• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Resenha da Vic: Métrica, Colleen Hoover - @editoragalera


    O romance de estreia de Colleen Hoover, autora que viria a figurar na lista de best sellers do New York Times, apresenta uma família devastada por uma morte repentina.Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos, é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz; por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor.


    Métrica - Slammed # 1
    Autor(a): Colleen Hoover
    Editora: Galera Record
    Ano: 2013
    Páginas: 304

    Vocês votaram e aqui está, a resenha do vencedor da ''Escolha do leitor'' de setembro. Vamos conhecer o tão amado Métrica?


    Layken ou Lake, como todos a chamam, acabou de se mudar para Michigan junto com sua mãe e seu irmão, depois do falecimento do seu pai. Se não bastasse essa circunstância maior, tudo isso acabou mudando toda essa a sua rotina, e se adaptar a essa nova vida está sendo um grande problema. De inicio, algumas das atitudes de Lake me deixaram irritada. Porém, a Colleen soube muito bem trabalhar o amadurecimento dela, que é notável dentro de todos os acontecimentos.

    As coisas começam a entrar nos eixos (ou não rs) quando seu irmão mais novo Kel, faz amizade com um garotinho da mesma idade, que tem um irmão de vinte e um anos, que rapidamente fica muito solidário com Lake.
    “ – É poesia. – Ele sorri para mim. – É disso que gosto.
    Will Cooper (suspiros, suspiros e suspiros), apesar da pouca idade carrega uma bagagem intensa e de muitas responsabilidades. Imprevisível, profundo e totalmente diferente do que você já viu dos mocinhos por ai, ele é o tipo de cara que no primeiro encontro lancha sanduíches dentro do carro e leva a garota para um show de slam. Sabem o que é? Então, é um espaço onde jovens apresentam poesias de sua autoria através de uma interpretação, com bastante sentimento e um belo jogo de gestos e palavras. Esse é o Will, e ele é realmente uma caixinha de surpresas.
    "Será que ele está falando sério? Um cara que é gato, me faz rir e adora poesia? Acho que estou precisando de um beliscão. Ou não... Vai ver é melhor não acordar.”
    Vocês podem até achar o enrendo meio clichê, mas conhecendo esse livro, se entregar e se apaixonar por essa história, você percebe que tudo que essa história não é, é clichê!

    Esse livro tem uma relação muito gostosa com a poesia. Todo o poder e os jogos de palavras que a Colleen usa – que é algo dela, único e especial que só essa mulher sabe fazer -, esse misto de emoções que faz com que a gente se delicie a cada página. Na verdade, o livro é muito Will. Não há explicação melhor! Lake é maravilhosa, mas o Will rouba a cena.  Ser 'Will' deveria  ser um elogio: 

    Nossa, você é tão will! <3

    O livro é dividido em duas partes, que podem ser descritas em uma parte mais romântica, de descobertas e decepções, e outra de amadurecimento, conflitos, e toda a intensidade que o bom New adult tem.
    "(...) Neste momento, não sou mesmo capaz de compreender como deve ser ter o coração partido de verdade. Se eu sentir uma dor apenas um por cento mais forte do que já estou sentindo, abdico do amor. Não vale a pena."
    A forma que a Colleen escreve é muito fluida, o que acaba tornando a leitura rápida. Porém, eu não estava em um momento bom para ler Métrica, então fico sentida porque acho que não aproveitei e dei o valor que esse livro merece. Para mim, não foi tão rápido assim, então prometo que irei ler novamente em um momento melhor, porque esse livro merece, e muito!

    Outro palavra que eu definiria o livro seria sexy, não erótico, sexy mesmo. Desde as palavras, a troca de olhares, os beijos, os braços, na declamação do slam... é tudo tão intenso, explicito, da vontade de fazer parte, de viver isso também,  de sentir todas as sensações como protagonista.
    “Queria poder contar a ela sobre Will. Quero contar que, assim que nos conhecemos, senti algo que nunca senti antes por um garoto. Quero falar do nosso primeiro encontro e de como passei a noite inteira com a sensação de que nos conhecíamos há anos. Quero contar sobre a poesia dele, nosso beijo, tudo. E, mais do que tudo, quero contar sobre como foi vê-lo no corredor quando percebemos que nosso destino não estava em nossas mãos. Mas sei que não posso. Não posso contar para ninguém.”
    E como os livros da Colleen sempre fazem a gente pensar, algo que eu já levava como mantra e só fez ressaltar, é que no amor, vale tudo. Vale o trabalho, as diferenças, o renascimento e fortalecimento das forças, quando é reciproco e verdadeiro, todas essas coisas valem a pena. Basta tem uma conexão, uma mãozinha do destino para unir essas  pessoas.

    Leiam minha gente, leiam!!!!

    Sobre a trilogia:


    "Ampliem seus limites. É para isso que eles existem."



    1 comentários :

    1. Oi, flor!
      Que resenha linda! Parabéns, suas palavras estão muito motivadoras. Tenho esse livro na minha estante, mas ainda não comecei a leitura. Já fiquei mais ansiosa, por tudo que você comentou, sei que vou amar essa leitura. Resenha perfeita. Obrigada. Beijos.

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!