Meninas selvagens, Rory Power

Best-seller do New York Times, Meninas selvagens é a emocionante história de terror feminista sobre três melhores amigas que estão em quarentena em um colégio interno e o que acontece quando uma delas desaparece.
Há dezoito meses, a Escola Raxter para Meninas entrou em quarentena. Há dezoito meses, uma misteriosa doença virou a vida de Hetty do avesso.

Começou devagar. Primeiro, as professoras foram morrendo, uma a uma. Então, começou a infectar as alunas, transformando o corpo delas em algo cada vez mais estranho. Isoladas do resto do mundo e deixadas à própria sorte, as meninas não se atrevem a ultrapassar o limite da escola. Hetty, Byatt e Reese esperam a cura prometida enquanto a doença se alastra.

Mas tudo muda quando Byatt desaparece. Hetty não medirá esforços para encontrá-la, mesmo que isso signifique quebrar a quarentena e desbravar os horrores que as esperam além da cerca que separa a escola da floresta. E quando Hetty se lança rumo ao desconhecido, descobre que há muito mais mistérios por trás dessa história que ela jamais poderia imaginar.

Meninas selvagens combina um cenário de terror com a angústia e a ternura da adolescência para explorar até onde um grupo de meninas é capaz de ir para sobreviver e se manter unido. Rory Power constrói uma narrativa que, por vezes irregular e flutuante, demonstra a originalidade e potência de sua escrita, tornando-se uma das novas apostas do gênero. Com Meninas selvagens, estreia – brilhantemente – no universo da ficção juvenil.
Meninas selvagens
Um tergror feminista em meio a uma epidemia
Ano: 2020 
Páginas: 320
Idioma: português
Editora: Galera Record 


Se está ruim pra gente que está em quarentena desde março (ainda estamos???), para as meninas da Escola Ratex não está nada melhor.

A Escola Ratex é uma escola só para meninas a partir dos 13 anos de idade, construída em uma ilha, totalmente isolada do continente e com mais nada ao seu redor além da floresta e do mar, que teve a grande maioria de suas alunas, professores e funcionários acometidos por um vírus que deixaria o COVID-19 envergonhado com sua capacidade de estrago. 

Além dos seres humanos, o vírus desconhecido vitimou também as árvores e os animais da floresta que se transformaram em verdadeiros monstros, criando um ambiente ainda mais sombrio.

Mais isoladas do que nunca, já que foram tiveram todo e qualquer tipo de contanto com seus familiares ou com seja o que ainda exista no mundo fora dos muros de Ratex proibidos pela Marinha, as meninas precisam sobreviver da maneira que for possível enquanto aguardam uma cura.

Em meio a todo esse caos, acompanhamos a amizade do trio inseparável Byatt, Hetty e Reese. Todas três tem o Tox, nome que deram para o vírus, mas cada uma desenvolveu uma mutação diferente provocada pelo mesmo. É nessa amizade que as meninas encontram força e coragem para continuar acreditando que a cura chegará a tempo de salvar a todas. 
Mas quando Byatt desaparece após uma terrível crise do Tox, essa tranquilidade é abalada, principalmente porque Hetty não aceita a ausência da amiga sem explicações e vai em busca de respostas. E nessa aventura em meio a árvores com raízes que atacam, animais famintos e seres humanos não tão humanos assim, Hetty vai abrir, literalmente, uma caixa de Pandora com segredos assustadores.

Além de ser uma história que vai te deixar acordado por algumas noites, a autora traz um verdadeiro estudo sobre a alma feminina quando levada a extremos, mostra o que somos capazes para garantir a própria sobrevivência e como princípios e regras sociais podem ser esquecidos quando não tem muita gente olhando e todos estão na mesma situação. Mas, acima de tudo, Meninas Selvagens fala sobre o poder da amizade verdadeira, incondicional, daquela que nos torna praticamente irmãs e de tudo o que somos capazes de fazer para salvar uma amiga. 

Eu e a minha curiosidade científica ficamos carentes de mais explicações sobre o vírus, como ele chegou à ilha e como o resto do mundo está lidando com isso. Mas a autora compensa essa falta com uma história eletrizante, que mal deixa o leitor respirar em meio a tantas surpresas e com personagens admiráveis. Merece uma continuação...




Um comentário

  1. Estou lendo agora, ainda não tenho uma opinião formada, mas a escrita é bem fluida... espero que, apesar do que todos estão falando sobre o final etc., eu consiga pelo menos apreciar a leitura...

    Blog Tagarelando Livros

    ResponderExcluir

O seu comentário alegra o nosso dia!!!