Aqueles Que Perdemos, Sheena Kamal



Uma história surpreendente protagonizada por Nora Watts, uma mulher brilhante, destemida, caótica e imperfeita – tão irresistível quanto Lisbeth Salander, de Stieg Larsson, e Harry Hole, de Jo Nesbø
Nora Watts possui um talento único: quase sempre consegue dizer quando alguém está mentindo. Por isso é tão boa em seu trabalho como pesquisadora e investigadora particular de uma pequena firma. Ela é durona e esperta, duas qualidades que desenvolveu para sobreviver a uma infância terrível. Largada pelos pais, ela passou por todo tipo de abuso e traição ao longo vida, e carrega feridas invisíveis e um coração cheio de raiva. Quando um casal pede ajuda para encontrar sua filha desaparecida, ela decide intervir. Nora sabe os perigos que as ruas escondem. Porém, sua investigação toma um caminho terrível quando descobre que Bonnie, a adolescente sumida, é a filha que a própria Nora entregou para adoção anos atrás. Agora, ela deve entrar no mundo implacável do mercado negro e do tráfico de pessoas – um lugar no qual a riqueza e o poder estão acima da moralidade.
Aqueles Que Perdemos
Ano: 2017 
Páginas: 384
Idioma: português


Sabe aquele livro que você termina sem saber se gostou ou não? Aqueles que perdemos é um deles. Mas tenha calma! Não quis dizer que o livro é ruim! Me deixe explicar.

Nora Watts é uma mulher com um passado sombrio para o qual nem ela mesma tem todas as respostas. Trabalhando para uma uma firma de investigação, ela é contactada para encontrar Bonnie, adolescente de 15 anos que, aparentemente e sem motivos, fugiu de casa. Aos poucos vamos descobrir que Bonnie é a filha que Nora entregou para adoção a 15 anos atrás, justamente quando ela foi vítima de uma tragédia assustadora. 

Sem nunca terem sequer se visto, Nora se sente responsável por fazer o que os pais adotivos de Bonnie não fizeram: mantê-la segura. Totalmente narrada por Nora, vamos acompanhando a sua investigação enquanto conhecemos mais sobre ela, seus vício em álcool, seus amigos incríveis, seus traumas absolutamente justificáveis, sua história de abandonos e sobre a cadelinha Whisper, uma companheirinha cheia de personalidade e atitude que rouba a cena várias vezes.

 Apesar de tudo (e quando eu digo 'tudo' pode ter certeza de que não é pouca coisa) o que aconteceu na vida de Nora, ela é uma personagem incrível: corajosa, inteligente e com um humor ácido que beira ao sarcasmo, que pontua a sua narração e garante também a fluidez da leitura.

O livro aborda temas como alcoolismo, preconceito de raça, imigração, carteis, o mercado vermelho que faz contrabando de sangue e derivados e a destruição do meio ambiente provocado por grandes mineradoras. Acho que ao abordar esses temas, a investigação perde o ritmo de um thriller cheio de suspense. Mas, ainda assim a leitura vale muito à pena por ser muito bem escrito e divertido. Se você estiver começando a se acventurar nesse gênero, pode ser bom começar por ele para ir se acostumando. 

Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!