Duplo Eu, Navie e Audrey Laine


Um dia, Navie percebeu que estava carregando o peso de uma segunda pessoa. Um duplo que ela teve de eliminar para sobreviver.
Navie estava doente. Tinha obesidade mórbida e sofria todos os dias com um sorriso no rosto. Aceitar-se é sempre difícil, mas para Navie amar a si mesma era como amar um reflexo de seu sofrimento. Ela tinha um duplo, carregava o peso de uma segunda pessoa de quem ela tentou fugir, tentou amar e finalmente matar. Mas como você se mata sem morrer? Este é um testemunho raro e forte de uma luta que por vezes travamos com nós mesmos.

Se você já teve medo do olhar dos outros, se já comeu para se sentir melhor, se faz qualquer coisa para que gostem de você, se já se calou ainda que quisesse gritar, se já se enganou dizendo que está tudo bem ainda que por dentro o Titanic estivesse afundando, se já se viu no espelho e desprezou o que via, se já se tratou como burra, idiota, se ama sexo e piadas embaraçosas, se nunca encarou seu reflexo e disse: eu te amo…

Este livro é para você. Excesso de peso envolve todo mundo, que seja no corpo ou no coração.

Duplo Eu
Navie e Audrey Laine
Ano: 2019
Páginas: 144
Idioma: português
Editora: Nemo

Acredito no poder dos livros. No poder que eles têm de conversar com cada leitor de maneira específica. Sempre fui gorda. Sim, gorda! Não fortinha, fofinha, rechonchuda nem gostosa. Na verdade, sempre odiei essas palavras usadas como eufemismo para a palavra gorda. Mas, por questões de saúde, fiz cirurgia bariátrica no final do ano passado. Uma das decisões mais importantes e difíceis da minha vida. Duplo eu caiu inesperadamente em minhas mãos logo após a cirurgia, na pior fase do processo quando me questionei se tinha feita a escolha certa. 



Duplo eu é uma hq autobiográfica onde a autora conta sobre a sua relação conturbada com o seu excesso de peso. Navie não tem problemas de saúde por conta da obesidade, mas tem algumas limitações físicas, sua autoestima anda meio lá embaixo e ainda lida com o sentimento de culpa e o julgamento das pessoas.

Mas Navie é uma mulher forte (???) e vai virar essa chave. Ao consultar uma médica e ouvir seus conselhos, ela se conscientiza de que vive com uma outra pessoa dentro de si. Não somente pelo excesso de peso, que equivaleria a uma outra pessoa, mas, principalmente, por conta da autosabotagem que esse outro eu realiza, contrariando e minando todos os planos e metas que Navie traçou. 



Se encondendo atrás de mentiras e máscaras para provar ao mundo de que está feliz, Navie nos leva por um turbilhão de sentimentos onde ela terá que encarar seus próprios medos, revisitar seus monstros interiores e decidir qual vai alimentar ou matar, numa jornada que poderia ser enfrentada por qualquer pessoa que também carregue outros pesos que não o físico. 



Com uma história incrível de enfrentamento e superação aliado a um projeto gráfico primoroso, Duplo eu é uma hq inquietante, que vai mexer com leitores que carreguem excessos, sejam de peso físico, de trabalho, de responsabilidades. Afinal, se está em excesso, não pode te fazer bem. 

Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!