• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Lendo com a Dani: Primeiro e Único, Emily Giffin

    Shea tem 33 anos e passou toda a sua vida em uma cidadezinha universitária que vive em função do futebol americano. Criada junto com sua melhor amigas, Lucy, filha do lendário treinador Clive Carr, Shea nunca teve coragem de deixar sua terra natal. Acabou cursando a universidade, onde conseguiu um emprego no departamento atlético e passa todos os dias junto do treinador e já está no mesmo cargo há mais de dez anos.

    Quando finalmente abre mão da segurança e decide trilhar um caminho desconhecido, Shea descobre novas verdades sobre pessoas e fatos e essa situação a obriga a confrontar seus desejos mais profundos, seus medos e segredos.

    A aclamada autora de Questões do Coração e Presentes da Vida criou uma história extraordinária sobre amor e lealdade e sobre uma heroína não convencional que luta para conciliá-los.



    Primeiro e Único (The One and Only)

    Autora: Emily Giffin

    Editora Novo Conceito (2015)

    448 páginas

    Antes de tudo. Uma recomendação: o texto abaixo é minha opinião, não implica que ao ler você terá a mesma percepção que eu. Então dê uma chance e tire sua própria conclusão.

    Com um começo enfadonho, monótono e uma mocinha sem graça, minha primeira experiência com a escrita de Emily Giffin foi arrastada.

    Levei três dias para passar da página 100...

    Porém não é motivo para você ler a resenha e já odiar o livro de cara. Não foi bom para mim, mas pode ser o número certo para vocês.

    Shea Rigsby é alucinada por futebol americano, em especial o universitário e da Walker. Cresceu sendo incentivada ao amor pelo Walker desde os três anos e agora aos trinta e três anos, ela trabalha na universidade.

    Sua melhor amiga Lucy Carr é filha do treinador idolatrado por Shea, perdeu a mãe recentemente e sente que o pai não lhe dá muita atenção, pois Connie era o que unia pai e filha.

    Lucy é uma amiga leal, mas que quer ter o controle de tudo, estar sempre certa e nunca pede desculpas. Casada com Neil que é tão dócil quanto um cachorro e tem uma filha que não tem papas na língua, a Caroline.

    Sobre o livro...

    As descrições sobre as armações de jogada e planejamento me chatearam, e passei lendo uma linha até achar algo que não focasse no esporte. O trabalho de pesquisa da autora foi muito bom, ela descreveu bem para os que gostam.

    A leitura melhorou para mim quando o jogador Ryan James surgiu na trama, junto com eles alguns assuntos polêmicos.

    Enquanto isso, Shea tenta sair de sua zona de conforto e abandona o trabalho na Walker... termina também o namoro com Miller.

    O ponto forte para mim foram os personagens secundários. O pai da Shea e sua história, Ryan James, por ter ficado bem legal a mescla que a autora fez de quem é a persona pública e a real. Astrid e sua personalidade ambígua que nos faz mudar de ideia a cada aparição. 

    Primeiro e Único fala de perdas e como cada um lida com elas, sobre recomeços, preconceitos, polêmicas, sobre relacionamentos.

    No fim das contas a autora amarrou bem as pontos que tinha e a leitura deve ser agradável para seus fãs.


    7 comentários :

    1. já ouvi falar autora mas nao li nada dela ainda, bem o livro nao me interessou, acho que nao é o meu tipo de livro, já li algumas resenhas desse livro e nao sao tao diferentes da sua.

      ResponderExcluir
    2. Ainda voltei a ler faz pouco tempo e não conhecia essa autora, Emily Giffin.
      Quando vi a capa do livro, achei que era só uma estória que tinha relação com esporte e eu não entendo nadinha, nem Copa eu assisto para vc ter ideia de como eu fico por fora.
      A sinopse não foi uma que me chamasse a atenção e eu realmente não senti vontade de conhecer o livro.
      Agora lendo a sua resenha e oq vc achou do livro, te falo que a vontade não aumentou não, hehe. A estória focar tanto no esporte me deixa desanimada, gosto mesmo é de saber sobre os personagens e suas ações. Bom, acho que o livro vai ficar na reserva, hahaha.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi Suzzy,
        Não foi uma boa leitura para mim, não gostei da Shea, mas alguns eventos me deixaram envolvidas, o fator esporte é muito forte em toda a trama, também não entendo nada e de futebol americano menos ainda. kkk
        Obg

        Excluir
    3. É bem chato ler um livro arrastado! Atualmente, estou lendo um livro que parece que estou lendo a força, pois nada nele me agrada. Não foi por esse motivo que esse livro não me agradou, até porque eu ainda não o li, e sim por questão de estilo!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Ah Luis, é muito ruim quando empacamos durante a leitura e quando é no início piora tudo pq derruba qualquer mínima expectativa. =/
        E como tinha lido um maravilhoso ficou pior. kkkk
        Força que você consegue concluir sua leitura.

        Excluir
    4. Nunca li nada da autora, apesar de conhecê-la de nome. Eu tinha muita curiosidade em relação a esse livro, mas leitura arrastada não dá. Passei por isso recentemente e realmente é horrível querer terminar de ler o livro, mas se ânimo pra isso porque ele não te empolgou. Mas que bom que, pelo menos, o final foi bem fechadinho, né?!

      =)

      Suelen Mattos
      ______________
      ROMANTIC GIRL

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Ah eu achei péssimo mas a Débora do Leitura Nossa adorou. A velha história de que cada um absorve a trama de uma maneira. kkk
        Sorte minha que o final ficou bom. =)

        Excluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!