Willa - A Garota da Floresta, Robert Beatty



Quem é essa garota querendo desafiar o mundo? Willa é uma garota da floresta que sai à noite para buscar mantimentos para o seu clã. Sua missão é entrar escondida nas cabanas das pessoas e pegar o que eles têm em excesso. É uma tarefa arriscada ― se for apanhada será o seu fim. O povo do dia mata tudo o que não conhece, foi o que sempre ouviu. Numa noite, quando retorna para a sua comunidade, Willa começa a questionar aquele modo de vida, os furtos, a que era obrigada, e vai descobrindo que nem todas as pessoas do povo do dia são ruins e nem todos em sua comunidade são bons. Então muitos dos ensinamentos que recebeu desde a infância começam a desmoronar.

Willa - A Garota da Floresta
Robert Beatty
Ano: 2021 
Páginas: 304
Idioma: português
Editora: Milk Shakespeare

Willa é a última de sua linhagem, a última que ainda possui os poderes da floresta, a única capaz de entender tudo que se passa a sua volta e por isso ela é chamada de fada da floresta. Alguns anos atrás Willa perdeu sua família para a ganância, os humanos levaram seus pais e sua irmã gêmea, restando apenas ela e sua avó que lhe ensinou tudo que podia sobre a magia da floresta. 

Hoje, ela vive de furtos, pois segundo o seu Padaran, só assim o povo de Faeran poderá sobreviver, roubando dos humanos. Sua toca já não é mais a mesma de antes e a cada dia as coisas ficam ainda piores, mas Willa persiste pelo bem do povo de Faeran, afinal se o Padaran diz que esse é o certo, então esse é o certo. 

Tudo que ela sabe sobre os humanos é que eles são maus e que ela precisa ficar o mais longe possível deles, deve ser rápida no roubo e sair do local sem ser vista. Mas um belo dia, ela encontra um homem que, ao contrário do que todos diziam, não tenta machucá-la e sim cuidar dela. 

“Talvez não houvesse apenas um modo de viver, mas muitos.”

Entre o ódio crescente entre os seus parentes e o carinho do humano, a jovem fada começa a se perguntar se de fato o Padaran está certo, se os humanos são mesmo maus e se eles são tão maus assim, como aquele humano não a machucou? Além disso, por que as pessoas que deveriam protegê-la só fazem maltratá-la? São tantas perguntas sem respostas que o único jeito é investigar os dois lados e, quem sabe assim, finalmente descobrir qual o seu lugar. 

Narrado em terceira pessoa e tendo Willa como ponto principal da história, Robert Beatty nos apresenta um livro cheio de reviravoltas, com personagens intrigantes e um enredo crescente a cada virada de página. Embora o começo seja um pouco arrastado, assim que se entende o caminho se torna impossível largar o livro e é cada vez mais gostoso conhecer as descobertas de uma personagem tão cativante. 

“Todos nós temos nossas maneiras de sobreviver.”

É uma história apaixonante e com um significado lindo, passando por momentos de angústia com os maus tratos que Willa recebe, até o tão sonhado arrebatamento para a felicidade que ela busca. Uma história para ser apreciada aos poucos e conhecer cada personagem com delicadeza, levando a um desfecho de tirar o fôlego. 

Embora o livro tenha finalizado de forma fantástica e, para mim, como leitora, não tenha a necessidade de uma continuação, já foi informado pela editora que essa história se trata de uma duologia e que em breve vamos conhecer o desfecho real de Willa, então fico aqui a postos para conhecer mais dessa personagem maravilhosa e entender como o livro dois vai fechar esse ciclo.

Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!