O plano perfeito para dar errado, Cameron Lund



UMA HISTÓRIA SOBRE PRIMEIROS AMORES, PRIMEIROS AMIGOS E COMO ASSUMIR O CONTROLE DA VIDA AO FAZER NOSSAS PRÓPRIAS ESCOLHAS. Quando a sua última amiga virgem muda de “status”, Keely começa a pensar em fazer o mesmo. Ela não quer ser a única virgem que resta da turma, mas não pode ser com qualquer um. Tem de ser especial, com alguém de confiança. E rápido! O problema é que ela cresceu com todos os garotos de sua escola, e é muito difícil gostar de um cara quando você lembra dele comendo giz de cera (ou coisa pior) no jardim de infância. Então, a sorte acena para Keely ao encontrar Dean. Ele não apenas parece ter saído de um cartaz de filme, como tem uma moto, é sexy e demonstra estar muito interessado. Só que Dean é um pouco mais velho e já está na faculdade. E a insegurança de Keely a convence de que ter a primeira vez com Dean pode ser um desastre, fazendo com que ele nunca mais queira vê-la. É quando ela traça um plano e escolhe “mudar o status” com seu melhor amigo, Andrew. Com ele tudo seria seguro. Andrew nunca iria magoá-la e já teve muitas experiências para poder ensinar, antes que ela aceite dar o próximo passo com Dean. Mas o plano só funciona se Andrew e Keely continuarem amigos – e apenas amigos. É aí que as coisas começam a ficar complicadas.
O plano perfeito para dar errado
Ano: 2020 
Páginas: 304
Idioma: português
Editora: Faro Editorial

A vida dos adolescentes não é fácil, visando os estereótipos e as cobranças em termos da perfeição, cada um precisa aprender a lidar com aquilo que vive, porém para Keely as coisas são um pouco mais complicadas, pois para ela ver que os garotos não se interessam por ela, que suas amigas já estão um passo a frente e que sua virgindade está em constante teste é assustador. Por isso quando um universitário gato aparece, Keely acha que seus problemas foram resolvidos e que ela finalmente vai chegar no patamar dos amigos, mas nem tudo é como parece. 

Uma proposta indecente faz com que as coisas mudem para Keely, suas percepções ficam fora de sincronia e a decisão de colocar Andrew, seu melhor amigo, na jogada para conquistar o universitário, faz com que a jovem colegial tenha novas ideias do que a vida pode ser por debaixo dos panos, mas será que ela é capaz de separar amizade e sexo? Ou a amizade entre Keely e Andrew vai acabar por conta de uma ideia estupida? Somente correndo o risco é que ela vai saber. 

“Isso é simplesmente arbitrário, não é? O corpo é seu. Sendo assim, por que outra pessoa tem o direito de dizer o que entra nele?”

Narrado em primeira pessoa e tendo o ponto de vista apenas de Keely, vamos acompanhar a história de uma jovem adulta, saindo do colegial e em busca de se igualar as amigas, apenas pelo fato de que todas tem algo a cobrar dela. Keely também vai nos ensinar que não precisamos seguir um padrão e que na maioria das vezes as pessoas não são exatamente o que dizem ser, uma história gostosa de se acompanhar, com vários ensinamentos e significados. 

Além disso é um romance fofinho, que Cameron Lund fez questão de tirar do óbvio no começo, trazendo certa intriga a mente do leitor e desenrolando com maestria o carinho dos personagens uns pelos outros. Mesmo sendo um romance clichê sobre o amor na adolescência, ainda tem vários pontos de interesse como a pressão sobre a virgindade e pela corrida para a aceitação do coletivo.

“O amor é apenas um parasita.”

Não preciso dizer o quanto essa história conseguiu me cativar, né? O livro tem tantos pontos importantes, que deixa o leitor preso do começo ao fim na história e ansiando por mais, adoraria ver um livro sobre a vida da Keely na faculdade e como ficou a relação dela pós formatura, mas por enquanto estamos apenas sonhando não é mesmo? 
Pois bem, agora que vocês já sabem como me sinto, comenta aqui se já leu e o que achou da história, se ainda não leu corre ler e voltar para me contar. Um super beijo e em breve eu apareço por aqui com mais. 




Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!