Pistas Submersas, Maria Adolfsson

Bem-vindo ao mundo único de Doggerland! Uma nação formada por grande extensão de terras, hoje, a maior parte submersas, das quais restaram apenas três ilhas, localizada em algum lugar entre o Reino Unido e os países nórdicos. É lá que Maria Adolfsson cria o cenário perfeito para uma história arrebatadora.
Na manhã seguinte ao grande festival das ilhas de Doggerland, norte da Escandinávia, a detetive Karen Hornby acorda em um quarto de hotel com uma ressaca gigantesca, mas não maior que os arrependimentos da noite anterior. Na mesma manhã, uma mulher foi encontrada morta, quase desfigurada, em outra parte da ilha. As notícias daquele crime abalam a comunidade. Karen é encarregada do caso, algo complexo pelo fato de a vítima ser ex-esposa de seu chefe. O homem com quem Karen acordou no quarto de hotel... Ela era o seu álibi. Mas não podia contar a ninguém. Karen começa a seguir as pistas, que vão desenrolando um novelo de segredos há muito tempo enterrados. Talvez aquele evento tenha origem na década de 1970... Talvez o seu desfecho esteja relacionado a um telefonema estranho, naquela primavera. Ainda assim, Karen não encontra um motivo para o assassinato. Mas, enquanto investiga a história das ilhas, descobre que as camadas de mistérios daquelas terras submersas são mais profundas do que se imagina
Pistas Submersas
Doggerland #1
Ano: 2020 
Páginas: 368
Idioma: português
Editora: Faro Editorial

O Festival da Ostra é o grande momento de comemoração das ilhas Doggerland... mas não para a inspetora-detetive Karen Eiken Hornby que bebeu demais e, ao acordar, percebeu que passou anoite com o seu chefe Jounas Smeed, um machista ridículo, mas nem lembra direito como foi parar lá... então, né?

Mas como miséria pouca é bobagem, Karen é surpreendida com a notícia de que a ex-esposa de Jounas foi encontrada morta na cozinha de sua casa, e ela terá que assumir o caso e o lugar do seu chefe, já que ele não poderá investigar o caso.

Bom, acho que já temos munição suficiente para uma boa história!

Karen acredita na inocência de Jounas e fará tudo para prová-la sem que seja necessário revelar que os dois passaram a noite juntos. Mas, ao longo da sua investigação, ela vai desencavar fatos terríveis que tiveram o pontapé inicial a cerca de 40 anos quando uma comunidade alternativa foi criada pelos pais de Susanne.

A partir daí o livro trará duas histórias paralelas com capítulos intercalados ora contando a investigação de Karen ora contando fatos do passado para que o leitor possa tirar suas próprias conclusões ao longo da investigação.

Mas Karen não é apenas investigadora, ela também tem um passado que, vira e mexe, retorna para desestabilizar a mulher forte que ela precisou se tornar depois das tragédias que assolaram sua vida e que ela tenta esconder a todo custo. Infelizmente essa investigação vai envolvê-la de tal forma que ela terá que reabrir as feridas que ela acreditava estarem cicatrizadas.

Como primeiro livro da série Doggerland, a autora Maria Adolfsson nos trouxe uma super história de investigação, cheia de personagens bem caracterizados e com vários motivos para cometer esse assassinato, o que prende mais ainda o leitor. Apenas lamento o ritmo um mais lento das investigações que deixou a história monótona em alguns poucos momentos. Mas nada que desmereça o livro! Se prepare para uma descoberta, uma surpresa ou uma revelação quando você estiver mais distraído!

Não posso deixar de elogiar a edição impecável que a Faro fez, com alto relevo na capa, papel de primeira qualidade e tradição impecável.


Um comentário

  1. Olha, como tenho sérios problemas visuais, preciso concordar com você em tudo em relação ao trabalho que a Faro faz com seus livros.
    Páginas, conforto no tamanho das letras. Um capricho que deve ser sempre aplaudido sim!
    Um dos lançamentos que mais estou desejando, por amar o gênero, já fico aqui, com o coração na mão.
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir

O seu comentário alegra o nosso dia!!!