A morte da Sra. Westaway, Ruth Ware



As cartas não dizem nada que você não saiba.
Não podem revelar nenhum segredo nem ditar o futuro.
Elas só podem mostrar o que você já sabe.
Hal Westaway lê cartas de tarô no cais de Brighton e, desde a morte da mãe, luta diariamente para pagar suas contas e sobreviver. A notícia inesperada de uma herança pode mudar sua vida para sempre e, mesmo sabendo que tudo pode ser um enorme engano, ela decide acreditar... e jogar.
Quando Hal Westaway recebe uma carta inesperada anunciando que ela herdou uma soma substancial de sua avó da Cornualha, aquilo lhe parece uma resposta às suas preces. Ela deve dinheiro a um agiota e as ameaças do sujeito estão cada vez mais agressivas: ela precisa botar a mão em dinheiro vivo o mais breve possível.
Existe apenas um problema: as avós de Hal morreram há mais de vinte anos. A carta foi enviada à pessoa errada. Hal sabe, no entanto, que as técnicas que usa para "ler" as pessoas através do tarô podem ajudá-la a conseguir esse dinheiro. Se alguém tem habilidade para comparecer ao funeral de um estranho e reivindicar um espólio que não lhe pertence, é ela.
Ao chegar à cerimônia, porém, Hal percebe que há algo muito, muito errado a respeito de toda aquela situação, e a herança está no centro de tudo. Mas Hal Westaway fez sua escolha, e não pode voltar atrás. Ela precisa continuar ou arriscar perder tudo. Até mesmo a própria vida.
Uma velha casa, uma governanta assustadora, conflitos familiares e dilemas morais. Ingredientes clássicos que se tornam surpreendentes na voz de um dos grandes nomes contemporâneos do suspense, Ruth Ware.
A morte da Sra. Westaway
Todas as famílias têm seus segredos, alguns valem até assassinato...
Ruth Ware
Ano: 2021
Páginas: 320
Idioma: português
Editora: Rocco

Hal Westaway é mais uma jovem tendo que lidar com as dificuldades da vida. Sua mãe morreu e ela teve que se virar sozinha, a única coisa que herdou foi o quiosque onde a mãe lia cartas de tarot que, mesmo sem acreditar no poder das cartas, ela assume para poder pagar as contas. Contas essas que não param de crescer desde que ela pegou dinheiro com um agiota que, por sinal, lhe ameaça para receber o dinheiro. 

Sozinha no mundo e tendo apenas o desespero como companhia, Hal recebe uma carta avisando que a Sra. Westaway faleceu e deixou uma herança substancial para ela. Bom demais para ser verdade? Com certeza! Afinal, a avó de Hal morreu a vários anos... ou não? Hal decide aproveitar a situação usando todo o seu talento para observar as pessoas para convencer a todos que ela é a neta desconhecida. 

Hal nunca soube quem é o seu pai e não tem muitas informações sobre o resto da família, e uma breve pesquisa na internet lhe dá uma ideia de quem são os seus possíveis tios. Mas ela logo descobre que não é a única que está escondendo algo e que todos parecem estar aliviados com a morte da matriarca. A mansão da família tem um ar sombrio e uma governanta assustadora que parece saber mais sobre Hal do que ela gostaria. 

Comecei essa leitura pensando: 'Ok, vamos ler mais um livro de suspense e vamos ter que descobrir quem matou a Sra. Westaway.' Mas a Sra. Ware não quis que assim fosse e criou um enredo que foi muito além das minhas expectativas. Muito mais que um romance policial, A morte da Sra. Westaway é um thriller psicológico que leva o leitor a descobrir, junto com Hal, suas origens e quais os esqueletos a família Westaway esconde nos armários. Prepare para se surpreender a cada mistério desvendado num looping enlouquecedor de vixe e oxe de tirar o fôlego. Sem contar que a solução do mistério desestabiliza tanto Hal quanto até mesmo o leitor mais acostumado a esse tipo de leitura. 

Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!