Você nasceu para isso, Michelle Sacks



Sam Hurley, professor, e sua esposa Merry, cenógrafa, trocam os confortos de Nova York por um estilo de vida completamente diferente em uma casinha isolada na Suécia. Apesar do quadro idílico que o casal com um bebê recém-nascido em paisagens de contos de fada representa, problemas com raízes muito profundas ameaçam o relacionamento. Sam, que nunca contou à esposa que na verdade foi demitido da universidade, também mente sobre seu dia a dia na nova cidade. Merry, por sua vez, sempre escuta do marido que nasceu para ser dona de casa, mas não sabe o que fazer com o ódio que alimenta por todas as tarefas cotidianas: a jardinagem sem-fim, a arrumação da casa, o preparo de refeições para a família e os cuidados com um bebê que por ora só parece dar trabalho.

O instável equilíbrio da família se perde por completo com a visita da melhor amiga de Merry, a glamourosa Frank. Ela conhece Merry muito bem, conhece sua história, e agora, com a proximidade, é capaz de ver quem Sam realmente é. Mas Frank tem os próprios segredos, e, à medida que sua narrativa se junta à história do casal, fica claro que ela sofre pelos próprios pecados e talvez não seja capaz – ou não queira – salvar ninguém.

Você nasceu para isso retrata a escuridão que há no cerne dos relacionamentos mais íntimos. Sem heróis e permeada por uma teia de segredos, obsessão e inveja, é um relato violento de vidas que quase nunca são o que parecem e das partes de nós que não somos capazes de admitir.

Você nasceu para isso
Ano: 2019 
Páginas: 272
Idioma: português
Editora: Intrínseca

Sabe aquela famílía de propaganda de margarina que, só de olhar, você sente que é felicidade demais para ser verdade? E você logo fica se perguntando o que há de podre por baixo dessa máscara? Então, assim é a família de Sam, Merry e seu filhinho.

Sam deixa sua carreira de professor universitário para morar em uma casa herdada por ele na Suécia. Na tentativa de abafar um situação ocorrida em seu trabalho mas usando o álíbi de que seria um lugar mais tranquilo para criar o filho, ele convence Merry a também largar sua carreira e se dedicar a maternidade

À medida que conhecemos a família, as pequenas manchas nessa vida perfeita vão aparecendo. Merry não gosta de ser mãe nem dona de casa, não foi algo planejado e ela sente falta da sua carreira, além de se sentir totalmente presa em uma casa no meio do nada. Mas, ainda assim, interpreta a mãe e esposa perfeitas.

Mas a vida de Merry vai piorar muito quando sua amiga de infância for passar uma temporada em sua casa. Frank demonstra ser a mulher independente e bem sucedida, que conquistou tudo o que Merry abriu mão. Mas ao passar a olhar mais de perto, ela percebe que essa vida que Merry tanto despreza é tudo o que ela gostaria de ter. De cara ela conquista logo o bêbê dando o carinho que a mãe não consegue dar. E então parte para conquistar o pai. 

Sam também não é quem parece, vive uma vida de farsa para a esposa, tem uma amante e mantém a família extorquindo a mãe rica. Age como se todas as mulheres à sua volta merecessem sofrer, mesmo que essa seja sua forma doentia de demonstrar amor... Parece que a única criatura autêntica nessa história é o bêbê...

A história é contada sob o ponto de vista dos três personagens principais em capítulos alternados, o que faz com que o leitor conheça suas motivações para cada atitude, por mais absurda que pareça ser. E esse é o ponto alto da história: a construção dos personagens e suas intricadas personalidades. Claro que ainda temos muita história pra rolar, com muito suspense e mistério, mas a riqueza dos personagens supera em muito a história. 



Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!