente ter arrematado melhor a interação final do casal que achei bastante romântica e fofa por boa parte do livro.

Gostei bastante da capa bem harmoniosa com a série.


Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!