Uma loucura e nada mais, Mary Balogh

Depois de sobreviver às guerras napoleônicas, Sir Benedict Harper está lutando para seguir em frente e retomar as rédeas de sua vida. O que ele nunca imaginou era que essa esperança viesse na forma de uma bela mulher, que também já teve sua parcela de sofrimento.
Após a morte do marido, Samantha McKay está à mercê dos sogros opressores, até que planeja uma fuga para o distante País de Gales para reivindicar uma casa que herdou. Como o cavalheiro que é, Ben insiste em acompanhá-la em sua jornada.
Ben deseja Samantha tanto quanto ela o deseja, mas tenta ser prudente. Afinal, o que uma alma ferida pode oferecer a uma mulher? Já Samantha está disposta a ir aonde o destino a levar, a deixar para trás o convívio com a alta sociedade e até mesmo a propriedade que é sua por direito, por esse...
Uma Loucura e Nada Mais
Clube dos Sobreviventes #3
Ano: 2019 
Páginas: 272
Idioma: português 
Editora: Arqueiro

“ Reconhecer problemas e pedir ajuda ou um ouvido amigo não é resmungar. É simplesmente recorrer à solidariedade de pessoas que sabem exatamente o que você está sentindo.”

Samantha é uma viúva que vive sob a vigilância constante da família do finado marido. Em seus 24 anos, esta resignada heroína teve pouca felicidade e as exigências e o puritanismo do sogro garantem que ela terá ainda menos felicidade pela frente. Samantha está sozinha e corre o risco de ser enterrada por essas regras repressivas se quiser continuar se beneficiando do apoio financeiro de seu sogro. Sua única esperança é fugir antes que os planos de seu sogro sejam efetivados.

Samantha quer ser livre, mas precisa da ajuda de Benedict para escapar para uma propriedade familiar que ela possui no país de Gales. Ela é uma guerreira que anseia encontrar seu lugar no mundo.

“ É que a liberdade é uma dádiva preciosa - disse Samantha – A pessoa deve usá-la para fazer aquilo que mais quer, desde que não machuque ninguém. Contudo quase não somos autorizados a agir livremente, não é?”


Benedict Harper, cujas pernas foram esmagadas durante uma batalha, é um dos membros do Clube dos Sobreviventes, e depois de um encontro com os amigos está se sentindo um pouco sem rumo. Ele se curou a ponto de poder andar lentamente com muletas feitas especialmente para ele, mas acabou de perceber que nunca vai se recuperar completamente. Agora ele está um pouco depressivo e precisa encontrar algo significativo que possa fazer com sua vida. Enquanto ele tenta descobrir o que fazer, vai visitar sua irmã e é lá que ele conhece Samantha. O primeiro encontro entre os dois não é dos melhores mas, aos poucos, um encontrará no outro o amigo que nem imaginou precisar.

“ Era um daqueles momentos raros e perfeitos, pensou Bem. Ele queria capturá-lo e guardá-lo como um tesouro para poder olhá-lo de vez em quando e sentir de novo o que sentia agora.”

Amei esta versão de "guardar algo no potinho"hehehehe... A cena de onde tirei este quote para mim juntamente com uma certa cena num baile foram das mais bonitas, emocionantes e bem escritas que já li. Sem palavras para transmitir tudo o que senti ao praticamente me ver dentro do livro  vivenciando com os personagens momentos de puro deleite.

O que mais amei na trama foi que nem Benedict nem Samantha são lamuriosos ou têm pena de si mesmos, muito pelo contrário, cada tenta, da melhor forma, seguir em frente de cabeça erguida depois de tudo pelo que passaram. Eles não fazem suposições um sobre o outro sem fazer perguntas para testar a precisão de suas suposições. Ambos enfrentam desafios e reconhecem o que devem fazer para superá-los. Para mim, um dos casais mais reais e dos melhores que já li. Eles conversam, argumentam, se provocam, riem, discordam, ficam com raiva e fazem as pazes - em suma, eles realmente se conhecem antes de assumirem compromissos ao longo da vida. Abordam a atração e o sexo como as atividades humanas normais que são, expressando desejo, ternura, carinho e prazer mútuo. Não  surge do nada.  Foi lindo acompanhá-los nesta jornada. Eles sabem que podem viver um sem o outro e que até se recuperarão de um possível coração partido, se necessário, mas, felizmente, não precisam. Estou realmente mais que apaixonada por esses dois sobreviventes.


Como vocês sabem, eu amei Um Acordo e Nada Mais e não imaginei que algum livro desta série pudesse roubar o primeiro lugar no meu coração, mas Mary Balogh conseguiu criar uma trama diferente e maravilhosa que me conquistou desde as primeiras páginas e Uma Loucura e Nada Mais se tornou meu livro preferido da série, tanto pela história de vida de cada um dos protagonistas como pela forma como ambos crescem e se redescobrem.


Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!