Para o Lobo, Hannah Whitten


Destinada a se sacrificar pelo reino, Red enfrentará os perigos de uma floresta mágica para proteger aqueles que ama e descobrirá verdades perigosas por trás das lendas de seu povo. Primeiro volume da duologia Wilderwood, "Para o Lobo" é uma fantasia dark que combina elementos de contos de fadas em uma narrativa envolvente e repleta de personagens inesquecíveis.
O reino de Valleyda não via o nascimento de uma Segunda Filha há cem anos – até a Rainha dar à luz Redarys, ou Red, irmã mais nova de Neverah. Seu propósito de vida é um só: o sacrifício.

Ao completar vinte anos, Red se entregará ao temido Lobo em Wilderwood – a floresta que faz fronteira com seu lar –, para cumprir o pacto selado há quatro séculos e garantir a segurança não só de Valleyda, mas também de todos os demais reinos.

Carregando o fardo de um poder que não consegue controlar, Red sempre soube de seu destino e está quase aliviada por cumpri-lo: na floresta, ela não pode machucar aqueles que ama.

No entanto, apesar do que dizem as lendas, o Lobo é apenas um homem, não um monstro. E os poderes de Red são um chamado, não uma maldição. Enquanto descobre a verdade por trás dos mitos, a Segunda Filha precisará aprender a controlar sua magia antes que as sombras tomem conta de seu mundo.

Para o Lobo
Wilderwood #1
Ano: 2022 
Páginas: 392
Idioma: português
Editora: Suma

 “Para aqueles que reprimem a raiva tão fundo que ela é incapaz de sair, para os que se sentem afiados demais para tocar em algo delicado, para aqueles que estão cansados de carregar mundos nas costas.”

Se existe uma coisa que agrada essa leitora aqui são releituras, e Para o Lobo é praticamente uma releitura de A bela e a Fera com Chaupeuzinho Vermelho. 

A cerca de 100 anos não nascia uma Segunda Filha em Valleyda, mas justo a rainha dá a luz a gêmeas. E, por conta de um acordo antigo em troca de proteção da floresta de Wilderwood e de seus monstros, ao completar 20 anos, Red deverá ser entregue para o Lobo que guarda a floresta mas que ninguém conhece.

“Pessoas com poder se ressentem ao perdê-lo e ter muito poder por tempo demais pode transformar qualquer um em vilão.”

Apesar de não querer ser um sacrifício e, possivelmente, ter um destino sombrio, Red está resignada com o seu compromisso. E, quem sabe, lá ela consiga respostas para esse poder estranho que ela sente e parece estar conectado com a floresta. Mas Neve, sua irmã, não está confortável com essa situação, e vai fazer qualquer coisa pra mudar o destino da irmã. 

" Lobos e florestas, tronos e escuridão, mundos inteiros presos em corações quase completamente humanos. Você e sua irmã são parte de tudo isso desde o início, atoladas muito mais fundo do que qualquer uma das duas imaginou. "

Já deu para perceber inúmeros elementos dos contos de fadas, né? E a Hannah Whitten vai trazer muitos mais e também vai entrelaçá-los à mitologia de Wilderwood com maestria fazendo com que você veja os contos de fadas com um ar renovado por causa de uma vibe mais sombria. 

“Todos eles amavam como fogo, sem pensar nas cinzas.”

Sim, temos gatilho. Algumas cenas de automutilação que fazem parte de rituais de sangue para evocar magia podem ser bastante desconfortáveis. Mas o grande foco da narrativa é na relação entre as irmãs. e aqui vai uma curiosidade: esse amor que deveria ser capaz de grandes atos é justamente o que vai provocar as piores tragédias da história, e isso não é um spoiler porque garanto que você não está preparado para o que está por vir. Vamos acrecentar à narrativa uma boa dose de segredos a serem descobertos e teremos uma história boa. Sim, boa. Acho que a autora se perde em vários momentos tornando a leitura, por vezes, monótona, apesar de ser capaz de, no capítulo seguinte, dar um novo respiro à narrativa e despertar novamente a curiosidade do leitor. 

Se você gosta de fantasia, de contos de fadas, de personagens fortes e de mulheres no comando, não deixe de ler Para o Lobo. 


Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!